quinta-feira, 17 de abril de 2014

ENTREVISTA: Rômulo Estrela revela seu talento "além do horizonte" (e nessa entrevista)

Rômulo Estrela é antes de tudo disciplinado e para ele isso faz toda a diferença na vida pessoal e na carreira artística. Natural de São Luís já é praticamente um carioca da gema e sempre que tem tempo vai ao cinema e ao teatro, aliás, duas coisas que estão entre seus planos. No ar em Além do Horizonte, Rômulo nos falou sobre sua trajetória e sobre o caráter do seu personagem, um advogado alpinista social. 

Você é natural de São Luís do Maranhão. Como é a vida artística por lá e quando resolveu seguir carreira de ator e se mudar para o Rio? Em 2001 fiz uma oficina de interpretação em São Luís e descobri que queria seguir a profissão de ator e no ano seguinte mudei para Rio de Janeiro. São Luís tem um enorme potencial artístico em diversas áreas, mas falta fomento para que o horizonte cultural se amplie lá. Acredito também que o fato de São Luís preservar tanto seu regionalismo, acabe por inibir a entrada regular e rotineira de outras formas de expressão artística.  


Talento, competência, senso de oportunidade, sorte e persistência são bons ingredientes para quem quer alcançar um objetivo na vida, seja profissional ou pessoal. Em que medida tem cada um deles na sua vida? Concordo e acredito que cada um desses elementos citados na pergunta seja importante. Gostaria de acrescentar a disciplina como elemento primordial também. Costumo dizer que toda vez que a sorte bateu na minha porta, ela me encontrou trabalhando…(risos). A vida contemporânea tem se apresentado de forma muito caótica, excessiva...Foi daí que entendi o valor da ordem e da disciplina, do contrário a gente corre o risco de se perder.        

Além da família do que sente falta da época que morava em São Luís e gostaria de ter no Rio? Tenho um carinho muito especial pela minha cidade, pelas tradições e pela atmosfera que envolve a ilha de São Luís. Tenho amigos incríveis aqui no Rio, mas sinto falta dos amigos de São Luís...Seria perfeito juntar essas pessoas em um único lugar.

O que fez para se preparar para a carreira de ator? E o que continua fazendo para estar sempre aprendendo e se aprimorando? Estudo, leio, observo, assisto a filmes, faço aulas de interpretação…A vida é um grande laboratório para o ator e o artista de um modo geral. Tomei consciência de que sem essa busca pelo conhecimento seria impossível fazer arte. Procuro otimizar meu tempo em todos os sentidos. É algo como o título do monólogo que a Fernanda Montenegro fez sobre a vida da Simone De Beauvoir: “Viver sem Tempos Mortos”.

O personagem Minotauro na novela “Da Cor do Pecado”, na Rede Globo foi o seu primeiro personagem, confere? Como recebeu o convite e de que forma encarou essa oportunidade para a sua carreira? Sim confere. Fiquei feliz com a possibilidade de fazer o meu primeiro personagem na TV ainda que como elenco de apoio. Foi muito desafiador, eu já tinha feito algumas participações antes da novela, mas esse personagem foi o primeiro trabalho que fiz do início ao fim de uma obra, o que exigiu bastante dedicação e atenção. Compartilho a ideia de que todas as oportunidades são únicas e precisam ser aproveitadas ao máximo. 

Até chegar à “Além do Horizonte”, recentemente sendo exibida no horário das 19h na Globo, você fez alguns papéis na Record e outros também na Globo, quase que intercalando entre uma e outra. O que acha mais bacana para o ator, ser contratado por projeto ou ter contrato fixo, sendo exclusivo de uma emissora só? Essa é uma pergunta onde a resposta pode variar de acordo com o momento do ator. Claro que dentro de um mercado tão competitivo e difícil como é o mercado artístico, a tentação por um contrato fixo com uma emissora é enorme, traz segurança. Mas sem dúvida um contrato longo também apresenta suas limitações, sobretudo com relação ao cinema, ao teatro e mesmo a projetos independentes. De certa forma a televisão limita o campo de atuação do ator e ter liberdade no terreno da criação é fundamental.  

Tanto na Record quanto na Globo, você tem participado de algumas histórias que beiram o realismo fantástico, como na novela “Os Mutantes” e agora em “Além do Horizonte”. Em que você acredita e no que não acredita de jeito nenhum? Como ator preciso estar sempre a serviço. A arte é o espaço da fantasia, do fantástico, do lúdico...Para mim não importa o gênero, mas sim o fato de poder contar boas histórias sejam elas realistas naturalistas ou fantásticas.

O que você almeja com a carreira de ator? E o que almeja para sua vida pessoal? Me considero uma pessoa agraciada, tenho uma família linda e meu desejo é aproveitar o que a vida tem de melhor ao lado deles. Em relação a minha profissão, sou um ator jovem e que ainda tem uma estrada longa pela frente. Quero trabalhar com pessoas que admiro e consequentemente aprender com elas.


