sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

CAPA: Marcelo Faria realizado na profissão e na vida pessoal mas sempre pronto para se superar


Marcelo Faria passa a tranquilidade de quem chegou lá e está feliz com sua vida e profissão. Mas na eterna busca de se superar e fazer mais e melhor, ele não abre mão de momentos simples com a família ou o contato com a natureza. Isso recarrega suas baterias e dá energia para fazer tudo com determinação. A base da família talvez seja o segredo de tudo isso e muito mais. Marcelo bateu um papo com a MENSCH e nos contou um pouco de tudo isso, e inclusive como lida com fama, nudez, paparazzi e seu desempenho como super pai que é. 

Seu pai foi a grande inspiração para que você seguisse a carreira artística? Ele te orientou em algum aspecto? Aprendi e aprendo muito com meu pai, ele foi e sempre será uma inspiração para mim. Quando disse a ele que não gostaria de cursar uma faculdade, ele me disse: - Então vá estudar teatro e trabalhar no que gosta, foi o que eu fiz... Não existe uma orientação mais importante, a criação do caráter de um homem se faz durante a vida e considero que fui bem formado como homem por meus pais.

Você participou da série a “Máfia do Brasil”, depois veio um papel maior em “Top Model” e por seu papel em “Quatro por Quatro” alcançou a esperada fama. Como diferencia sucesso de fama, e qual a importância dela pra você? Não, não é fácil ser reconhecido na profissão com 17/18 anos, mas aos poucos fui me acostumando com a ideia de não ser mais anônimo. A importância do trabalho que faço é estar sempre me exercitando e buscando novos desafios. Atuar é o mais importante, independente de fama e sucesso.

Ainda sobre fama, o que te incomoda e qual, a seu ver, é o limite da exposição? E o que te incomoda nas publicações que se utilizam de paparazzi? A única coisa que me incomoda é não poder viver o meu lazer com a minha família sem ser vigiado. Mas nos acostumamos a este tipo de invasão.

Por duas vezes fez par romântico com a atriz Fernanda Rodrigues, como é essa coisa de química entre personagens? Ficamos muito amigos e isso facilita na criação da personagem, acho que isso é o que chamamos de química. Saber como o outro pensa e como gosta de interpretar, faz com que uma dupla se sobressaia. 

Das novelas e personagens que fez, qual foi o de mais difícil construção e qual o que mais se identificou? A construção mais difícil da minha carreira até hoje foi com o “Vadinho” de “D, Flor”, agora estou preparando esse projeto para o cinema. a identificação com um personagem fica mais a critério de quem assiste, mas um papel inesquecível e que amei construir e viver, foi o bombeiro Vladimir de  “Celebridade”. O Gilberto Braga me deu um presente!

Falando em Vadinho...por alguns anos você viajou o Brasil com a peça “Dona Flor e seus Dois Maridos”. Como é passar tanto tempo com uma peça ainda mais tendo que ficar nu em cena? Foram 5 anos. O tempo de um espetáculo em cartaz é ditado pelos Deuses do palco, enquanto houver público devemos realizá-lo. A nudez era natural para a personagem que eu interpretava, nada demais.

Sobre nudez, existia alguma barreira? Acha que hoje em dia a TV explora esse ponto mais ou menos dentro do contexto? Desde que haja sentido, a nudez é normal, nascemos nus e morremos nus.



Atualmente no ar em Malhação, e com quase trinta anos de carreira, como é dividir a cena com gente que tá começando? A energia que os mais novos trazem para o Set de gravação, supera a falta de experiência e isso faz com que a cena aconteça, pois eles vivem a situação de verdade e este é o segredo do ator. Além disso tivemos nesta temporada a possibilidade de preparar o elenco durante mais de um mês com professores capacitados para cada área que precisávamos, este foi o grande diferencial.

Malhação é uma novela para um público jovem, diferente da maioria das demais novelas, o que acha de bacana nesse fato? O bacana é poder renovar o meu público. Eles me conhecem por este trabalho e a partir dele irão me acompanhar.

Qual o prazer que o só o teatro traz? O agradecimento, as gargalhadas, os suspiros, aplausos, os erros e improvisos. Só o teatro é capaz de realizar este delírio para nós.

Quais as dificuldades e os benefícios de estar casado, ainda mais você sendo uma pessoa pública? O casamento é difícil para qualquer casal, cabe a nós dois lutarmos para não ficarmos entediados, nos amamos e a construção diária da nossa relação faz com que as dificuldades se dissipem, somos muito felizes e o fato de sermos públicos não implicam em nada na nossa relação.

Pai de uma menina, conta pra gente sobre as maravilhas e as preocupações. Se descobriu como pai ou sempre achou que daria conta do recado fácil? A Felipa foi o maior presente que ganhei na vida até hoje, é simplesmente inexplicável o amor que sentimos pelos filhos. Quando ela nasceu eu já sabia ser pai, isso é natural. Vamos ao próximo se DEUS quiser.

Você continua um cara esportista? O que mais curte para relaxar e manter a forma? Meus treinos diários de Muay Thai e Jiu Jitsu são as melhores maneiras de manter a forma. Fins de semana e viagens procuro surfar, nadar e estar sempre em contato com a natureza. Amo praticar esportes.

É um cara muito vaidoso? Como lida com espelho e a idade? Não me preocupo muito com isso, deixo a Camila cuidar de mim, ela que compra os cremes, etc. Amo minha barba branca. Fisicamente estou me sentindo bem, isso é o essencial.


Fotos Filipe Lisboa
Produção Executiva Marcia Dornelles (www.mdproducoes.com)
Styling Xico Gonçalves
Looks Acervo Pessoal

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

BAR: CACHAÇA, A BEBIDA TIPICAMENTE BRASILEIRA E DEMOCRÁTICA

A cachaça, bebida de respeito. Por ser uma bebida popular tipicamente brasileira que há séculos faz parte da civilização, antes de ser um produto econômico, é uma das mais belas expressões da cultura brasileira que é conhecida por inúmeros sinônimos, como: abençoada, água-de-cana, aguardente, aguardente de cana, bagaceira, branca, branquinha, caiana, conhaque brasileiro, desmancha-samba, néctar dos deuses, rum brasileiro entre outros.

Existente em várias comemorações, antes a cachaça era vista como uma bebida símbolo de resistência do povo brasileiro, sofrendo preconceitos no Brasil Colônia, sendo proibida a sua produção e comercialização. Com isso resultou na Revolta da Cachaça, dando origem ao Dia Mundial da Cachaça, 13 de Setembro. Esse símbolo que representa quase 500 anos de história “engarrafada”, pode ser considerado o primeiro destilado produzido nas Américas, de forma intencional, entre os anos 1516 e 1532, antes mesmo do Pisco, da Tequila e do Rum, evoluindo e chegando ao século XX, comparado aos melhores destilados produzidos.

A cachaça é a aguardente de cana, com seu teor alcoólico entre 38% e 48%. Para enaltecer e realçar sabores riquíssimos e diferenciados, a cachaça branca, em geral é engarrafada logo depois de produzida – ou armazenada e envelhecida, por um ano no mínimo em barris de madeiras típicas de cada canto do Brasil como: a Amburana, Jequitibá, Amendoim, Bálsamo, Ipê, Freijó, Eucalipto, Castanheira e o conhecido Carvalho, além de várias outras, conquistando seu espaço no cenário nacional. Se permanecer mais de três anos armazenada nos barris recebe a qualificação de Cachaça Premium ou Extra Premium.

