quarta-feira, 18 de outubro de 2017

CUIDADES PESSOAIS: O tempo e a pele masculina - Sinais e cuidados para cada idade

O tempo passa. Ontem meninos, hoje homens. E nessa passagem, esse companheiro de jornada chamado tempo deixa suas marcas, seus sinais. Além das impressões na vida, o tempo também deixa marcas na pele, algumas dão um charme, mas outras podem mexer com sua vaidade e autoestima. Para você lidar de forma segura, saudável e tranquila com os sinais do tempo a MENSCH conversou com a dermatologista Adeíza Branco a fim de tirar dúvidas e esclarecer sobre os cuidados em cada fase da vida.

O tempo provoca sinais

Cada idade apresenta características próprias, que são fruto da fisiologia do organismo, das heranças genéticas, do estilo de vida ao longo dos anos, da exposição solar e também do tipo e cor da pele. Um homem que vive sob stress constante ou tem hábitos como fumo e ingestão de álcool, vai ter um envelhecimento cutâneo mais intenso que aquele de hábitos saudáveis. Outra influência é a cor da pele associada ao tempo de exposição ao sol. Indivíduos com pele mais clara e que se expõem ao sol sem proteção adequada (filtros solares e vestimentas) vão apresentar danos à pele mais importantes que aqueles que se protegem do sol ou que têm a pele morena.

Em relação às mulheres, a pele masculina leva vantagem por se apresentar mais hidratada e com menor flacidez já que, apesar das peles apresentarem a mesma estrutura, a espessura se difere em relação à produção das glândulas de sebo que geralmente são maiores nos homens.

De modo geral, o que temos para cada fase é:
- 30 anos: surgimento das primeiras rugas ao redor dos olhos (parte mais delicada e exposta ao sol) devido à queda na produção de elastina e colágeno;
- 40 anos: surgem as rugas do “bigode chinês”;
- 50 anos: os sinais do “bigode chinês” se acentuam e se inicia uma flacidez progressiva que leva a queda da estrutura da face. Há também o surgimento de manchas provenientes de exposições ao sol sem proteção.

A prevenção

Cuidar de si e da pele é algo que o homem deve fazer desde sempre. Muitas vezes por uma educação equivocada fruto de preconceitos, os homens não são estimulados a cuidarem de sua pele e deixam para fazê-lo somente quando o caso já precisa de interferências mais rigorosas.

Para prevenção, o cuidado com a exposição solar é sem dúvida a primeira providência. O quanto antes iniciar o uso d-i-á-r-i-o de filtro solar, tanto no rosto quanto nas áreas expostas do corpo, mais protegida ficará a pele e mais tardio se darão aos sinais do tempo. É preciso lembrar que a foto proteção precisa estar atrelada a hábitos saudáveis, como ingestão de líquidos para a hidratação, atividades físicas, higienização da pele, os cuidados com a hidratação e o uso de produtos rejuvenescedores vêm ajudar nessa tarefa.


Como há diferentes tipos de pele, os cuidados também se diferem: as peles mais escuras sofrem menos com os danos causados pelo sol, mas nem por isso deve-se abrir mão dos cuidados de prevenção ao envelhecimento precoce e ao câncer de pele. Os que têm a pela mais clara, devem redobrar esses cuidados. As peles mais seborreicas geralmente, pela maior hidratação, sofrem menos com o passar do tempo. Quem tem pele seca deve estar hidratando, principalmente em climas mais frios e secos.

Uma grande reclamação masculina era em relação escolha do filtro solar. Como a pele masculina é mais seborreica que a feminina, a maior queixa dos homens é que os filtros solares deixam a pele oleosa. Felizmente há hoje uma gama de filtros solares com toque seco e outros que regulam a oleosidade da pele facilitando a adesão dos homens aos tratamentos de prevenção de câncer de pele e de rejuvenescimento. Caro leitor, não há mais desculpas para não usar o protetor solar.

“Uma dificuldade que nós dermatologistas enfrentamos é fazermos o paciente masculino aderir ao uso diário do filtro solar. Existe no comércio uma quantidade grande de filtros solares com as mais variadas cosméticas, mas poucos conseguem se adaptar à pele masculina. Além disso, existe ainda muito preconceito por parte dos homens em usar cremes no rosto.”

Os tratamentos


Uma vez que há uma prevenção eficaz, os tratamentos vão sendo adiados pela falta de necessidade. Contudo, para quem só resolveu perceber a necessidade de cuidados com a pele agora, há vários tratamentos disponíveis, desde os cosméticos aos mais invasivos como as cirurgias plásticas.
Tratamento em potes - A princípio a grande consumidora dos cremes cosméticos era a mulher, até porque eles sempre foram produzidos para elas, como foco na pele delas, o que acabou por não gerar no homem o hábito de cuidados estéticos. Contudo, a indústria farmacêutica está mudando e alguns laboratórios já sentiram a necessidade de trazer produtos direcionados para o sexo masculino. Hoje há linhas inteiras, desde produtos para higienização até produtos para rejuvenescimento da pele do homem o que já é um grande incentivo e uma quebra à resistência masculina em se cuidar.