Pinta de galã, corpo atlético, talentoso...Como é o assédio feminino, como lida com ele e com a vaidade? Todo profissional fica feliz com o reconhecimento do seu trabalho. A vaidade faz parte da nossa natureza humana, só temos que ter cuidado para não confundir com presunção e exibição. Passa a ser importante quando a usamos para nos cuidar e viver a vida de maneira mais saudável.   

Como cuida da saúde do corpo e da mente? Procuro me alimentar de maneira saudável, pratico esporte, frequento academia de ginastica e leio. 

O que as mulheres têm que te conquista? É lindo ver a força e ao mesmo tempo toda delicadeza e sensibilidade de uma mulher...Um sorriso, um olhar, uma cruzada de pernas... A mulher tem um charme todo especial e somos nós que temos que aprender com elas.   

O seu personagem em Além do Horizonte, o advogado Álvaro é um alpinista social e busca manipular as pessoas para conseguir o que quer. Como você o enxerga? A nossa sociedade de consumo é responsável por criar nas pessoas essa busca insana do TER além do SER ou isso é fonte de uma educação doméstica equivocada? Acredito que os dois. A sociedade mudou bastante nos últimos dez, quinze anos devido à velocidade em que tudo acontece. Sem dúvida existem veículos de comunicação de massa que propagam a necessidade de se consumir produtos, mas esses mesmos veículos também propagam outras coisas, portanto a resposta não é tão simplista assim. No final das contas, acredito que a educação de qualidade é a grande saída, não somente a doméstica, mas, sobretudo a educação escolar onde fundamentalmente formamos nossos pensamentos e escolhas sobre a vida.

Durante a novela, o ritmo de gravação costuma ser intenso, mas quando sobre um tempinho o que costuma fazer para se divertir e relaxar? Sou bem caseiro, mas não dispenso um cinema, teatro, ou shows de bandas que curto acompanhado da minha mulher e dos amigos. 

Teatro e cinema estão no seu plano? Muito. Adoro estar no teatro e me sinto feliz quando estou em cartaz. O cinema é um namoro antigo, faço faculdade de cinema e gosto de todas as etapas de uma produção. Pretendo estrear em breve no cinema, é um desejo.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

BEBIDA: Páscoa com cerveja, também combina! Veja os rótulos ideais para acompanhar bacalhau e chocolates

A Páscoa está se aproximando e com a data chegam as guloseimas típicas da época. Bacalhau, colomba pascal e ovos de chocolate sempre fazem parte do banquete que reúne a família no domingo de celebração. Pensando em deixar a mesa ainda mais atraente, o The Beer Planet, e-commerce especializado na venda de cervejas especiais, elaborou uma seleção de rótulos que harmonizam perfeitamente com a data e com os pratos de Páscoa. Além disso, as cervejas também são uma ótima opção de presente para substituir os previsíveis ovos.



DICAS DO SOMMELIER

O especialista em cervejas do TBP, José Raimundo Padilha, separou cuidadosamente quatro rótulos que harmonizam com as principais comidas típicas de Páscoa. Confira:




Para saber mais acesse www.thebeerplanet.com.br



quarta-feira, 9 de abril de 2014

BAR: A história do drink Saci Noronha

A história do drink Saci Noronha fica bem mais interessante quando ficamos conhecendo um pouco mais do seu criador, o bartender Waldir Calado. Um simpático morador de Fernando de Noronha que se tornou um exemplo de superação ao saber dar a volta por cima quando um acidente durante uma pescaria resultou na amputação de uma de suas pernas. Mas por obra do destino algum tempo depois, e com uma prótese de primeiro mundo acoplada ao seu corpo, Waldir leva uma vida normal, e entre mergulho no mar de Noronha e inovações no balcão do bar da Pousada de Zé Maria.

Foi da época do quartel que Waldir já começou a mergulhar nessa vida de alquimista de sabores. Depois de pedir baixa do quartel Waldir resolveu se especializar fazendo cursos de coquetelaria, faculdade de gastronomia, curso para barista, sommelier e até como combinar harmonicamente frutas para decoração. Ao longo já vão mais de 20 anos nessa profissão, vários concursos e alguns prêmios de destaque, como a participação no 3º Campeonato Grey Goose Vive La Revolution onde ficou em 5º lugar e em seguida como grande Campeão do Campeonato de Bar em Bar com o Cocktail "Por do Sol de Noronha". 

Mas foi depois do campeonato pernambucano da Abrasel 2011, que Waldir criou em homenagem ao seu retorno depois do acidente, que amputou sua perna (em maio de 2010), o drink Saci Noronha. Puxando para componentes encontrados na ilha, Waldir criou um drink refrescante e ao mesmo tempo quente, assim como devem ser as noites de Fernando de Noronha.