Provar e observar, analisar as impressões, a cachaça deve apresentar limpidez, ou seja, ser transparente e sem partículas, ter brilho, sua cor pode ser amarela, dourada, âmbar ou branca, quando a cachaça não é envelhecida ou o é em tonéis que não alteram a coloração da bebida. Para descobrir se é boa ou ruim isto é, para acontecer o primeiro gole, primeiramente se faz um exame visual na garrafa e no copo, seguido do exame olfativo e depois pelo gustativo da bebida.
Pelo exame olfativo procura-se então identificar os aromas da cachaça, que aproximando o copo perto das narinas, tampa-se uma delas e inspira-se com a outra, descobrindo o teor alcoólico. Em seguida o líquido é ingerido. Os aromas são variáveis, mas o sabor da cachaça deixa uma sensação aveludada.

A degustação confirma ou não as sensações deixadas pelo exame olfativo. Coloca-se uma pequena quantidade da cachaça na boca e realizam-se pequenos movimentos com a língua e bochecha, de maneira que alcance todas as partes da boca e da língua, dando tempo para revelar sabores diversos: adocicado, ácido, amargo e salgado. Vista através de um copo de vidro com parede lisa, degustar um copo de cachaça é uma arte, deixar levar por esse líquido, é para dar prazer, e é para isso que ela existe.

Assim sendo, a cachaça ocupa a posição do terceiro destilado mais consumido no mundo. É utilizada como base para coquetéis de frutas, sendo o mais tradicional a caipirinha, drink refrescante e saboroso que, para não perder sua autenticidade, deve ser feita exclusivamente com a cachaça.  Atualmente com sua versatilidade, vários profissionais da coquetelaria vêm utilizando-a para reinventar drinks famosos, tais como o Mojito, o Dry Martini e a Margarita, mostrando igual ou superior à dos grandes destilados. 


Apreciar a cachaça é uma oportunidade para aguçar os sentidos, e degustá-la é o caminho mais legítimo e confiável para que você conheça a cachaça. Tema de estudos conhecido há quase 500 anos, o vinho de cana-de-açúcar, foi descoberto em algum engenho de açúcar. A cachaça era o nome dado à primeira espuma que subia da superfície do caldo de cana que estava sendo fervido.  Assim os engenhos produtores de açúcar, eram chamados de “casa de cozer méis”, que posteriormente foi também aplicado aos alambiques que produziam a cachaça.

Na década de 1620 na Bahia ocorreu o primeiro registro histórico da cachaça, coincidindo com o rum das Américas, a aguardente de caña na Espanha e a tafia na França, todas foram criadas a partir dos mesmos subprodutos da produção de açúcar. Sendo associada às classes mais baixas, a cachaça ao ser aprimorada as técnicas da produção começou a ser apreciada por todos, consumida em banquetes palacianos e misturada ao gengibre e outro ingredientes nas festas religiosas em Portugal. Nas últimas décadas, veio o reconhecimento internacional, onde diminui o índice de rejeição dos brasileiros, dando à cachaça a bebida genuinamente brasileira um status de bebida chique e requintada e merecedora dos mais exigentes paladares.


..........................................................................................................................................

Walmir Oliveira está à frente de Balaca Buffet de Líquidos, com serviço personalizado, ontem também realizão drinks com frutas regionais combinados com ervas diversas, além de um Lounge de cachaças nobres para quem admira as boas cachaças como, Reserva 51, Vitoriosa, Antiqua, Nega fulo, Carvalheira Premium, Ypioca 150, entre outras. www.balaca.com.br

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

PALADAR: A nova gastronomia de Noronha

Noronha é uma Ilha encantada mesmo. Até as experiências gastronômicas dessa Ilha não param de surpreender nunca. Quando você acha que conhece tudo. Aparecem sempre novos sabores, novos lugares. As dicas da MENSCH para essa edição são para os jantares. Quando o dia termina, e você já está louco por uma boa refeição e depois finalmente se esticar numa cama confortável, Noronha reserva excelentes lugares e pratos que vão marcar suas noites na Ilha com muito sabor.


Reservas: Noronhalovers@gmail.com ou 081 8171.9991.

Reserve também uma noite para o jantar cantado de Jú Medeiros na pousada Tribojú. Além de ser uma figura, o Jú canta a história da ilha enquanto você saboreia as delicias do festival. São duas opções de entrada, duas de principal e mais duas de sobremesa. O restaurante comandado pelo criativo Chef Victor Machado mescla itens da culinária nacional com a europeia utilizando pescados frescos. O cenário da pousada é lindo e o clima é pra lá de descontraído. *O jantar acontece todas as quintas. É necessário reserva. 081 3619.1313. Site: www.pousadatriboju.com.br

Uma noite inusitada você pode passar na Mesa da Ana, se deliciando nas criações desta chef cordon bleu e rindo das histórias de Rock, o seu marido. O jantar é Incrível. Talvez o lugar mais diferente e peculiar que você possa conhecer na ilha.  Somente para um seleto grupo de 10 pessoas, que sentam na mesma mesa, a mesa da Ana! Você é recebido com uma deliciosa taça de espumante e convidado a sentar num cantinho super aconchegante do quintal, junto a vegetação que na sua maioria é formada de temperos, frutas e legumes (acredita que até Jambo a moça cultiva por lá!). Perto da criação de patos e ouvindo o LP de Chico Buarque, enquanto conhece seus companheiros de jantar. Depois é servido entrada, prato principal e sobremesa de um menu confiance que vai ficar guardado na sua memória pra sempre. Na hora da reserva, a Ana sempre pergunta se você tem restrições alimentares e se tiver, vai fazer um prato especial só pra você!  A mesa da Ana funciona de segunda à sexta, pontualmente às 20h30. Reservas com a Ana no telefone 081 9338.4925.

Pra você que nunca achou que fosse possível ou nunca se deu a chance de experimentar, vale escapar até a pousada Zé Maria, uma noite calma sem o agito dos dias do festival gastronômico (leia-se segundas, terças, quintas e sextas) e provar a feijoada de frutos do mar. Sabor surpreendente! Feijão branco com camarões, lula, polvo e marisco. O restaurante abre todos os dias para jantar. Dias fora de festival não é necessário reservar. Site: www.pousadazemaria.com.br

Outra novidade gastronômica da Ilha é recém inaugurado restaurante Du Mar, com sua Moqueca Sinfônica carinhosamente chamada de "Delícia da Ilha", é o prato principal da casa. Iguaria tipicamente baiana, ela foi refeita a partir de um suave toque de azeite de dendê imerso em um mix de frutos do mar frescos e leite de coco. Esta moqueca serve duas pessoas e é a principal recomendação dos clientes no TripAdvisor. Reservas: (81) 36190432 - E-mail: restaurantedumar@hotmail.com

Mais uma noite inesquecível você vai passar num jantar romântico à beira da piscina do Dolphin. Com clima intimista, cenário lindo e cardápio que vai do famoso peixe na telha ao já aclamado gnochi de batata doce com carne seca e croutons de coalho. Não saia de lá sem provar a famosa sobremesa danado de bom, feito com bananas cultivadas no próprio jardim, empanadas com uma receita caseira deliciosa, sorvete de creme, paçoca e mel de engenho. É necessário reservar esse tipo de jantar. 081 3619.1100 mas o restaurante do Dolphin abre diariamente para café da manhã, almoço e jantar sem ser necessário reserva. www.dolphinhotel.tur.br

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

CUIDADOS PESSOAIS: Curta o sol sem se queimar (demais)

Com o verão cada vez mais quente na maioria das cidades, a vontade que se tem é de colocar uma sunga (ou bermuda) e correr para dar aquele mergulho. Jogar uma partida de frescobol ou simplesmente ter um bom papo com os amigos de baixo da barraca por horas. Porém não se pode esquecer que essa mesma estação que nos atrai tanto, nos deixa muito mais expostos aos raios solares, e isso requer cuidados. Especialistas todos os anos alertam sobre alguns cuidados que devem ser tomados, além de dicas para manter um bronzeado uniforme e duradouro. 