COMO CONTROLAR E ATÉ RETARDAR OS SINAIS USANDO OS PRODUTOS CERTOS
“Há alguns anos se um homem nos procurava para fazer um tratamento de rejuvenescimento, nós prescrevíamos produtos direcionados para a pele das mulheres. Até as embalagens eram “femininas”. Isso deixava os homens constrangidos e tristes, pois não havia nada direcionado para eles”.


A hora da cirurgia

Que as mulheres encaram muito melhor e facilmente as cirurgias estéticas, isso é bem verdade. Mas é bom deixar claro que tal procedimento não é exclusividade feminina, em algumas situações elas acabam sendo a melhor opção para os homens que querem cuidar melhor da sua aparência.

E quando buscar a cirurgia? Segundo a dermatologista Adeíza Branco, são vários os fatores para responder essa pergunta: o grau de flacidez da pele, a quantidade de rugas e a disposição para o procedimento. Como hoje temos um vasto arsenal terapêutico que envolve desde modernos cremes com capacidade para melhorar a textura e rejuvenescer a pele até procedimentos minimamente invasivos como a toxina botulínica, estimuladores de colágeno, preenchedores e os mais variados tipos de laser, a cirurgia pode ser adiada.

Um detalhe da cirurgia plástica no homem que deve ser pesado no momento de decidir pelo procedimento é a questão das cicatrizes. Para as mulheres, esconder as cicatrizes da plástica é mais fácil, pois podemos deixar os cabelos grandes cobrindo as orelhas e o uso de maquiagem ajuda bastante. Para o homem esses truques não são usados com frequência expondo mais facilmente as cicatrizes da cirurgia. Pense nisso antes de encarar esse tipo de tratamento mais invasivo.


Dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica apontam os tipos de cirurgia que os homens mais procuram: blefaroplastia, que são os procedimentos nas pálpebras, o lifting do terço médio da face, pescoço/papada, reposição da perda volumétrica do rosto, rinoplastia e cirurgia para corrigir bolsas sob os olhos. O mais engraçado de tudo é que diferente das mulheres que saem contando para as amigas as cirurgias que vão fazer ou fizeram, os homens pedem total segredo. Que bobagem meninos! 

Outra diferença é na recuperação, visto a diferença da pela masculina para a feminina. Enquanto nos homem os sinais do tempo tendem a demorar mais a aparecer do que nas mulheres, quando aparecem tendem a ser mais profundos o que torna a cirurgia mais complexa e delicada tecnicamente, isso implica em maiores sangramentos e inchaços e uma recuperação mais lenta.

Os resultados - Para Doutora Adeíza Branco, a principal questão na resposta aos tratamentos é a adesão do paciente. As propostas de tratamento são boas e variadas, mas se não houver compromisso com os tratamentos os resultados infelizmente serão aquém do desejado, para homens e mulheres. E o que ainda se nota é que realmente as mulheres são mais preocupadas com o assunto rejuvenescimento e assim são mais fieis as prescrições. E que os homens aprendam com as mulheres a se cuidarem sem nenhum tipo de vergonha ou constrangimento.

SERVIÇO

Clínica Adeíza Branco - Galeria Santo Antônio. Av. Fernando Simões, 22, sala 1201 - Recife/PE -CEP 52050-260 - (0xx)81 3467.8997 - abcdermato@hotmail.com


Acompanhe a MENSCH nas redes sociais: @RevMensch

terça-feira, 17 de outubro de 2017

CAPA: Jonathan Azevedo colhe o sucesso de seu "Sabiá" em "A Força do Querer!

Ele chegou tocando o terror e o que era para ser uma participação pequena terminou caindo no gosto do público e trazendo para a história da novela “A Força do Querer” um toma mais realístico e dramático. Jonathan Azevedo tem uma história de sucesso e batalhou para seu lugar ao sol. Ele veio do morro e com suas escolhas, e uma boa orientação familiar que fez a diferença, Jeferson foi traçando seu futuro. Prova vida de que as artes, seja a música ou o teatro, pode transformar o homem esteja ele em que situação estiver. Todo mundo temeu o Sabiá traficante do morro mas ao mesmo tempo todo mundo adorou ver esse ator trazendo tanto talento e dedicação a um trabalho. Que venha muito mais!

Jonathan, o Sabiá tem sido um divisor de águas na sua carreira? Soube que o personagem seria só uma participação e terminou ficando fixo até o final. Sim, com certeza. Do Sabiá pra cá, muitas coisas mudaram na minha vida, ainda estou tentando me acostumar. Costumo falar com meus amigos, que o Sabiá é só o carimbo do passaporte para muita coisa que tem por vir. Sabiá era pra ser só uma participação e acabou conquistando o público, e, ficando até o final da novela. Trouxe muitos elementos, principalmente, vocabulário das comunidades do Rio para novela. Acredito que isso fez o sucesso do personagem! 