INGREDIENTES
2 Anis estrela
Metade de um limão
1 colher de açúcar 
1 colher de chá de pimenta rosa
1 colher de chá de alecrim
1/2 dose de Contreau (para flambar)
10 folhas de manjericão
5 folhas de salsa
1 dose de Absolut
1 dose de licor de melão

MODO DE FAZER - Junte todos os ingredientes e bate na coqueteleira, coloque numa taça de Martini e decore com um anis estrelado.



terça-feira, 8 de abril de 2014

VAIDADE: Os salões de beleza exclusivamente para homens estão virando moda e atraindo mais clientes

Vamos ser honestos, deve ser um tanto quanto chato para um homem freqüentar um salão de beleza feminino, não é? Visões de mulheres de bobs, fazendo chapinha e desencravando unha não é lá muito sensual ou prazeroso quando o cara precisa cortar o cabelo ou fazer a barba. Por conta disso, surgiu a brilhante idéia de um lugar só para os meninos! Um verdadeiro Clube do Bolinha para assuntos ligados a vaidade e cuidados masculinos.

Nestes centros de beleza, os serviços vão muito além das antigas e tradicionais barbearias que só cortam cabelo e fazem a barba. Há coloração, limpeza de pele, massagens, depilação, manicure e pedicure e outros serviços para renovar os moçoilos. E enquanto são atendidos nada de revistas de fofocas e novelas, mas Playboys, Vips, Alfa e em breve, quem sabe, essa revista aqui, hein?! A proposta dos salões de beleza masculinos é deixar o cliente à vontade e bem servido, muitos oferecem cerveja gelada, jogos de futebol na TV, games eletrônicos e tudo mais que for interesse do cliente. "Eles preferem ambiente exclusivo, sem mulheres", revela gerente do J.J. Cabeleireiros, Augusto Castro, na capital paulista. Castro conta que o público masculino representa, atualmente, 40% da clientela do salão. Há quatro anos, informa, não era mais que 5%.

Segundo Lôua Unger, coordenadora técnica, da barber shop do W Spa, o perfil da clientela de centros de beleza exclusivamente masculinos são homens que se incomodam com a agitação de um salão unissex e preferem serviços personalizados, gostam de ser chamados pelo nome e perceber que os funcionários já sabem sobre seus gostos e preferências. “Eles apreciam um lugar mais calmo, com tratamento exclusivo e personalizado gostam de ser chamados pelo nome e de sabermos se a doze do seu whisky é com ou sem gelo, que seu café é um expresso encorpado ou um simples carioquinha, e claro, adora ser saudado quando seu time é vencedor!” diz Lôua. Dos serviços oferecidos, os mais procurados são respectivamente, corte, barba, manicure e podologia. Alguns clientes no início tem uma certa resistência, porém no final são só elogios à esse tipo de salão, “os elogios são constantes e sempre acompanhados da frase..."era o que estava faltando"...”

Fernanda Dib, sócia-proprietária da clínica Garagem Estética Masculina, de São Paulo, comenta que, antes era proprietária de uma clínica de beleza unissex, mas o público masculino só aparecia para fazer tratamento capilar. "A maioria dos homens sempre reclamava que deveríamos ter um local exclusivo para eles. Depois desse momento, comecei a acompanhar melhor o crescimento do mercado de cosméticos masculinos e, como observei que ele é promissor, resolvi apostar na idéia. "O perfil do homem que procura um lugar específico para o público masculino é composto por executivos entre 35 e 40 anos.” "No geral são homens bem sucedidos e estabilizados financeiramente, das classes A e B, até pelo custo de alguns serviços. Um outro ponto importante, é que eles são bem mais exigentes e comprometidos do que as mulheres na hora de realizar um tratamento." 

Mesmo em um espaço exclusivo onde só circulam homens, há ainda algumas barreiras a serem vencidas, a depilação é uma delas. Muitos homens ainda insistem em manter seus pelos como sinal de virilidade e masculinidade. Segundo Lôua “ainda existem homens que defendem seus pelos com unhas e dentes.” Depilados ou não, o mais bacana disso tudo é saber que os homens ganham cada vez mais espaço e importância quando o assunto é cuidado com higiene e beleza. A indústria de cosméticos já está atenta a isso e agora também os centros de beleza. A moda, que começou em grandes cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, está ficando cada vez mais popular e várias cidades começam a oferecer salões exclusivos para os homens.

MERCADO PROMISSOR 
O ramo de beleza está entre os segmentos que mais cresceram no Brasil em 2010, cerca de 16%, segundo a consultoria especializada Rizzo Franchise. Com um faturamento em 2012 de R$ 9,1 milhões (8,3% maior do que em 2009), o mercado de estética deve crescer 14,5% em 2011. “Hoje a sociedade tem cada vez menos preconceito contra homens que se cuidam, o que torna esse público altamente promissor”, afirma Alain Guetta, presidente da Associação Brasileira de Franchising no Rio de Janeiro (ABF-RJ).