O uso de protetor solar, apesar de ser fundamental e importante para prevenir o câncer de pele, ainda não é um hábito entre os homens. Segundo levantamento do Instituto Nacional de Câncer (Inca), na capital paulista, apenas 8,5% dos homens que moram na cidade de São Paulo costuma passar protetor solar durante o dia. Já as mulheres se protegem mais contra os raios ultravioletas (UV). O Inca aponta que 24,5% das paulistanos não saem de casa sem aplicar algum tipo de creme com bloqueador solar. De acordo com o diretor do Instituto Oncoguia, Rafael Kaliks, a mulher é mais vaidosa e sabe que a proteção solar também previne contra o envelhecimento. Enquanto que o homem não se importa com isso, afirma o diretor.

Os homens por terem pele mais oleosa e não gostarem de usar filtros solares devem usar os filtros em gel toque seco, totalmente livres de óleo e com ação de controle de brilho e oleosidade, isso aumentará a aderência ao produto. Para uso diário, o ideal seria aplicar um filtro solar com fator 30, logo pela manhã e reaplicando no meio do dia, numa quantidade pequena e espalhando bem o produto na face até secar. O uso diário seria mais indicado para prevenção do envelhecimento, manchas na pele e controle da oleosidade, tão característica da pele masculina. Já na praia ou atividades esportivas e outros tipos de exposições maiores ao sol deve ser aplicado filtro fator mais alto (pelo menos FPS 45) numa quantidade maior do produto sobre toda área exposta a cada hora ou máximo de 2 em 2 horas. Neste caso para prevenção de queimaduras, câncer de pele, além do envelhecimento e manchas. 

O TAL ÍNDICE UV

Quando se fala em protetor solar, cuidados com a pele... logo se fala dos tais “raios UV”. Mas como funciona isso? Bem, partindo do princípio da intensidade com a qual a radiação solar atinge a superfície terrestre e a nossa pele depende de vários fatores, tais como o comprimento da onda, a latitude, a altitude, a atmosfera, a poluição, as nuvens, a estação do ano, o horário e o tempo de exposição. E o índice ultravioleta (IUV) mede a intensidade da radiação UV que incide sobre a superfície da Terra, levando-se em consideração a concentração de ozônio no ar, a posição geográfica, a altitude, o tipo de superfície, a hora do dia, a estação do ano e as condições atmosféricas. As principais praias do Rio de Janeiro, por exemplo, têm letreiros exclusivos para o IUV funcionando em tempo integral para que os banhistas estejam cientes dos cuidados que devem tomar.

EFEITOS DOS RAIOS UV NA PELE

Como estudamos nas aulas de biologia, uma das principais funções do maior tecido do corpo humano é protegê-lo da perda excessiva de água, do atrito com o ar, suas impurezas e objetos, e da luz do sol. A pele, no entanto, com o passar dos anos sofre alterações morfológicas e funcionais. E muito se deve à exposição aos raios solares.

Após a exposição à radiação UV pode haver maior perda transepidermal de água, devido a um rearranjo das células na camada córnea (parte mais externa da epiderme). A pele sofre agressões da radiação UV, apresentando um processo inflamatório local, cujo principal sintoma é o eritema (vermelhidão), a mais famosa manifestação da exposição exagerada à radiação UV. Cerca de 99% do eritema é causado pela radiação UVB de 2 a 8 horas após a exposição e alcança o máximo em até 36 horas. As ondas UVA parecem ser menos efetivas nesses casos e estão mais relacionadas à formação de manchas.

Além da tradicional “cor de camarão” (o eritema), as áreas expostas ao sol também podem apresentar prurido (coceira), dor, edema (inchaço), vesiculação (formação de bolhas), necrose da pele (as queimaduras propriamente ditas) e diminuição da resposta imune. Cerca de 90% dos raios UVB são absorvidos pela epiderme e 10% atingem a derme. Portanto, é na camada mais externa da pele que podem surgir as queratoses solares e o câncer de pele. Já os raios UVA agem mais na derme e estão diretamente relacionados ao envelhecimento cutâneo. O calor dos raios infravermelhos estimula a circulação sanguínea e o metabolismo.


ALGUMAS DICAS IMPORTANTES NA HORA DE ENCARAR O SOL

Para aproveitar o que o verão tem de melhor e não passar a estação cuidando de alergias, queimaduras, insolação e adiantar as estações seguintes com o envelhecimento precoce e o câncer de pele, aconselhamos você seguir algumas dicas muito úteis:

Use filtro solar SEMPRE - Nós sabemos que a maioria já nem dá importância para isso, mas mesmo fora da praia ou da piscina, o uso diário do filtro solar vai evitar rugas precoces, manchas de pele e ainda, o principal, se proteger contra câncer de pele. O FDS 30 já é o suficiente no uso diário.

Gel, fluido ou spray – Como a pele dos homens é mais oleosa, salvo algumas exceções, o mais indicado são os filtros solares com textura mais leve. Além de não deixar os pelos colados de creme e são absorvidos melhor pela pele.

O índice certo pra você – É importante observar o fator de proteção (FPS) específico para seu tipo de pele. Por exemplo, os do tipo 15 são indicados para peles morenas e negras; os de 30 e 40 são indicados para quem se avermelha facilmente; e os do tipo 50 ou mais, são indicados para peles muito brancas e sensíveis. Lembre-se que, nas áreas mais sensíveis necessitam de um FPS mais elevado, como o rosto, os lábios, as orelhas e o couro cabeludo (atenção especial para os carecas).

O guarda-sol ideal - Prefira os guarda-sóis de algodão de cor clara, pois as cores escuras absorvem mais radiação e calor. Além disso, os tecidos sintéticos, como o nylon, fazem sombra, mas não protegem da radiação solar. Lembre-se que o mormaço também causa queimaduras e não se iluda com aquela brisa refrescante, porque ela o faz esquecer dos efeitos nocivos do sol e ficar mais afoito.

Proteção na hora certa – Tudo mundo já sabe, ou deveria saber, mas vamos reforçar... O protetor solar deve ser aplicado no mínimo meia-hora antes de ir para o sol. Não adianta passar no caminho pra praia ou na hora que chega. A pele precisa absorver o produto para que ele comece a agir. Em média a quantidade ideal são duas colheres de sopa para o corpo.