Como tem sido a reação do público? Por ele ser um grande bandido qual a reação do povo na rua? As reações do público são as melhores. Eu ando pelas ruas, shoppings, praias, tem sido difícil, graças a deus(risos). Fui ao shopping, dia desses, pagar uma conta de telefone. Coisa que levaria de 15 a 20 min, hoje, demora umas 2 horas pela quantidade de fotos que pedem para tirar comigo. O shopping para, é tudo muito engraçado pra mim. Está sendo uma coisa maravilhosa! 


Talvez grande parte do público tenha conhecido o Jonathan ator agora com esse personagem. Mas como começou sua trajetória até chegar ao Sabiá? Uma longa jornada. Aos 15/16 anos conheci uma galera do Nós do Morro. Via como eles eram felizes, e quis fazer teatro também. Quando fui assistir à primeira peça, vi um personagem que tinha uns 80 anos e quem fazia era um rapaz de trinta. Conversando com o ator ele me disse - Sou eu mesmo, no teatro posso ser quem eu quiser. Ali, eu descobri o que queria ser na vida. Fui pra uma escola de teatro da Marisa Orth e do Gringo Cardia. Lá, um professor falou que eu deveria seguir no Nós do Morro e que se eu quisesse ser feliz, eu nunca deveria sair do palco! Comecei a estudar cada vez mais, fiz o teste no Nós do Morro, passei, depois fiz faculdade de Artes Cênicas. Nessa trajetória foram diversos filmes, cerca de 16 longas, diversas participações em novelas e series, fiz Malhação que foi incrível, mas com Sabiá está sendo essa explosão. Está sendo maravilhoso, pois estou podendo mostrar não só os personagens mas também o Jonathan Azevedo. Acredito que tudo aconteceu no tempo certo. Consegui estar preparado para viver tudo isso, preparei minha cabeça, minha alma. Minha proposta com arte sempre foi levar não só alegria, alegria, mas também amor e paz aonde eu passasse com minha interpretação. E vejo que estou conseguindo. 

Você foi criado no Vidigal. Criado por pais adotivos. Como foi sua infância no morro e quando despertou para as artes? Sempre teve apoio dos pais? Na verdade, eu nasci na Cruzada São Sebastião, uma comunidade localizada no Leblon.  Sou filho adotivo sim, meus pais sempre me deram muito amor e carinho. Amo muito tudo que aconteceu na minha vida, essa também é uma parte maravilhosa da minha trajetória. Mesmo sendo adotivo, meus pais me apoiaram em tudo que eu fiz, sempre estiveram do lado. Quando fui pro teatro, me apoiaram mais ainda. Nem sempre vemos isso acontecer, tenho muitos amigos que falaram aos pais que queriam ser atores e não receberam apoio. Comigo foi o contrário! Eles fizeram de tudo para me dar condições de estudar, fazer faculdade. Graças a Deus o investimento deles está dando certo! Crescer na comunidade me ensinou muito sobre coletividade, sobre familiaridade. Isso tudo ajuda muito no Sabiá também. 

A novela A Força do Querer fala muito de escolhas que fazemos e daí vem suas consequências. Como foi o caso do seu personagem e de Bibi (personagem de Juliana Paes) que vivem uma ilusão da vida fácil. Como foi pra você vivenciar tudo isso através dos personagens de vocês. Como isso te tocou? Essa é uma ótima pergunta. Conversamos muito sobre isso no set, eu, Juliana, Emilio e Hylca, temos muito essa preocupação do que está sendo passado pro público. Fazemos uma reflexão muito boa sobre a novela, não só sobre o poder das escolhas, mas também da atitude de cada em relação às suas escolhas. Cada um tem que arcar com as consequências de suas escolhas, pode ser depois de um tempo, ou até mesmo na mesma hora. Isso atinge você e atinge quem está à sua volta, amigos, familiares. No caso da Bibi, o que ela passa com a mãe, com o filho. 

Na sua vida as escolhas certas fizeram muita diferença. Tanto a escolha de seus pais em te adotar, quanto à sua escolha em seguir essa carreira. Ambas muito bem sucedidas. Para você o que faz a pessoa fazer boas escolhas? Com certeza. É um privilégio poder ser escolhido pelos seus pais. Acho que pra tudo dar certo no meio dessas escolhas, o grande segredo é a família por perto, o apoio de quem você ama. Saber que mesmo não dando certo, você terá apoio. Não se resume só às escolhas, mas também à estrutura que você tem. Minha família e amigos me deram muito esse suporte e aprendizado sobre energia, amor. Sempre penso positivo e acredito que isso faz tudo acontecer no tempo certo e da maneira correta. 