Os bons resultados vão além do sucesso das clínicas de estética, atingindo também o mercado de produtos de beleza. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal (Abihpec), o setor no Brasil vem apresentando expansão da ordem de 10% ao ano, tendo faturado em 2009 aproximadamente R$ 21,7 bilhões na comercialização de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumaria. (Fonte: iG)

George Arliani, proprietário da franquia brasileira do salão Llongueras, rede com sede em Barcelona, Espanha, e que conta com 133 unidades entre próprias e franqueadas em países como Itália e Portugal, diz que atualmente 30% do faturamento de seu estabelecimento vêm dos clientes homens. Segundo ele, há três anos, o salão fazia, mensalmente, cerca de 1,2 mil atendimentos em serviços, cerca de 100 para homens. Atualmente, são executados cerca de 5 mil serviços ao mês, dos quais cerca de 1,5 mil, 30%, para homens.

Arliani diz que depois do tradicional corte de cabelo, a maioria das solicitações é para manicure e depilação, principalmente de costas e sobrancelhas. "Os homens já têm consciência de que aparência é importante", acredita. Ele conta ainda que quem procure os serviços de manicure busca principalmente retirar a cutícula, pele fina que se forma sobre a unha. Ele observa que, como os homens não querem nem ouvir falar em passar base (esmalte incolor) foi desenvolvida uma forma de polimento.

Confira alguns dos salões mais legais que em grandes capitais estão resgatando esse espaço totalmente viril com um serviço diferenciado:

W SPA Rio     
Na barber shop do W Spa, meninas não entram! No local, uísque, vídeo game e TVs de plasma em canais de esportes fazem os homens reinarem absolutos. Além dos tradicionais serviços de corte de cabelo e barba – feitos por um barbeiro – os homens também têm à disposição tratamento luxuoso da Clarins. É o Facial for Men with Bison Grass, que tem como ingrediente Bison Grass, o mesmo da vodka, que tem ação antifadiga e calmante. De quebra, ainda reduz o estresse enquanto cuida pela irritada pelo barbear. “O tratamento ainda proporciona firmeza de tom e um brilho saudável à pele do homem”, diz Lôua Unger, responsável técnica pelo W Spa. A sessão sai por R$ 210,00. Onde: Avenida das Américas, 7777, subsolo, 13, Barra da Tijuca – Rio de Janeiro, tel. (21) 3325.7240 - Site: www.wspa.com.br

Red Salon Homem 
Entre os serviços mais procurados no Red Salon, que aceita reservas online, estão corte e lavagem (R$ 40,00), relaxamento (a partir de R$ 70,00), coloração (a partir de R$ 50,00), limpeza de pele (R$ 60,00) e barba (R$ 25,00), tudo com produtos exclusivos para homens. “No verão, às vezes tem executivo que vem no horário do almoço só para lavar o cabelo com xampu à base de menta. Refresca e ajuda a relaxar”, revela Borsato. Tem até Playboy para folhear entre um tratamento e outro. Mas o dono do salão garante que os meninos também podem frequentá-lo. “Atendemos muitos meninos que fazem hidratação (R$ 25,00). Geralmente eles fazem natação, o que deixa o cabelo bem ressecado”, explica o proprietário.
Onde: Avenida Rio Branco, 133, sobreloja 205, tel. 2222-1390. Filial Copacabana: Rua Francisco Sá, 51, loja 13, tel. 2287-8697. Filial Ipanema: Rua Visconde de Pirajá, 82, loja 111, tel. 2522-4939. Filial Largo do Machado: Rua Ministro Tavares de Lira, 72, loja E, tel. 2556-1172. Segunda a sexta, das 9h30 às 20h. Sábados das 9h às 19h. Site: www.redsalonrio.com


Barbearia Futebol Clube 
Nas paredes, camisas históricas, cachecóis e flâmulas espalhadas por todos os lados. Pode até parecer um museu do futebol ou um pequeno acervo de um torcedor apaixonado por relíquias de futebol. Mas na verdade se trata de uma inusitada barbearia localizada na Asa Norte, Brasília. Enquanto o cliente corta o cabelo ou faz a barba, ele pode assistir à programação de esportes em canais disponíveis na TV por assinatura. Pois em cada um dos espelhos do estabelecimento existe uma televisão ligada na Sportv ou na ESPN. Além disso, o cliente pode optar por jogar partidas de videogame enquanto corta o cabelo.

Tudo na Barbearia Futebol Clube remete ao esporte mais popular do mundo. “A gente sempre gostou de futebol. A Copa do Mundo nos motivou a desenvolver a idéia e estamos sempre tentando trazer coisas diferentes do mundo da bola”, afirma Lauro Viana, um dos donos da loja. Entre as principais relíquias utilizadas como decoração da loja estão uma camisa do Flamengo do fim dos anos 70, utilizada pelo craque Adílio, além de outra do ídolo vascaíno e hoje presidente do clube, Roberto Dinamite. Mas o futebol da cidade também tem espaço garantido nos adornos da barbearia: uma camisa da equipe do Brasília, de 1976, utilizada na final do Campeonato Brasiliense daquele ano. A camisa faz parte da história do Brasília. Foi com ela que veio a primeira conquista do time, fundado um ano antes.

