terça-feira, 8 de novembro de 2011

MUSA: Franciely Freduzeski, a atriz dá dicas para o primeiro encontro e fala de seus projetos


A bela Franciely Freduzeski, nascida em Laranjeiras do Sul, Curitiba, ganhou destaque ao participar da novela O Clone, interpretando a personagem Beta. Personagem essa que lhe rendeu a capa da revista PLAYBOY naquela época. Dona de uma das cinturinhas mais finas da TV, Franciely sempre desfilou seu corpão e talento por diversos programas da TV. Começando pela Turma do Didi passando por novelas e minisséries da Globo até na série da RedeTV!, “Donas de Casa Desesperadas”, e da primeira edição do reality show A Fazenda, da Rede Record. Hoje Franciely estuda canto e pretende voltar ao teatro, enquanto isso dá as caras aqui onde respondeu as nossas perguntas com a atenção e o carinho de sempre. Matem um pouco a saudade dessa bela atriz.

O que você anda fazendo Franciely? Estudando teatro com a Camila Amado, fazendo aula de canto com Vera Canto Melo e estou em um projeto de uma peça de teatro.

Você atuou na série "Donas de Casa Desesperadas" e passou uma temporada no programa "A Fazenda". Como foram essas experiências? O que te agradou mais? Foi fantástico atuar na série “Donas de Casa Desesperadas”! Fiquei quatro meses morando na Argentina, onde o ritmo é totalmente diferente. Tive que me acostumar ao frio, ao idioma e às idas e vindas para cá. Mas tudo isso foi enriquecedor. Aprendi muito, conheci lugares diferentes e fiz novas amizades. Quanto “A Fazenda”, já participei duas vezes. Para mim, foi bom participar do programa. Aprendi a lidar com alguns animais, refleti bastante lá dentro sobre a vida, sobre família, sobre relacionamentos com pessoas desconhecidas...


Que cantada faria um homem não ser mais um entre tantos? Homem tem que ter atitude. Não é a cantada que vai fazer ele diferente e sim a maneira de tratar uma mulher. Falar pouco, escutar, se mostrar interessado na outra pessoa.
O que você repara em um homem no primeiro encontro? Sua maneira de comer, se vestir, de falar. Odeio homem que fala alto e os dentes têm que ser perfeitos.

No meio do papo, você descobre que por trás daqueles belos olhos não existe um cérebro muito avantajado, e aí? Ai que eu antecipo ao papo e saio fora. Nunca mais encontro. Beleza enjoa se não tiver cérebro. Não dá para passar para a segunda página jamais.


A sedução é a parte mais legal do jogo? Sim. É a descoberta da fêmea e macho. Adoro ser seduzida e conduzida.

Quando as mulheres seduzem é porque querem sexo? Nem sempre. Às vezes estamos testando nosso potencial. Apenas um jogo.

Você concorda com a visão masculina de que as mulheres são biologicamente preparadas para o romance? Não! (risos) Hoje em dia, as mulheres podem ir para cama sem ter nenhum tipo de romantismo. Apenas por prazer. As mulheres talvez sejam mais delicadas, mas não tão frágeis quanto parecem. 
Fotos: Marcelo Corrêa
Agradecimento: Fabiana Gomes - GMP Assessoria de Imprensa
Agradecimento especial a Franciely Freduzeski

Acompanhe a MENSCH também pelo Twitter: @RevMensch e baixe gratuitamente pelo iPad na App Store.

Nenhum comentário:

Postar um comentário