Hoje em dia com toda informação que temos, parece que as pessoas estão retrocedendo e casos de racismo e preconceito estão cada vez mais comum. Como lida com isso? Como você enxerga isso? Uma pessoa preconceituosa, pra mim, é uma pessoa que tem um vazio muito grande que não conseguiu preencher. Vejo como uma falta de amor, falta de afeto, coisa que tive muito na minha vida. Meus pais me ensinaram muito a levar amor a quem precisa. Nem todo mundo, teve a oportunidade de receber carinho, amor, como eu tive, como diversas pessoas tiveram. Quando você tem esse amor, não escolhe classe, cor, opção sexual, você só quer viver esse amor. Levo essa questão do racismo com o maior carinho, não levando bandeira, mas tento abraçar essa pessoa que têm dificuldade de lidar com o ser humano, seja lá ele quem for. Tento levar a mensagem de que só amando e respeitando o próximo se chega a algum lugar. Preconceito precisa de muito amor para ser compreendido. 



É com sua arte e seu talento que você mostra seu real valor. A arte tem o poder de modificar as pessoas (quem pratica e quem consome). Você acredita que seria uma boa “arma” para combater a violência e mostrar um futuro com melhores escolhas? Essa pergunta é incrível e deveria ser feita para o Brasil. Outro dia, um rapaz me perguntou, na rua, o que eu acho que deveria ser feito para mudar o Brasil. Eu respondi: eu tive oportunidade de me educar e olha o que aconteceu comigo. Sou a resposta dessa pergunta. Ter a oportunidade de estudar e a liberdade de escolher a profissão, mudaria tudo nesse momento que o o Brasil, e mais especificamente, o Rio está vivendo!

Falando em arte... Você faz parte do banda Melanina Carioca, que faz sucesso e virou uma referência faz muito tempo. Como surgiu a banda e como você se realiza através da música? A música e a banda Melanina representam meu lado poético. Amo poesia, adoro escrever minhas poesias.  Através da música, posso dar vida a isso.  Sobre o começo do Melanina Carioca, o Jonathan Haggenzen tinha acabado de sair da Fazenda(reality show), fizeram uma festa para ele. E tinha vários amigos com projetos musicais na festa, acabamos nos unindo no palco para cantarmos juntos. Juntamos umas 12 pessoas no palco. Um contratante amigo estava na festa e perguntou se a gente topava levar aquela galera para fazer um show na casa dele no Leblon, numa quinta-feira. Ensaiamos na mesma semana na casa da Roberta Rodrigues, fizemos uma quinta, depois voltamos na outra quinta, e nas outras seguintes e nunca mais paramos! Rodamos o Brasil todo com a banda! Vivemos esse amor intenso até hoje!

Ao contrário de seu personagem Sabiá, você é um cara positivo, alto astral e paz e amor. O que te motiva no dia a dia? Sou mesmo, amo levar positividade, amo abraçar, amar, ser feliz! O que me faz acordar assim, todos os dias é saber que tem algo maior do que todo esse nosso ódio, nosso ego, que gira em torno do mundo que nós vivemos. Nessa minha jornada, cada vez sinto mais uma sensação de amor e ver que isso está dentro de mim. Uma  luz grande que me dá uma vontade imensa de levar esperança a quem não tem esperança no amanhã. Levar fé e amor para aqueles que não desfrutaram disso nessa vida, é isso que faz o diferencial no dia a dia de cada um. Às vezes a pessoa ganha carro, ganha casa, mas não ganha carinho. Isso dificulta saber lidar com as coisas que você tem, saber dar valor a si mesmo. É isso que tento levar às pessoas. 



Nessas fotos você está cheio de estilo. É um cara vaidoso? Até que ponto? Sou um cara vaidoso, até o ponto que a moda me deixa ser vaidoso. Sou uma pessoa vaidosa, até o ponto em que eu consiga não me machucar com a minha própria vaidade. Nem sempre é preciso ter a melhor roupa, o melhor óculos. A  moda, o estilo, partem de você. A partir do momento que eu aprendi que meu estilo é meu jeito de ser, eu acabei matando meu ego, e, me arrumar, me manter no estilo, virou mais prazeroso! 

O que Sabiá vai deixar para você? Sabiá vai deixar uma certeza de que se trabalhar com amor, com honestidade e carinho, não tem como dar errado. Vai deixar também uma família grande que construí dentro desse processo de gravações. Vai deixar que sucesso e fama são coisas diferentes. A fama tem a boa e a ruim, ela vem e vai de um dia pro outro, tudo muito passageiro. O sucesso vem com muito trabalho, honestidade e gratidão. Sabiá me ensinou a viver cada segundo e abraçar cada oportunidade. 

Já tem planos para novos projetos? Diversos planos e projetos. Tenho o Neggs, um projeto de música junto com Jefferson Brasil, um irmão meu, também do Melanina Carioca. Fazemos uma mistura de rap nacional com a nossa vontade de se expressar. Já estamos armando um show pro verão, vem muita música por aí. E tenho certeza que até o verão também estarei de volta à TV, estamos trabalhando nisso, podem aguardar o pretinho aqui de volta! 


EDITORIAL: Um final de semana à dois

Um casal de férias e um hotel incrível como cenário. Essa é a proposta desse ensaio com looks para usar tanto durante o dia na piscina até um jantar mais romântico à noite. E o hotel Gran Meliá no Rio de Janeiro não poderia ser mais perfeito para esse encontro.