Em busca de novidades e agitos, a principal promoção da barbearia é, na verdade, um desafio. O cliente que conseguir fazer 50 embaixadinhas em frente ao salão, ganha um desconto de 50% no corte ou na barba. Até o momento, apenas dois boleiros conseguiram completar a tarefa. “Um deles veio aqui e disse: ‘Só queria mostrar que sou bom’, pagou o valor integral do corte e foi embora”, conta Fernando. Coisas do mundo da bola. Onde: Av. W3 Norte, Quadra 711, Bloco A, Loja 54 – Brasília – Tel: (61) 3447.6302 - Site: www.barbeariafutebolclube.com.br

Barbearia Clube
O conceito diferenciado da Barbearia Clube, voltado ao ‘macho clássico’, sem preconceito e com muito bom humor, tem agradado ao público masculino. A Barbearia Clube tenta resgatar a nostalgia das barbearias clássicas. A barba é feita com navalha e toalha quente. A decoração é estilo old school, com piso xadrez e a tradicional cadeira de barbeiro, proporcionando um ambiente onde os homens sentem-se à vontade e possam cortar o cabelo, fazer a barba ou até um tratamento como a limpeza de pele, sem constrangimento. Para completar o clima de “clube do bolinha”, os clientes tem à disposição uma seleção de petiscos de bar e uma geladeira de cervejas premium. Na tela de LCD, programas esportivos e, na bancada, uma grande variedade de revistas masculinas e jornais do dia. Tudo para que o “macho” se sinta em casa.



Na Barbearia Clube os clientes não precisam agendar horário e se tiverem que esperar, podem servir-se de cervejas, acompanhar canais de esporte, ler revistas e jornais, jogar dominó ou xadrez e ter o sapato engraxado. Mulheres que querem dar presente ao marido na Barbearia Clube Curitiba há o “Dia de Rei”, onde o cliente tem três opções (ouro, prata e bronze) de serviços que incluem desde, barba, cabelo, mão e pé, a hidratação facial, massagem e esfoliação corporal, um conjunto completo de cuidados para seu marido. Outro fator que chama atenção no Barbearia Clube é a comunicação feita por eles sempre com muito humor e bem direcionada para o público. Vale uma conferida no site. Onde: Rua Jacarezinho, 21, Merces – Curitiba – Tel: (41) 3014.9413 - Site: www.barbeariaclube.com.br

Garagem Estética Masculina
Em São Paulo o Garagem Estética Masculina, que atende exclusivamente homens, com um discreto ambiente retrô, oferece serviços como massagem, limpeza de pele, depilação e pedicure. Os métodos dos tratamentos de beleza oferecidos não diferem dos de outros centros de estética. O grande diferencial é a exclusividade do público, o que deixa os freqüentadores mais confortáveis. A Garagem Estética Masculina - que hoje fatura cerca de R$ 1,5 milhão por ano e entrará no segmento de franquias - já foi alvo de desconfiança no início. Hoje, boa parte dos novos clientes chega à clínica graças à propaganda boca-a-boca. Mas, apesar disso, o proprietário ainda observa uma certa reserva dos clientes em dias de grande movimento. “Quando a clínica está cheia é muito estranho porque fica todo mundo quieto. Muitos homens que fazem o dia do noivo são trazidos para cá pelas próprias noivas”, afirma. Onde: Av. Agami 183 - Bairro Moema - São Paulo – (11) 5052-7511 - Site: www.garagemestetica.com.br

Barber Shop Rio
Ampliando o conceito de uma barbearia tradicional, o salão inspirado nas tradicionais barbearias londrinas, com a modernidade do mundo contemporâneo: atendimento imediato, ágil, sem hora marcada, com funcionários altamente qualificados e produtos top de linha. Por estar localizado em um dos principais shoppings centers do Rio, a segurança, o conforto e a comodidade são grandes diferenciais é só chegar, escolher o tratamento, e sair com o visual renovado. Entre eles, corte (R$ 50,00 ou R$ 30 à máquina), barba (R$ 32,00 comum, R$ 18,00 à máquina e R$ 35,00 modelada), coloração (a partir de R$ 75,00), limpeza de pele (a partir de R$ 90,00), manicure (R$ 20,00), pedicure (R$ 24,00), podologia (R$ 63,00), massagem corporal (R$ 80,00) e depilação com cera (a partir de R$ 18,00). De segunda a quarta tem promoção: pagando em dinheiro, o cliente ganha 20% de desconto no corte e na barba. Onde: Rua Lauro Müller, 116, piso G2, Shopping Rio Sul, Botafogo, tel. 2541-1484. Site: www.barbershoprio.com.br



segunda-feira, 7 de abril de 2014

FITNESS: Como chegar ao treino perfeito

É muito comum escutarmos, “qual um treino bom para o peitoral?”, ou, “quantas séries eu devo fazer?”. Bem, estas são questões com mais valor cultural do que científico. “Invariavelmente a resposta é: "depende". Apesar de ser impossível estabelecer a série ideal para todas as pessoas em termos quantitativos (volume) e qualitativos (intensidade) pode-se ter certeza que o problema com o treino da maioria das pessoas é que elas simplesmente exageram na quantidade e pecam na qualidade. A velha máxima "quantidade não é qualidade" também vale a musculação.” (Paulo Gentil).