Reaplicar é tão importante quanto aplicar – Por mais potente que seja seu protetor solar ele não vai durar o dia todo. Então é importante que você reaplique ele a cada duas horas. O suor e o mergulho no mar ou piscina já fazem você perder até 50% do protetor solar absorvido pela pele. A não ser aqueles que no rótulo indicam ser resistentes à água.

Cuidado redobrado com o rosto – No rosto use equivalente a uma colher de chá de protetor. Dando atenção especial para o nariz e lábios que homem em geral nunca lembra. Se você vai praticar esportes então opte por FPS 60 de produto específico para praticantes de esportes

Hidrate-se! – Exposto ao sol você sua mais e sua pele pede hidratação. Durante todo o período em que estiver exposto ao sol beba bastante água e sucos naturais. Evite bebidas que contenha limão, frutas cítricas em geral não combinam com sol e calor. Importante também que você hidrate bem a sua pele após o sol, para devolver a umidade perdida e ajudá-la na regeneração de suas funções.


...........................................................................................................................................................................................

VEM COM O SOL - Aproveitando o lançamento oficial da temporada mais quente do ano, o NE10, que tem como o símbolo o sol, convida todos os seguidores do portal (@portalNE10) na rede social a compartilhar seus registros com a gente, através da hashtag #Vemcomosol. A ideia é formar, durante a estação, uma grande galeria com registros tanto da equipe do portal quanto dos nossos curtidores. Valem imagens do nascer ao por do sol, de pontos turísticos, praia, piscina e tudo o mais que remeta ao verão e ao astro rei. Durante a temporada o portal, seus blogs e parceiros também vão trazer várias matérias sobre os cuidados com a pele, beleza, moda, comportamento para aproveitar ao máximo a estação.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

CULTURA: O som (e a alma) do Sertão

Pernambuco ganhou em 2014 um presente de fazer chorar não só os amantes mais calorosos do Leão do Norte, mas também capaz de seduzir e cativar os olhos de fora. O museu Cais do Sertão, localizado no icônico bairro do Recife Antigo, atrai público das mais diversas idades principalmente pela originalidade e poeticidade que transbordam da exposição. O Cais do Sertão é uma viagem ao universo do sertanejo que, além de ser um forte, encanta com toda sua singularidade cultural e social perante as muitas adversidades. 

Pode até parecer paradoxal, mas a proposta (muito bem desenvolvida, vale ressaltar) é contar a história do Sertão a partir da alta tecnologia. Dessa forma, somos convidados a fazer um mergulho interativo na alma e vivência típica dessa região dominada pela seca, mas também cheia de simbolismos. Tudo isso amalgamado pela vida e obra de Luiz Gonzaga, talvez o sertanejo mais admirado e conhecido do país. 

O espaço de 2000 m² (em breve será inaugurada a segunda parte que somará mais de cinco mil metros quadrados) está dividido em sete temas centrais: viver, trabalhar, cantar, ocupar, crer, migrar, criar. Entre elas corre o Rio São Francisco que nos lembra a todo o momento da sua importância e centralidade para o Nordeste. Somos convidados a atravessá-lo inúmeras vezes durante nosso passeio ao cruzar cada um dos temas propostos e nesse ritmo podemos identificar trechos das músicas do Rei do Baião e momentos de sua grandiosa carreira, que conta um pouco do Brasil e da gente. 




Revivemos, dessa forma, sentimentos adormecidos e resgatamos do nosso imaginário memórias afetivo-culturais que nos fazem se sentir não só pernambucanos, mas, acima de tudo, brasileiros. Por mais distantes que estejamos daquela realidade, identificamo-nos com a simplicidade e profundidade de uma região historicamente castigada pela geografia física e política. Ao mesmo tempo que vemos ferramentas de trabalho rudimentares atestando a criatividade do homem no seu cotidiano, atravessamos o túnel do diabo lembrando que os mistérios da vida existem independente do tempo e da ciência. 


Em uma sala escura de poderosa projeção ouvimos a música de Luis Gonzaga ganhando o mundo na voz de artistas conhecidos em um show particular. No andar superior, encontramos depoimentos de quarenta e oito migrantes contando como foi deixar sua terra sem saber o que iam encontrar adiante, entre as ilustres personalidades o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz um emocionante relato. Por fim, finalizamos o trajeto em uma sala de música onde podemos tocar instrumentos como triângulo, sanfona, zabumba e tantos outros que embalam as canções arretadas do Rei do Baião. 

Uma vez, com suas canções até hoje modernas, Luis Gonzaga mostrou o Sertão ao mundo. Agora, o museu Cais do Sertão, ao homenagear o sertanejo com seu jeito simples de vida, suas crenças, dores e superações, presta uma grande homenagem ao Brasil, integrando essa região tão rica à metrópole e nos lembrando sempre que, assim como na música, da aridez brota amor, poesia e arte. 


.............................................................................................................

Um pouco antes de chegar no Cais do Sertão, chama atenção do público um enorme nome “Recife” colocado na Praça do Marco Zero que já virou ponto para várias fotos. Segundo Camilo Simões, Secretário de Turismo e Lazer de Recife, faltava uma marca que identificasse a cidade. “Percebíamos que faltava uma marca de destino turístico que traduzisse bem o que era o Recife. Uma marca moderna, que fosse mutável, que ela pudesse se adaptar ao período do ano sem perder essa identidade visual. E criamos essa marca que está no Marco Zero hoje, que tem a sombrinha de frevo, que é o nosso símbolo da nossa cultura, e o nome “Recife” onde o “Rec” representa a parte de recordação, de gravação, de memória, de ficar...e a gente pode usar tanto o nome Recife completo, como o “RecCarnaval”, “RecSãoJoão”, “RecNatal”... Foi uma marca bem construída nesse conceito. 

Também faltava na cidade um local onde você pudesse fazer uma foto e identificar em que local é esse, o que isso representa. E colocamos lá essa marca tamanho gigante, que se tornou um grande sucesso. Se você chegar lá no domingo tem fila para fazer foto. Uma coisa relativamente simples, mas que marca a vida da cidade, que divulga o nome da cidade nas redes sociais e nas recordações das fotos das pessoas. Uma experiência tão legal que vamos manter a do Marco Zero e vamos colocar uma no 2o Jardim de Boa Viagem, que é outro ponto turístico também. E a localização aqui no Recife Antigo, além disso, é no Marco Zero, que é o símbolo maior de nossa cidade e ao fundo tem o Parque das Esculturas, uma doação do mestre Francisco Brennand. Assim conseguimos condensar numa só foto, e numa só região, toda a cultura e tudo o que o Recife representa para o turista e o cidadão fazer sua foto de recordação.”

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

ESPECIAL: Hits do Verão 2015 - 20 dicas quentes que são a cara desse verão e vão deixar você mais antenado nessa estação.

E chegou o verão! Muito sol, praia, roupas mais leves e disposição para sair na rua, tomar um drink com os amigos ou praticar esportes ao ar livro. É uma época mais descontraída e mais colorida. Céu azul e os tons mais vivos nas roupas fazem uma bela combinação. Seja na praia ou piscina, o importante é curtir a estação mais quente do ano com disposição, e cuidados. As roupas mais leves, como o linho que volta em alta nessa época, óculos de sol espelhado, chinelo, shorts estampados são as dicas de estilo para andar no clima. 