Beleza Gabriel Ramos
Modelos Lucas Bernardini e Fernanda Vaes
Agradecimento Mônica Mendes Communications

Agradecimento especial Gran Meliá Nacional Rio (locação) - Av. Niemeyer, 769 - São Conrrado - Rio de Janeiro / RJ - CEP 22450-221
Informações: +55 11 3043.8484 - granmelia@melia.com.br - @granmelianacionalrio


Van der Volke (47) 3212-7667 / Ricardo Almeida (11) 3887-4114 / Democrata 0800 34 15 00 / Replay www.replayjeans.com.br / Panna www.penna.com.br / Tods (11) 3031-0676 / Raffer (45) 3222-4734 / Poseibon (51) 3777-1047 / Avizo (44) 3624 4040 / Diviníssima (37) 98831 8221 | (37) 98801 9091 / Forum (11) 3085.6269 / Redley (21) 3469-4836 | 2401-2386 / Cantão (21) 2618-3353 | 2618-3383 / Dress to 0800-021-8081 / Estela Geromini (11) 5542-7861 / Euro (11) 2394-8375 / A.Brands www.abrands.com.br / Agathos (47) 3332-5081 / Fossil (11) 2394-8376 / Tutu (41) 3311-1530 / Diesel (11) 3071.1253 / Monica Pondé (21) 2249-1729 / Havaianas (11) 3003.3414 / Ray Ban (11) 49352326 / BumBum (21) 2450-3438 / 2450-5169 / Blank Space Tr3 Showroom (11) 3034.6295 / Le Diamond (19) 3038-1906 / Longchamp +33 1 55 90 59 69 / Forever 21 +1 213-741-8257 / Drazzo (37) 3214.1507

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

FOTOGRAFIA: O amor e as mulheres de Shakespeare

Os amores e tragédias de Shakespeare sempre renderam filmes, peças e inspiração para diversas expressões artísticas e culturais ao longo do tempo. Mesmo sendo obras tão antigas ainda servem como referência a criações atuais. Como a nova exposição do fotógrafo carioca Sergio Santoian (um velho parceiro da MENSCH que volta com carga total), juntamente com a fotógrafa Cintia Orth, que trazem novas inspirações dentro do tema Shakespeare.

Se observarmos as obras de Shakespeare, amor e morte são impossíveis de fato, mas, de direito, são aquilo que mobiliza a vida, mantendo o desejo vivo. Em Romeu e Julieta (1596), Shakespeare trata desse amor impossível e de como esses dois jovens, por intermédio dessa impossibilidade, se mantêm vivos enquanto desejo.

Já em Otelo (1604), Shakespeare nos apresenta Iago, talvez o personagem mais ardiloso de todas as suas peças. Nesse caso, é a impossibilidade de amar de Iago, que é vingativo e quer destruir Otelo por sentir-se preterido, que revela como Iago não sabe o que é viver. Ao se deixar levar pelas artimanhas de Iago, Otelo acaba assassinando sua amada, Desdêmona.

Em Hamlet (1601), Ofélia, ao se encontrar em um desespero trágico com a morte do pai e a impossibilidade do amor de Hamlet, torna a loucura a única saída possível para sua vida. E em Macbeth (1607), o amor e o poder são igualmente fortes na personagem Lady Macbeth. Sua ambição a leva à conquista do poder e a uma influência sobre o marido. Ao agir e reagir, enlouquecendo como forma de encarar os acontecimentos na sua vida, sem negá-los, ela acaba enfrentando a morte. E, por estar submetida à lei do desejo, pode morrer.

POR QUE SHAKESPEARE HOJE - AINDA?

Após quatro séculos da morte de Shakespeare, é incontestável a sua contemporaneidade. Ao explorar os temas da condição humana, esse autor nos revela o espetáculo de tramas, os labirintos da alma, e nos aponta questões sobre a contraditória essência humana. Ao construir histórias, nem sempre originais, sobre amor, política, relacionamentos humanos, cobiça, etc., Shakespeare não nos conta somente um enredo, ele põe em questão o que é viver.

Shakespeare construiu personagens cheios de contradições, que carregam a consequência dos seus atos e estão dispostos a enfrentar o seu destino. É a própria vida que se apresenta na inconstância dos sentimentos, na oposição entre criação e destruição, amor e poder, sofrimento e alegria. Razão e emoção são inseparáveis nos seres humanos. Não são deuses que orientam esses personagens, eles são de carne e osso, são homens vivos, vítimas e algozes, que têm medo. Mas não é o medo que determina as suas escolhas, e sim o desejo. Eles estão sempre em posição de agir, tomados por forças igualmente poderosas que podem puxá-los para um lado ou para o outro, e seja qual for o caminho, ele será sem volta. Mesmo os atos mais terríveis ocorrem por meio da escolha humana. Os personagens constroem e vivem o seu destino.

O objetivo da exposição é traçar um paralelo entre fotografia e teatro. Para isso, cada um dos fotógrafos escolheu uma atriz que dará vida as quatro personagens Shakesperianas. Assim, teremos uma exposição com dois fotógrafos, duas atrizes, dois olhares, duas interpretações, quatro personagens.