Individualidade Biológica, este é um dos princípios do treinamento que vem sendo esquecido, e até mesmo ignorado propositalmente por alguns profissionais.  Há alguns anos os alemães já usavam o chamado Treino Econômico, e os russos com o seu Treino Racional.

ECONOMIA... RACIONALIDADE... 

Estas duas palavras, resumem tudo o que precisamos para prescrever um bom treino. A primeira, em função da quantidade exacerbada de atividades que as pessoas têm nos dias de hoje. Ninguém quer, nem tem disponibilidade para passar muito tempo numa academia, e mesmo que quisesse e pudesse, não seria necessário. Já a segunda resume-se a três perguntas, que devem ser sabiamente respondidas, (PARA QUEM? PARA QUE? POR QUÊ?). Se estas três perguntas forem respondidas de forma coesa e coerente, o treino estará sendo bem prescrito. 


A musculação possui inúmeros métodos e diversas formas de controlar as variáveis, dentre todas elas, a última que deve ser usada é o aumento do número de séries. Antes disso deve-se sempre tentar melhorar a qualidade do treino, intensificando-o racionalmente de acordo com o objetivo a ser alcançado e a condição do aluno. Um profissional qualificado saberá como e quando usar a estratégia correta para potencializar seus resultados, diferente de um mal professor que aumentará o número de séries totais e/ou mudará os exercícios cada vez que o treino é alterado.” (Paulo Gentil).

Questione seu professor, pergunte cada vez mais, PESQUISE, o Google está aí para isso. Por mais leigo que você seja na área em questão, com certeza você tem o mínimo de noção para dizer, “eu acho que esse cara tá me enrolando...”. Pense nisso, e bons treinos, com muita ECONOMIA e muita RACIONALIDADE.

ALGUNS BONS EXEMPLOS...


Bem, como vimos, é impossível prescrever um treino que seja considerado ideal, então, daremos alguns modelos de métodos e sistemas de treinamento que podem ser aplicados, bem como o seu grau de dificuldade. Antes de iniciarmos, vejamos alguns conceitos que serão importantes para o melhor entendimento das prescrições. 

Volume: Está diretamente relacionado ao tempo despendido no treinamento.

Intensidade: Está relacionada com o esforço necessário para realização de determinada atividade.

Cadencia: É a velocidade em que o movimento será realizado, onde a primeira velocidade é da fase excêntrica (a favor do peso) do movimento, a contra o peso é chamada de concêntrica.

Ex: Num exercício onde a velocidade exigida é 4020. Isso quer dizer que a velocidade na fase excêntrica deve ser realizada em 4 segundos, enquanto que a concêntrica será em 2 segundos. A relação entre Volume x Intensidade é INVERSAMENTE PROPORCIONAL.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

MUSA: PATHY DEJESUS É SHOW NO VÍDEO SHOW

De Pathy DeJesus pode se esperar tudo e sempre mais. A menina é agitada, workaholic e adora um desafio. Atriz, já foi modelo internacional e hoje é repórter do VideoShow, programa da Rede Globo, onde atua como apresentadora também. Como encara tudo isso? Com alegria e uma enorme vontade de aprender sempre. Conheça mais dessa atriz e apresentadora ligada no 220voltz!

Final do ano passado o Vídeo Show nos surpreendeu com sua presença como repórter e Com desenvoltura você cativou a todos. Como se deu esse processo e o que está representando para você? Não foi um processo tão rápido como pareceu devido a surpresa. Na verdade passei por todo aquele processo doloroso de testes. Depois disso, o Ricardo Waddington me chamou pra uma reunião e a partir daí ficou definido que eu faria parte do programa. O interessante é que ser apresentadora/repórter é relativamente novo em minha vida… Sou atriz, continuo estudando, me aperfeiçoando, mas estou apaixonada pelo novo ofício. Não é nada fácil, e saber que as pessoas estão curtindo meu trabalho me dá mais gás pra seguir em frente, me aprimorar para que o resultado fique cada vez melhor! 


Antes disso, só para situar o leitor, você trabalhou como modelo, chegando a ser uma das primeiras negras brasileiras a consolidar-se no mercado internacional, estrelando campanhas de grandes marcas mundiais. Como foi descoberta e como foi a vida de modelo internacional? Essa é uma história muito legal. Eu sou um daqueles casos em que, andando na rua, alguém te aborda e diz que deveria trabalhar como modelo! (risos). No meu caso, uma produtora de casting me abordou pra uma determinada campanha e a fiz ainda sem ser modelo. Mauro Freire - um dos maiores maquiadores/cabeleireiros do país - ficou encantado por mim neste trabalho, ligou pra FordModels e eles foram até lá me ver. Fui até a agência e tudo começou a partir de então! Eu sempre coloquei os estudos em 1º lugar, então minha primeira viagem internacional demorou um pouco… Fui pra Milão e lembro-me de ter sofrido um bocado! Me senti super insegura, morrendo de saudades de casa, falava muito mal inglês e nada de italiano! Mas a gente vai evoluindo, aprendendo, amadurecendo. Trabalhei em diversos lugares, morei em países diferentes, desfilei bastante, fiz muita campanha bacana. Valeu muito a pena!