Para quem não quer ficar parado, o SKATE CARVER (1) virou febre e domina as rampas mais no final da tarde, os preços variam de R$ 200 a R$ 400 dependendo do modelo; Assim como em outros anos, DAVID GUETTA (2) invadiu várias cidades e agitou a galera, se tornando mais uma vez o som do verão; Nesse calorzão um produto vem para ajudar na oleosidade da pele, através do efeito matificante (do mate) que reduz o brilho e a oleosidade, o HIDRACARE (3) é uma dica, preço é média: R$ 69; Por falar em pele, para uma barba bem cuidada a dica é o novo FUSION PROGLIDE STYLER (4), R$ 89,90; a CAMISA DE LINHO (5), modelo da foto é da Richard´s por R$ 198 e o CHINELO de COURO (6) são as dicas para manter o estilo em alta nesse verão.


A novidade em matéria de vodka, a novidade da ABSOLUT (7) é o sabor Berri Açaí, em média R$ 79,90; No verão das selfies e na onda do Instagran, a POLAROID CUBE (8) vem com força para conquistar o público. Leve, portátil e com superfície imantada é ideal para prender na bike e sair fotografando. Á prova d´água e choque, filma em HD, vem com 6 megapixels de resolução e lente com angulação de 124 graus, preço em média R$ 699 (wwwpolaroidbrasil.com.br); O novo lançamento da Boticário para esse verão é o “RIO QUE VIBRA” (9), um perfume leve e fresco como a estação pede, com notas de limão, lima, lavanda, alecrim e fundo amadeirado, R$ 90; Conforto e descontração nos pés pede um DOCKSIDE (10), nesse verão eles vem em cores mais fortes e em duas cores; E um clássico volta (ou nunca saiu de moda), o RAYBAN CLUBMASTER (11) é um tom de elegância no meio dessa descontração toda do verão, em média R$ 530.


Para refrescar, a pedida nesse verão são os drinks preparados com GIN (12) e as famosas PALETAS MEXICANAS (14) que conquistaram o público nessa estação com sabores diferenciados e criativos (um dos mais populares é o morango recheado com leite condensado); No clima praia e piscina, as BERMUDAS D´ÁGUA (13) são a peça da vez, em padrões geométricos, degradê ou tropicais; E na hora de relaxar na rede ou no sofá pegando aquela brisa, nossa dica de leitura é o livro AS SETE VIDAS DE NELSON MOTTA (15), em média R$ 31,90.


Falando em óculos de sol, a tendência nesse verão são as LENTES ESPELHADAS (16), em tons de azul ou degradê; Os SHORTS COLORIDOS (17) são leves e vem com estampas tropicais; Sem dúvida o destino mais badalado desse início de ano e nesse verão é FERNANDO DE NORONHA (18), não é à toa que o Réveillon bombou e Angélica escolheu Noronha como seu cenário para sua temporada de verão; O BASTÃO DO SELFIE (19) virou febre mundial e todo mundo agora quer ter um para chamar de seu, o preço varia de R$ 30 à R$ 100; Cada vez mais popular e conquistando novos adeptos, as BIKES (20) chegaram de vez e estão tomando conta das ruas. O modelo da foto bicicleta Vela, criada por Hugo Cruz e Guilherme Carneiro que teve seu primeiro lote viabilizado graças ao crowdfunding. Com visual vintage, clean e usando bateria e motor que ficam escondidos dentro do quadro. A Vela custa R$ 3.400,00 e pode ser encomendada pelo site: www.velabikes.com.br

...........................................................................................................................................................................................

VEM COM O SOL - Aproveitando o lançamento oficial da temporada mais quente do ano, o NE10, que tem como o símbolo o sol, convida todos os seguidores do portal (@portalNE10) na rede social a compartilhar seus registros com a gente, através da hashtag #Vemcomosol. A ideia é formar, durante a estação, uma grande galeria com registros tanto da equipe do portal quanto dos nossos curtidores. Valem imagens do nascer ao por do sol, de pontos turísticos, praia, piscina e tudo o mais que remeta ao verão e ao astro rei. Durante a temporada o portal, seus blogs e parceiros também vão trazer várias matérias sobre os cuidados com a pele, beleza, moda, comportamento para aproveitar ao máximo a estação.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

ESTRELA: Cristiana Oliveira linda e sensual como sempre

Por muito tempo ela ficou marcada com a Juma Marruá, e aos poucos foi formando uma carreira de sucesso com personagens marcantes em novelas, filmes e peças. Sempre deixando sua marca e não sendo indiferente para quem a observava. Crica, como ficou mais conhecida no início de sua carreira como modelo, de olhar apertado, meio ingênuo e ao mesmo tempo sexy. Foi com essa sensualidade discreta, talento e muita disposição que Cristiana Oliveira conquistou tudo e todos. Um dos ícones da TV, modelo de mulher bonita, e uma prova que o tempo as vezes parece não passar. Crica continua naturalmente bela, e cheia de energia acaba de finalizar um trabalho e já está à postos para os próximos projetos. No meio disso tudo ela posou para a MENSCH e nos concedeu essa entrevista. Se encante ainda mais por essa mulher incrível! Somos fãs!

Recentemente você participou do seriado “Animal”, no GNT, como foi esse trabalho? Que desafios te trouxe? Um tipo de interpretação inédita pra mim. Mais comedida, econômica, linguagem de cinema. Tive que internalizar toda minha expressão corporal e passar pro olhar. E ao mesmo tempo estava fazendo teatro; duas coisas diferentes. Outro desafio foi conviver 3 meses com aquelas 170 pessoas da equipe numa cidade de apenas 450 habitantes. Éramos uma comunidade. E fomos extremamente felizes!

Falando em “Animal” lembramos logo da eterna Juma Marruá de “Pantanal”. Esse personagem continua tão forte assim para você como é para o grande público até hoje? Sim! É a minha "persona". Sou grata e serei eternamente por este divisor de águas na minha vida. Pra muitos não sou a Cristiana, sou a Juma Marruá!

Talvez esses personagens passem uma sensualidade que é inerente à você, seu olhar forte... Você concorda com isso? Você acha que a sensualidade está muito forte em você? Nunca tive muita consciência disso. Mas acho q uso quando a personagem pede. Na vida, só quando me interessa (risos)

Por falar em sensualidade, você também marcou época com um belíssimo ensaio para a PLAYBOY produzido na Jamaica. Como foi a experiência? Como foi fazer esse ensaio? Faria novamente? Foi muito interessante! Uma experiência diferenciada! A natureza em equilíbrio com a própria natureza da mulher! As fotos ficaram lindas e naturais. Se for uma proposta tentadora, porque não? 




Já que estamos falando em sedução e sensualidade... como é a Crica quando quer seduzir? E quando se deixa seduzir? Acredito que isso seja um movimento natural de duas pessoas que se desejam. Não tem muito mistério. A sedução faz parte do jogo 

A idade parece que não passou para você e a prova está nessas fotos onde você aparece juvenil e sexy como sempre acostumamos vê-la. Atravessando os anos cada vez mais linda, mais naturalmente sexy, mais cheia de energia, parece que nem o corpo nem a alma envelhecem... Como se chega a isso? Existe receita? Tentar dar valor as coisas simples da vida e buscar o autoconhecimento. Fazer as pazes com o espelho e transformá-lo num aliado. Mas minha busca espiritual e minha curiosidade constante, meus estudos, minha busca também pelo conhecimento, vão me tornando uma pessoa melhor, cada vez mais segura de si mesma. A maturidade é linda. Talvez por isso me veja bonita. É um conjunto de coisas. Um encontro leal comigo mesma.