As atrizes escolhidas são: Júlia Foti por Sergio Santoian (loira) e Joana Mendes por Cintia Orth, além da participação do ator Bruno Lopes como Romeu. Jonathan Azevedo



SERVIÇO: Abertura: 01 de novembro as 19h
Até 30 de novembro, de terça a sábado das 16h às 21h
Solar de Botafogo (RJ)

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

ESTRELA: Carla Diaz rouba a cena (e Rubinho) em "A Força do Querer"

Ela chegou chegando na novela das 9h, “A Força do Querer”, e mostrou que não estava pra brincadeira e nem se intimidou com a força de Bibi (personagem de Juliana Paes). Carla Diaz entrou para infernizar a vida da personagem Bibi e de imediato caiu nas graças do público e da autora Glória Perez, que à trouxe de volta para o horário nobre da Globo. Carisma e talento, talvez essa seja a receita de sucesso de Carla, que esse ano completou 25 anos de carreira (já!!), e tem agarrado oportunidades de trabalho como essa e subindo cada vez mais como uma grande estrela. A prova também está aqui, Carla volta para sua 2a capa da MENSCH em menos de seis meses. Fato inédito, diga-se de passagem! Razões para esse sucesso todo não lhe faltam, e pelo jeito vem muito mais por aí. Coisa que ela nos conta nessa matéria exclusiva.

Carla como surgiu esse convite para entrar em "A Força do Querer"? Foi pega de surpresa? Fui pega completamente de surpresa, já estava ansiosa para voltar a TV, desejava uma personagem que pudesse me dar a oportunidade de mostrar uma Carla que o público ainda não tivesse visto. E essa oportunidade veio na hora certa e inesperada, um dia meu telefone tocou e era a Ro Quintaes, produtora de elenco, me convidando para a novela. Não tinha como comemorar meus 25 anos de carreira de uma forma melhor. 

Esperava essa repercussão toda em cima da personagem? Não esperava tamanha repercussão, pois quando entrei na novela ia fazer uma participação. E para a minha felicidade, a personagem foi tão bem recebida pelo público e pela equipe que vou ficar até o final da trama. Também me surpreendi com o quanto a Carine está sendo querida nas ruas, pensava que ela seria odiada, mas acho que as pessoas viram nela um jeito da Bibi abrir os olhos em relação ao Rubinho. E com as sequências de briga, onde a Carine quase sempre perde, só tenho visto as pessoas com dó da personagem, mesmo ela estando errada.

Acredita que está sendo um divisor de águas atual na sua carreira? Acredito que sim. A Carine chegou como uma grande mudança na minha vida, tanto pessoal como profissional. Vou ser eternamente grata por esse presente.

Que desafios a Carine está te trazendo? O grande desafio está em fazer uma personagem muito diferente de mim e de tudo que já fiz. Ela tem um "que" de vilã somado a uma comédia irônica. Carine é charmosa e ardilosa ao mesmo tempo.

Como está sendo encarar Juliana Paes nas filmagens? E muita diversão? Está sendo incrível, a Ju e eu pensamos muito parecido, nos entregamos sem medo para as cenas e essa parceria, junto com uma dedicação de uma equipe inteira, e comandada também pelo diretor Allan Fiterman, que é o responsável pelo núcleo do Morro do Beco, está podendo produzir um conteúdo com muita veracidade e que caiu no gosto popular.


Qual sua reação se uma Carine aparecesse no meio de uma relação sua na vida real? Prefiro nem responder... (risos) Nunca parei para pensar nisso, mas sou intensa e fiel nos meus relacionamentos. 

O assédio aumento por conta da personagem? Como tira de letra? Aumentou muito, desde crianças às vovós. E os comentários que escuto são os melhores, mas todo dia recebo vários pedidos de casamento! Me divirto!!! (risos)  

O que um homem precisar ser para chamar sua atenção? O que te atrai? Gosto de homens decididos e com bom humor.

Quando quer seduzir que "armas" usa? Isso é segredo! (risos) Mas sou muito direta e sincera quando estou interessada.

Reta final de novela... Já tem planos futuros? Muitos. Mas alguns ainda não posso contar... posso adiantar que vem novela e um espetáculo também.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

CINEMA: Breno Silveira emociona mais uma vez com seu novo filme, "Entre Irmãs"

Fomos conferir a pré-estreia do filme “Entre Irmãs” (que entrou em circuito nacional nessa quinta 12/10) em Recife, cidade onde se passa grande parte do novo longa do diretor Breno Silveira. Cinema lotado, presença de parte do elenco e uma expectativa geral do que vinha pelas próxima 2h40 de projeção. Antes do filme começar um breve agradecimento do diretor e um sincero depoimento da atriz Nanda Costa que falou sobre o convite para participar do filme num momento em que ela se questionava sobre sua profissão como atriz.