Você trabalhou em Nova York, Milão, passou por Cidade do Cabo e Paris. Como isso tudo influenciou na carreira e na formação como pessoa? Naquela época não eram tantas as brasileiras fora do país como é hoje em dia… Trabalhar fora te dava status. A cada volta você trabalhava ainda mais aqui, os cachês melhoravam e as campanhas também. Fora que a gente volta mais experiente, com mais bagagem e isso era um grande diferencial. Eu particularmente sempre vi essas viagens, além de tudo, como uma bênção. Acredito que se não fosse modelo, dificilmente teria a oportunidade de conhecer tantas culturas diferentes. Eu sempre fui muito curiosa e gosto muito de interagir com o que acontece ao meu redor. Ir pra rua e observar as pessoas, os costumes, e aprender com isso era a melhor parte das viagens! Agradeço a Deus ter tido essa chance. 

Sendo uma mulher bonita e com muita visibilidade como reagia ao assédio lá fora? A coisa é muito diferente daqui? Qual o mais galanteador e o mais ousado na hora da cantada? Pra ser sincera, essa coisa de assédio funcionou pouco comigo… Os homens sempre foram cautelosos ao chegar a mim! Claro que sempre tem um ou outro mais ousado e vira e mexe aparece um sem noção. Mas normalmente os homens chegavam com jeito. Na Europa sempre foi mais complicado pra mim (risos). Toda vez que ia pra Itália aparecia algum pretendente propondo casamento! Já nos EUA, os caras eram mais soltinhos, engraçadinhos e diretos.

Depois da vida de modelo veio a de atriz com participações em novelas na Globo (como Belíssima e Avenida Brasil).  Como se vê como atriz? Pretende investir na carreira ou o foco é ser apresentadora? Sou atriz. Essa é minha vocação, minha paixão. Invisto na carreira há 10 anos já (cinco novelas e algumas participações) e isso é quase nada. Nós estamos sempre estudando, aprimorando, melhorando. Construção da personagem, contracenar com outros atores, aprender a cada dia... É provocador, difícil mesmo, mas isso me fascina. Agora eu adoro um desafio… E não tem nada mais desafiador que ser você mesmo diante das câmeras. Ser apresentador é ter muito jogo de cintura acima de tudo! E ser você! Estou amando a oportunidade de evoluir numa nova profissão. Eu amo estudar, aprender. Sou guerreira mesmo e aproveito cada oportunidade colocada no meu caminho.

Ainda como apresentadora você passou pelo Top10 da MTV e pelo que soube você é muito ligada em música. Sendo assim você se sentia muito à vontade lá na MTV? Como foi isso? Foi uma das experiências mais incríveis da minha vida e vou guardar no coração pro resto dos meus dias! Principalmente por terem enxergado em mim um talento que eu mesma nunca imaginei ter. Me colocaram na linha de frente do carro chefe da emissora. Um programa diário, ao vivo, onde o público escolhia os clipes e opinava a todo o momento… Se engana quem acha que foi confortável! Eu amo música, mas não sou tão ligada ao universo pop e tive pouco tempo pra correr atrás do prejuízo! Eram horas e horas ouvindo músicas, pesquisando história dos artistas, garimpando novidades. Aliás, não era! Aprendi tanta coisa bacana…Artistas que eu não conhecia ou nunca tinha parado pra ouvir. Hoje em dia, fico ligada em tudo! Se tem single novo, quem tá namorando quem, quem está dando trabalho (risos). Eram as notícias que eu trocava com a galera de casa e não me desapeguei desse mundo. Só agregou!


Falando em música o que faz tua cabeça? Sou DJ há 8 anos. Além disso, meu pai foi DJ também. Adoro hip hop, esse é o estilo que toco, mas cresci ouvindo muito vinil e hoje tenho minha pequena coleção. Amo música negra dos anos 70 e MPB além do bom e velho samba. 

Você parece ser bem ativa... Quando não está gravando o que curte fazer para relaxar? Pratica algum esporte? Sou mesmo. Sempre adorei praticar esportes e passei por várias modalidades, entre elas o futsal. Hoje em dia eu amo correr! Produzo umas mixtapes, saio com meu fone de ouvido pra correr no mínimo 10km. Isso me faz relaxar e desligar um pouco do que está acontecendo ao redor. No Rio ainda tenho a oportunidade de praticar corrida na praia. É maravilhoso… Ainda quero voltar pro boxe, mas falta tempo.