O que te encanta fazer quando não está gravando ou ensaiando uma peça? Estar com minha família e amigos, ler, dar minhas palestras, escrever meu livro. Adoro fazer Minhas aulas de corpo, voz, trocar ideias com as pessoas...


Quer dizer, não foi sempre assim que te vimos na TV... Em 2011 na novela “Insensato Coração” você abriu mão da beleza e sensualidade para encarar a personagem Araci engordando 15 quilos e perdendo toda a feminilidade. Foi um grande desafio? O que foi mais difícil durante esse processo para ser Araci? Foi um desafio, mas um grande prazer. Estive 1 ano e meio convivendo com presidiárias no Rio e em Florianópolis. Este universo tão distante de mim me faz crescer demais como pessoa. Foi um grande estímulo à valorização da vida. Um estudo da mente e sentimentos humanos. Coisas que livros não iriam me ensinar. A perda da sensualidade foi natural! Todo o processo foi em função da personagem! Eu pensava nela o tempo todo. Abri mão de mim, por ela.

Foi difícil se ver “feia”? Como lidou com o espelho? Foi difícil, mas consciente. Adorava quando as pessoas elogiavam meu trabalho. Mas estranhava também a quantidade de pessoas que me criticavam pelo fato de ter engordado tanto. E olhava no espelho e via a Araci. A Cristiana era a mesma mas apenas internamente

E o homem vaidoso, até que ponto você acha interessante? O que te atrai nele? Acho incrível quando o homem se cuida dentro de um limite. Malha, tem uma vida saudável, alimentação boa. Aquele que se larga, não tá nem ai com nada, não me atrai. Nós nos cuidamos, por que o homem não?


O que te seduz em um homem? Qual conselho daria aos nossos leitores no que tange a conquista feminina? Acho isso muito pessoal. Mas pelo que conheço as mulheres (e conheço muito. 10 anos dando palestras pra elas sobre auto estima), elas querem um homem amoroso, gentil, atencioso, bom pai e fiel. E que as valorize. Elas podem ser a melhor mulher do mundo se o homem agir assim!

O que é mais difícil de conquistar numa relação e onde mora o perigo que pode destruir tudo? Confiança, cumplicidade! E para destruir; ciúme excessivo, possessividade, infidelidade, traição moral e falta de respeito.

Qual característica você inveja nos homens e qual característica feminina os homens deveriam ter? Não invejo nada. O homem é biopsicologicamente diferente da mulher. Cada um com seu cada um. Mas mesmo com todas as conquistas e evolução feminina, ainda sofremos preconceito e falta de igualdade no quesito respeito e profissional.

Que saldo você faz de 2014 e o que espera de 2015? Muito aprendizado. Viajei muito. Com o Animal; no Sul e com a peça no Brasil inteiro. E também vivi momentos muito intensos. Tive "perdas e ganhos" como diz Lya Luft.
E não espero nada. A vida é imprevisível. Deus quem comanda.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

HOMEM DE ESTILO POR TETA BARBOSA

Teta Barbosa é jornalista, blogueira de moda, apresentadora, publicitária, cronista, ilustradora, diretora, mãe, esposa e ainda assim teve um tempinho pra falar de estilo pra gente. Antenada, descolada e inventiva, Teta não abre mão de conforto quando o negócio é se vestir, por isso mais que dicas de moda ela dá dicas de como se vestir com autoestima e respeito ao próprio estilo.

Ter estilo é antes de tudo ter personalidade? Estilo e personalidade andam de mãos dadas. Ter estilo é, antes de tudo, saber mostrar a personalidade através da moda e da vestimenta. Quanto melhor você conhecer e entender sua personalidade, mais forte e marcante será seu estilo. 

O que um homem deve vestir pra impressionar você? Para me impressionar, um homem deve vestir boas ideias e saber se expressar. Inteligência nunca sai de moda.

O cara é descolado, estilo largadão e vai pra uma festa onde o dress code é mais formal. O que vale mais, atender ao próprio estilo ou o que pede a ocasião? Como chegar no equilíbrio? O ideal é chegar no equilíbrio seguindo o dress code sem abrir mão do estilo pessoal. Se por exemplo ele for largadão, mas tiver que usar alfaiataria, pode jogar um tênis no lugar do sapato social e deixar o look descolado e arrumado ao mesmo tempo. Se tiver de paletó, que tal uma t-shirt do Pink Floyd no lugar da camisa branca de botão? Claro que para isso, é preciso usar o acessório principal de qualquer roupa; a auto-estima! 

Conheceu uma mulher interessante, convidou pra jantar, qual a melhor forma de se vestir pra impressionar sem ostentar? Na hora de sair para jantar com uma mulher pela primeira vez é mais importante saber o que dizer do que o que usar! Para vestir, a dica é escolher aquela roupa favorita para você se sentir confortável e, o mais importante, se sentir você. Nada de sair fantasiado. Não aconselho roupa nova porque ainda não dá para saber se ela vai apertar ou incomodar. Afinal, nós mulheres, vamos querer você prestando atenção na conversa e não se remexendo na cadeira ajeitando o cós da calça!

Verão chegando, na praia bermudão ou sunga? Na praia use o que se sentir confortável; sunga, bermuda, tanga de croché branca ou melancia na cabeça. O importante mesmo é se sentir bem. 

Domingo, dia de sol, passeio no parque ou na praia, qual o look? Para os dias quentes, seja na praia ou parque, as bermudas são sempre bem vindas. Os shorts mais curtos apontam como tendência absoluta da estação para os mais ousados a antenados. Gosto dos shorts com os tênis de cano alto, para tirar aquela sensação de excesso de perna aparecendo! Ah, e se for mesmo se jogar nos shorts e mostrar as coxas, que elas estejam tão bronzeadas quanto o resto da perna. Tem coisa pior do que a perna branca com a marca do bermudão da estação passada aparecendo? Plis, don‘t. 

Dia de show, como curtir um rock com conforto e elegância? E na balada na boate? Deixemos as pernas cabeludas para os dias de sol e vamos investir nas calças para noite? Eu sei que moramos num país tropical, quente e bonito por natureza, mas se as moças se espremem em saltos agulha, não custa vestir uma calça, não é? Lembrando que as modelagens mudaram um pouco e que, quanto mais fit, ou seja, ajustada ao corpo, mais arrumado fica o look. Se for show ou balada, é bom investir em sapatos confortáveis como sapatênis, mocassim ou o velho e bom, muito bom, tênis. T-shirts, pólos ou camisas de botão vão de acordo com o tipo de balada em questão. 


Perfume pro dia e perfume pra noite, qual a dica? Estudos mostram que homens são mais fiéis aos seus perfumes do que as mulheres; quando gostam de um cheiro, se agarram a ele. Sendo assim, tendo o cheiro como marca pessoal, o perfume do dia pode, e até deve, ser o mesmo da noite. 