O filme se passa nos anos 20 e 30, começando no Sertão de Pernambuco. Terra seca e sem muitas expectativas de futuro. Menos para a personagem Emília, interpretada com verdade nos olhos pela ótima atriz Marjorie Estiano, que sonha com um príncipe e um futuro bem diferente. Sua irmã, Luzia, magistralmente interpretada por Nanda Costa, é dura e seca como a região. De poucas emoções e um braço aleijado. 

A vida dessas duas irmãs, que moram com a tia Sofia (Cyria Coentro), muda radicalmente com a chegada do bando do cangaceiro Carcará (Júlio Machado) que leva Luzia com eles. Emília segue seu rumo e vai para a cidade grande, Recife lindamente filmada, para anos depois as duas se reencontrarem e perceberem o quanto tudo isso mudou o destino de cada uma, porém mantendo o elo entre as irmãs. É nisso que o diretor arrebata o público e toda a plateia de diferentes formas, mas com muita emoção.

Filmado ano passado e trazendo os anos 30 como pano de fundo, o filme traz à tona questões super atuais como preconceito, sexualidade e a força da mulher. Afinal se trata de uma história onde as mulheres estão no comando, com duas protagonistas fortes e ferozmente interpretado por Nanda e Marjorie. Destaque também para a personagem de Letícia Colin, sempre muito competente e linda, como a moderninha Lindinalva, e o Carcará de Júlio Machado. Em entrevista para a MENSCH Júlio comentou que o sertão tomou conta dele e as dificuldades só contribuíram para o filme, - “o calor, o ar seco, tudo isso contribuiu para que a gente fosse afetado fisicamente pela sensação e pelo estado de viver ali. Provavelmente o que aquele homens sentiram naquela jornada”, comenta. 

Quinto filme de Breno Silveira, em parceria com a roteirista Patrícia Andrade, que adaptou com certa liberdade, o livro "A Costureira e o Cangaceiro”, de Frances de Pontes Peebles, para as telonas. A parceria entre Breno e Patrícia vem dando belos frutos (todos os cinco filmes de Breno são em parceria com Pattrícia) como já aconteceu com o aclamado “Os Dois Filhos de Francisco” e “Gonzaga: De Pai pra Filho”. “Quando fiz “Os Dois Filhos de Francisco” eu peguei o pai para falar de Zezé, e quando eu fiz “Gonzaga” eu peguei o filho para falar de Gonzaga. Aí eu falei, tem que ter alguém perto de Lampião para ser a impressão daquela pessoa sobre Lampião. E não ele na primeira pessoa. Foi quando eu comecei a pesquisar Maria Bonita mas tinha muito pouco registro. Maria Bonita não dá um filme. Quando me chegou às minhas mãos um livro que ficciona tudo isso. Ele fala do cangaço, de Maria Bonita... mas é uma ficção, não é uma realidade. Que é o livro da Frances”, comentou Breno.

Veja entrevista MENSCH com parte do elenco de "Entre Irmãs":



Veja cenas dos bastidores do filme:



quarta-feira, 11 de outubro de 2017

VAIDADE MASCULINA: Novas técnicas da cirurgia plástica masculina












































Sabemos que, há muito tempo, a procura pela cirurgia plástica não é mais uma escolha só das mulheres. Os homens estão cada vez mais empenhados no cuidado com a beleza e bem estar. Para entender melhor essa nova onda no público masculino, conversamos com o cirurgião plástico, Gabriel Basílio, que atua na Clínica Inova e na Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ.

Segundo ele, a harmonização facial e seus modernos conceitos estão em alta com toxina botulínica e ácido hialurônico de diferentes densidades e que permitem que o cirurgião plástico devolva o volume perdido com o processo de envelhecimento e acabe com as indesejadas rugas de expressão que conferem um ar de cansaço. E a novidade para esse verão que já está na porta, a lipoaspiração da região dos flancos e abdome, ajudam na eterna busca do abdome trincado. "como tendência forte, vejo os implantes peitorais masculinos cada vez mais naturais e com incisões discretíssimas nas axilas sem ninguém perceber que o homem os possui.", diz Gabriel.



Uma preocupação geral dos paciente é em relação a diferença mínima de idade (homem/mulher) para uma cirúrgica plástica. “Depende muito da personalidade e dos desejos de cada um. Na verdade, enxergo uma confluência dos desejos: saúde, bem estar e jovialidade, sempre parecendo naturalmente rejuvenescido seja com qual for o procedimento realizado”, comentou.

Para Gabriel, os conceitos de beleza catapultados pelas redes sociais – com rostos e corpos sempre belos – podem gerar frustrações em quem não os possui ou em quem acha que tudo o que está em evidência na internet é real. “Ao contrário de fazer bem, podem acabar com a autoestima e / ou levar a uma busca infundada e irreal pela forma perfeita que, às vezes, não é a melhor para aquela pessoa. Por isso, o bom cirurgião plástico sabe diagnosticar essas nuances de comportamento e sugerir, de forma elegante, o melhor tratamento na melhor época para realizá-lo.