Um look alternativo e elegante teria que peças de roupa? Calça de alfaiataria e t-shirt podrinha de banda! Amo. 

Casamento de dia, qual a dica pros rapazes fazerem bonito na festa? Tecidos leves e claros, como o linho por exemplo, são bem vindos em casamentos durante o dia. Ao contrário das mulheres, que não devem usar branco para não ofuscar a noiva, o branco está liberado para os rapazes.  A ocasião também é propícia para abusar de acessórios como o chapéu. Pode ir de Fedora ou de Panamá, portanto que não esqueça de tirar na hora da cerimônia. Respeito é mais importante que estilo! 

O que não pode faltar para um homem ser tido como interessante? Inteligência e educação.  

Que programa faz seu estilo? Meu programa favorito é ir no bar da esquina com meu marido: cerveja gelada e nenhum risco de blitz do bafômetro. 


AGRADECIMENTOS EDEY COSTA (MAKE UP), BARCHEF CASA FORTE (LOCAÇÃO), REDLEY (SHOPPING RECIFE), ARAMIS MENSWEAR (SHOPPING RECIFE),  LORDMAN E KILDARE

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

DESTINO: Açores, o arquipélago português que é pura magia e deslumbre

Visitar os Açores é conhecer um verdadeiro Éden no meio do Oceano Atlântico: uma paisagem exuberante, uma flora luxuosa com incontáveis tons de verde, as cores de suas afamadas hortênsias e uma vista soberba para o azul celeste do mar. O arquipélago é composto por nove ilhas de origem vulcânica de beleza inigualável. Apesar da proximidade entre as ilhas, elas possuem características e identidade próprias, que vão desde a cozinha, a flora e a historicidade.  A simpatia e hospitalidade dos açorianos é uma surpresa à parte.

As datas de descobrimento do arquipélago são uma incógnita, alguns historiadores afirmam que desde 1351 já existiam designações sobre a existência das ilhas em mapas Genoveses, no entanto tornou-se mais forte a tese de que o arquipélago foi descoberto em 1431, pelo navegador português Gonçalo Velho. O nome do arquipélago deriva das primeiras aves que foram avistadas na região, os Açores. Durante os séculos XV e XVI, portugueses e flamengos colonizaram as ilhas e trouxeram para a região o gado que veio a se tornar um dos fatores marcantes para a economia e cozinha açoriana.
O arquipélago dos Açores divide-se em três grupos: o Grupo Oriental constituído por São Miguel, Santa Maria e os ilhéus das Formigas; o Grupo Central com Terceira, Faial, Pico, São Jorge e Graciosa e o Grupo Ocidental, formado pelas ilhas das Flores e Corvo. A MENSCH visitou quatro das principais ilhas do arquipélago: São Miguel, Terceira, Pico e Faial.


Ilha de São Miguel

São Miguel é a maior das Ilhas do Arquipélago dos Açores, considerada a mais diversificada e apelidada de “Ilha Verde” por suas inebriantes paisagens naturais e extensão das suas pastagens, que se dividem em 65 quilômetros de comprimento.  Conhecida pelas suas Lagoas de rara beleza São Miguel possui uma paisagem de tirar o fôlego. A deslumbrante Lagoa das Sete Cidades, localizada ao fundo da Caldeira vulcânica de Sete cidades e a Lagoa do Fogo com suas águas cristalinas compõem a paisagem estonteante da região e possuem muita procura nos verões europeus. Na proximidade das lagoas os vilarejos oferecem arquitetura histórica, comida caseira local e o clima bucólico do campo. Além das margens, é possível apreciar a beleza das lagoas dos inúmeros miradouros ao seu redor como o Miradouro da Vista do Rei e do Cerrado das Freiras.

O ponto mais alto da ilha situa-se no leste, o Pico da Vara, que fica a cerca de 1103m de altura, proporciona a contemplação de um visual inesquecível, dali é possível ver a capital de São Miguel, a cidade de Ponte Delgada. Apesar da aparente tranquilidade, na cidade é possível encontrar bares, bons restaurantes e monumentos históricos. Outro ponto de interesse imperdível na ilha é o Ilhéu da Vila Franca, uma reserva natural que fica a cerca de 1 km da costa, encontrando-se em estado praticamente selvagem, mas só pode ser visitado no verão. 

O afamado Vale das Furnas ficou conhecido pelas fontes de águas vulcânicas ferventes que funcionam como uma espécie de fogão natural, no qual é colocada uma panela debaixo do solo e por longas horas é preparado o cozido açoriano. Bastante similar com o nosso cozido no Brasil, essa é uma versão com os mais deliciosos enchidos, certamente uma iguaria imperdível. Os queijos advindos do gado dos Açores é outra preciosidade da culinária da ilha que vai desde sabores mais intensos aos queijos tradicionais. A caldeirada de peixe, os mariscos e o Bolo de Lêvedo são um show à parte. E não deixe de visitar as plantações de ananás (uma espécie de abacaxi português) e as plantações de chá. Outra atração obrigatória é a visita a Poça da Dona Beija, uma piscina termal, de águas férreas, com temperaturas que rondam os 30ºC, indicadas para fins terapêuticos como o fortalecimento cutâneo, uma forma prazerosa de relaxar após um dia de caminhada.

A ilha de São Miguel é acessível através dos principais aeroportos europeus, via Lisboa, Estados Unidos e Canadá, ou através de voos de ligação entre as restantes ilhas pela empresa aérea Sata. Nos meses de Verão, é possível fazer a travessia por barco, que liga a outras ilhas do Grupo Central do Arquipélago Açores.

Ilha Terceira

A ilha situada no grupo central do Arquipélago, é conhecida pela sua forma elíptica, com uma área de cerca de 29 quilômetros de comprimento, é a terceira maior do grupo. No entanto, ganhou esse nome por que foi a terceira ilha do arquipélago a ser oficialmente descoberta. E tem como capital a belíssima Angra do Heroísmo, repleta de casarios históricos muito bem preservados, a ilha encanta por sua beleza natural e monumental.  O centro de Angra foi classificado como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Sugerimos que faça o passeio a pé se perdendo pelas ruelas históricas.

A Igreja Matriz reflete a arquitetura religiosa local com pórticos ogivais e capelas manuelinas. Já a Igreja de São Sebastião possui em seu interior a grande pintura mural em afresco, constituída por cinco painéis que representam São Martinho, Santa Bárbara, a aparição de Jesus a Madalena, São Sebastião e São Joaquim e Sant’ana. Os Paços do Concelho caracterizam a arquitetura local e remontam ao século XVI. Devido ao seu posicionamento geográfico, desde o seu descobrimento a Ilha Terceira desempenhou um papel importante sendo ponto de paragem para as grandes embarcações dos Descobrimentos Portugueses.
A diversidade geográfica da ilha demonstra um pouco de sua versatilidade e justifica sua importância histórica para Portugal. Na zona central da ilha é predominante a suntuosa baixa da cratera da caldeira de Guilherme Moniz e pelas numerosas crateras com lagoas. Na caldeira poderá visitar o Algar do Carvão e em seu interior as paredes e teto da abóbada estão cobertas com estalactites de sílica e no chão formam-se estalagmites.