Porém, como tudo na vida, é necessário ter limites. "É importante dizer “não” para algum paciente por acreditar que seria um excesso da parte dele. A tradução dos desejos dos clientes devem passar pelo crivo do diagnóstico e serem muito bem avaliados pelo profissional competente. O que as técnicas de toxina botulinica e preenchedores faciais podem fazer ao rosto de uma pessoa podem valorizar seus aspectos positivos como também podem destruir uma imagem harmônica.", avalia.



O QUE MAIS OS HOMENS PROCURAM, CORREÇÃO FACIAL OU CORPORAL?

Segundo Gabriel, isso vai depender muito da idade e, certamente, com o envelhecimento, o foco passa mais para a face além do corpo que chama a atenção das pessoas mais jovens. “Mas percebo, hoje em dia, que a harmonia fala mais alto – um copro belo requer um rosto igualmente representativo. No meu ponto de vista, não tem a ver com a idade, mas com a mensagem de bem estar e valorização dos aspectos positivos independentemente da idade que se tem”, comentou.

CUIDADOS CONTRA O ENVELHECIMENTO PRECOCE?

Uma dica básica é manter hábitos de vida saudáveis: dormir bem, tanto em número de horas como qualidade do sono, alimentação balanceada que vai além das dietas da moda, ingestão hídrica – a hidratação é fator crucial anti-envelhecimento.  Fora questões emocionais como gostar de si mesmo, cultivar bons pensamentos, ações e aproveitar a vida de maneira leve.

Segundo Gabriel, um dos grandes avanços na área da cirurgia plástica é a melhora nos efeitos dos procedimentos. “Isso, para mim, é o mais importante. Estou muito impressionado com os estudos moleculares do auto-enxerto de gordura no processo de rejuvenescimento facial. E as novas técnicas de valorização e harmonização facial com toxina botulinica e ácido hialurônico.”, conclui.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

EDITORIAL: Happy Hour - Muito estilo e elegância mesmo no fim do expediente

Muito estilo e elegância mesmo no fim de expediente. Hora de relaxar e curtir com os amigos alguns bons momentos. São ternos para o trabalho que cabem perfeitamente para uma esticadinha depois do trabalho. Para isso é bom ficar atento às combinações, caimento e conforto.










Fotos Rodrigo Marconatto     
Agradecimentos Ricardo Almeira (11) 3887.4114 
Modelos Felipe Carning (Closer Models) / Eduardo Riffel  (Ford Models) / 
Ed Saldanha (Way Models)

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

ESTILO: Os homens e as meias, uma combinação que deve ser perfeita

Ela costuma ser fetiche nas pernas femininas e desanimadoras nos pés masculinos na hora H. De algodão, microfibra, colorida, branca, padrão ou ousada a verdade é que a meia é peça quase que obrigatória no guarda-roupa masculino desde os primórdios dos tempos.

Segundo o consultor de estilo, Lula Rodrigues, ancestrais do que hoje conhecemos como meias foram encontradas em múmias egípcias e em sítios arqueológicos do Oriente Médio. Na Grécia antiga havia os soccus, sapatos usados por atores cômicos de teatro que deram origem as socks (meias em inglês). Já no renascimento surgem as stockings, meias que iam até a metade da perna, como uma espécie de legging pra em seguida surgirem as calças compridas como as conhecemos hoje.

Para além da proteção contra o frio e o suor, as meias se tornaram peças de moda, que valorizam estilos e produções variadas. E de tempos em tempos vale lembrar o que ter, o que usar, quando e como. Vamos lá?! A dica geral é sempre manter sapato e meias na mesma escala de tons da peça principal. No mais é só seguir as combinações abaixo:




COM OU SEM MEIA

Para ocasiões formais ou o uso de terno, o uso da meia é obrigatório. Sapato preto, sempre estará acompanhado da meia preta, salvo se a calça for num tom muito próximo do preto, como o azul marinho, quando a meia poderá ser marinho (mas é melhor não arriscar e ir de preto mesmo).


EXEMPLO: Os sapatos marrons, principalmente nas cores mais escuras, como o café, vai muito bem com ternos e calças na cor cinza, aí você poderá usar as meias na cor da calça ou da cor do sapato.

Para ocasiões mais informais, como o uso do jeans, poderá se usar um sapato (sem cadarço), mocassins ou mesmo um sapatenis, sem a presença das meias. Neste caso, seguem duas dicas; passar um talco antes de colocar os sapatos nos pés ou usar aquelas meias mais curtas. Não se preocupe se aparecer um pedaço do pé, pois é bem melhor que aparecer uma meia branca, por exemplo.

(Obs: não precisa usar a calça com a barra dobrada, com um bom jeans e uma camisa social, um sapato com o bico mais fino, sem as meias, ira compor uma roupa ideal, tanto para trabalhar, quanto para a balada).

A MEIA IDEAL 


Por falar nela, a meia branca  fica bem acompanhando seu tênis de ginástica, ou um look de bermuda ou short bem esportivo, mas bem esportivo mesmo, hein?! Vale frisar, que as meias também devem ser curtas e limitadas até a altura do tênis. (para evitar aquele “grande encontro” da meia com o short.