A saliência suave da Serra do Cume é a protagonista da extremidade ocidental. Já o leste é marcado pelo cone vulcânico e extensa caldeira da Serra de Santa Bárbara. Santa Bárbara é o ponto mais alto da ilha, com cerca de 1022 metros de altitude, e de onde se tem um inesquecível panorama sobre a mesma, com uma densa vegetação, aldeias pitorescas e uma grande diversidade de fauna. A vista ainda oferece a contemplação dos mais diversos tons azulados do Oceano Atlântico; é um passeio imperdível. A região vinícola de Biscoitos oferece uma paisagem diferenciada, ali se produz o afamado vinho Verdelho dos Biscoitos. E ainda, é possível conhecer o balneário de Biscoitos com piscinas naturais de água azul que contrastam com o negro das formações vulcânicas.

A Terceira também se destaca pelas tradições folclóricas, da qual é exemplo a Festa do Espírito Santo, celebrada anualmente em Maio e as típicas touradas à corda. Outro fator de destaque é a rica culinária terceirense que contempla iguarias regionais como as alcatras de carne e peixe, as sopas do Espírito Santo, e claro, uma enorme variedade de pratos com peixe fresco e marisco. Os doces conventuais, os vinhos e licores também são um convite aos prazeres da ilha. Não deixe de visitar o Museu do Vinho, onde poderá degustar uma infinidade de sabores. 

Ilha do Pico

A ilha do Pico caracteriza-se pela sua montanha majestosa, cujo pico dá o nome a ilha, e se trata da maior elevação do território português. É sem dúvida uma das ilhas mais bonitas dos Açores, causando um grande impacto para os que a visitam. A história da ilha do Pico foi construída sobre a já extinta prática da caça à baleia e sobre as suas tradicionais adegas. É a segunda maior ilha do arquipélago, mas com um clima pacato e bucólico. Sua paisagem mistura a rocha magmática e uma vegetação exótica, a ilha é hoje um indiscutível polo de atração para cientistas, aventureiros, turistas e exploradores. Na reserva florestal da Quinta das Rosas poderá apreciar diversas dessas espécies.
Em 2004, a UNESCO classificou a Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico como Património da Humanidade. Seu estilo peculiar de plantio das uvas, produzido nos célebres currais e a construção de embarcações de pesca em madeira são ícones desta ilha. É imperdível visitar o Museu do Vinho da ilha e a Adega cooperativa. Com um solo pouco propício à agricultura e à criação de gado, a ilha se especializou em atividades relacionadas com a pesca, o vinho e as frutas.

Já a caça às baleias deu lugar, nos últimos anos, ao estudo e à observação de baleias, golfinhos e outros mamíferos marinhos, bem como aos olhares curiosos dos turistas, as excursões saem a partir da Madalena ou das Lajes.  Se quiser conhecer melhor a relação entre as baleias cachalote e a ilha é interessante conhecer o Museu Industrial que fica em São Roque do Pico, e está instalado na antiga Fábrica das Armações Baleeiras, onde existem instrumentos e ferramentas utilizadas na transformação da baleia em produtos como a farinha e o óleo. E o Museu dos Baleeiros localizado em Lajes do Pico, que reúne peças em osso e dente de baleia, assim como diversas ferramentas utilizadas na caça à baleia.

 O Pico apresenta alguns dos melhores locais para aproveitar o clima de ilha e para nadar nos Açores, é frequente o aparecimento temporário de bancos de areia nas suas belas baías.  Sendo também a ilha ideal para quem procura esportes radicais e trilhas. A escalada ao Pico, com 2351 m de altitude, é um desafio para todas as idades e para quem tem espírito de aventura. Da montanha, tem-se uma vista espetacular sobre as restantes ilhas do Grupo Central. Para escalar o Pico, deve procurar guias especializados, a escalada é tranquila desde que se conheçam as intempéries do clima e do terreno. As viagens para o Faial e São Jorge podem ser feitas num barco, que percorre em trinta minutos a curta distância entre as ilhas. A culinária da ilha se destaca pelos mariscos e peixes, mas o vinho sem dúvida é a maior atração.


Ilha do Faial

O Faial é uma das ilhas mais vibrantes e animadas do arquipélago. O porto da Horta é cheio de vida, restaurantes e bares. Reza a lenda que todos os que passam pelo porto têm de deixar uma marca nos seus muros para garantirem uma viagem segura, lá será possível ver as diversas pinturas e desenhos deixados por embarcações de todo o mundo. Nesta parte da ilha é obrigatória uma parada no Peter’s Café Sport. É o bar mais famoso no itinerário dos marinheiros e turistas que ali desembarcam. O interior é decorado com temas náuticos e no exterior encontramos a escultura de uma baleia.
O Faial se diferencia das demais ilhas por suas impressionantes crateras cobertas de plantas verdejantes. A paisagem irregular é uma característica da ilha, proporcionando enormes elevações onde se pode contemplar a sua beleza. Numa dessas elevações, a capela da Nossa Senhora do Pilar se destaca proporcionando ao visitante uma vista de tirar o fôlego sobre a cidade da Horta e a Ilha do Pico da qual já falamos. A pitoresca cidade destaca-se entre as ilhas pelo seu acervo arquitetônico como a Igreja de São Salvador, Igreja de Nossa Senhora do Carmo, e a Igreja de São Francisco, que possui conjuntamente o Museu de Arte sacra e o Museu da Horta. 

A ilha também é voltada para a prática do mergulho de profundidade ou de superfície. A vida marinha do Faial é muito procurada por sua diversidade com variadas cavernas e formações de corais. E com sorte ainda pode ver golfinhos. As excursões de barco para ver os golfinhos e as baleias são diversão garantida. Apesar das baleias poderem ser avistadas ao longo de todo o ano, a probabilidade é maior na Primavera. 

Um passeio imperdível na ilha é a visita ao complexo vulcânico do Capelo, na Ponta dos Capelinhos. A paisagem difere de todo o arquipélago, e da própria paisagem verdejante das ilhas Açorianas. Uma beleza árida e vulcânica demonstra a força da natureza. Este foi o último vulcão em erupção na ilha, com uma peculiaridade, sua erupção foi presenciada e registrada. E pode ser contemplada no complexo que conta com um museu que narra a história do vulcão. A escalada ao Vulcão é um dos passeios mais deslumbrantes e únicos da Ilha do Faial. 

Outra atividade imperativa aos amantes da natureza e de trilhas é o passeio a Caldeira do Faial, esta trilha inicia e termina junto ao miradouro da Caldeira e tem a duração de cerca de duas horas e meia. É uma trilha que pode ser percorrida com facilidade e que por isso não tem sinalização. Não se pode descer até ao fundo da Caldeira, em virtude da ser uma Reserva Natural. No que diz respeito à gastronomia da ilha não deixe de experimentar o polvo guisado com vinho, o caldo de peixe e a caldeirada, são iguarias deliciosas. Entre os doces, as Fofas do Faial são imperdíveis.

O arquipélago dos açores comunga de ilhas de rara beleza, cada uma com sua peculiaridade. Ao mesmo tempo em que possuem extraordinários legados da natureza, revelam traços singulares nas paisagens, tradições, gastronomia ou arquitetura. Os Açores é um lugar imperdível, um local de muitas emoções, que pode proporcionar diferentes tipos de experiências. Basta escolher a sua e fazer as malas.