É mais fácil te encontrar na praia com amigos ou na balada tarde da noite? Nenhum dos dois! Mas entre as opções, mais fácil me encontrar na praia. Sou DJ, mas só saio pra trabalhar…A festa precisa ser muuuuito boa pra me tirar de casa atualmente. À praia tenho ido pra estudar, enquanto o namorado pega onda! (risos)

Na hora da paquera o que faz um homem ser interessante aos seus olhos? Não tem regra. Acho que se houver química fica tudo tão simples! Meu namorado, por exemplo, abriu um belo sorriso e olhou nos olhos. O papo veio naturalmente porque a conexão já estava estabelecida. 

Qual a maior falha dos homens hoje em dia na hora da conquista? Sempre achei péssima a cantada decorada e o tipo palhacinho, com aquelas piadinhas sem graça. Charme e uma boa conversa já é um ótimo começo.

Que qualidades você inveja nos homens e qual qualidade feminina os homens deveriam ter? Os homens são mais práticos, menos apegados, menos dramáticos! Mas acho que às vezes falta aquela sensibilidade e tato que só nós, mulheres, temos! 

O que é muito característico do universo feminino que os homens ainda não conseguiram entender? O drama! Às vezes nós mulheres damos uma volta enorme pra expressar o que realmente queremos. Entendam as entrelinhas, homens!!!



O que podemos esperar mais de Pathy Dejesus? Mais planos...? Quero sempre mais! Sempre! Tenho muitos sonhos e alguns estão se realizando. Sou do tipo que ama trabalhar, workaholic mesmo e preciso estar apaixonada pelo que faço. Meus planos são os de sempre, desde o começo: cavar oportunidades, e estar pronta pra todas elas!


Direção criativa Marco Antônio Ferraz
Produção Executiva Márcia Dornelles   
Foto Alex Santana
Styling Paulo Zelenka
Beauty Teodoro Junior
Tratamento de imagem Octávio Duarte 

Patricia Veste: Look 1 - Biquini Vix, blaser Fato Básico, brincos Morena Rosa, anel Maria Valentina; Look 2 - biquini KiKorpo, brincos Maria Valentina, pulseiras acervo; 
Look 3 - tricot Moikana, calça Corporeum, cinto, bracelete e brincos Maria Valentina
anel Camila Klein; Look 4 - vestido e cinto Morena Rosa, colar e bracelete Francesca Diana Romana; Look 5 - Top e schort Lez a Lez, colar e brincos Morena Rosa; Look 6 - Blaser Ammis, Short Zero Zen, cinto e brincos Morena Rosa, colar Paco Rabane Vintage.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

SAÚDE: Nutrição, idade biológica e idade cronológica

O envelhecimento pode ser definido como idade cronológica (a idade da pessoa em anos desde o nascimento) ou como idade biológica (a queda nas funções orgânicas que ocorre em todos os seres humanos com o passar do tempo). Algumas pessoas idosas parecem e agem como se fossem mais velhas e outras como se fossem mais jovens com a mesma idade cronológica. Estudos nos quais foram realizadas avaliações da idade biológica, realizados ao longo do século XX na Suécia, indicaram que algumas pessoas são menos biologicamente idosas que outras com a mesma idade cronológica e que esta diferença pode ser de até 10 anos.


Parte desta diferença pode ser atribuída à melhor nutrição durante a vida. Sendo assim, pode ser que parte do que consideramos atualmente como envelhecimento seja evitável através de nutrição. Embora os genes exerçam forte influência na idade biológica, acredita-se atualmente que fatores do estilo de vida também tenham forte influência. Você pode ser biologicamente mais jovem se programar seu envelhecimento. A pergunta é: quais aspectos do envelhecimento são biologicamente inevitáveis, como por exemplo, a morte das células (apoptose) e quanto disso está relacionado a idade. Embora na idade cronológica o relógio não possa andar para trás, o desejo de prolongar a juventude desperta muito interesse e pesquisa.

O acúmulo dos efeitos de anos de maus hábitos alimentares aumenta o risco de muitas doenças à medida que a pessoa envelhece. Contudo, a boa nova é que é possível mudar os hábitos alimentares. Em outras palavras, nós podemos adotar hábitos como a prática regular de exercícios e alimentação saudável, que retardarão a queda funcional e as alterações na composição corporal se manterá dentro dos limites estabelecidos pela genética. A diminuição na massa magra e o aumento na gordura corporal que tendem a ocorrer à medida que envelhecemos não podem ser totalmente atribuídos ao processo de envelhecimento em si. Nos países ocidentais, um importante fator contribuinte para essas alterações é a vida cada vez mais sedentária das pessoas à medida que envelhecem e o consumo inadequado de nutrientes e fitos químicos, através de dietas ricas em produtos industrializados.

As principais estratégias de prevenção que podemos adotar para aumento das nossas reservas fisiológicas e nutricionais incluem: consumo de alimentos variados, redução no consumo de álcool, cafeína e medicamentos.

Para obter sucesso na prevenção de doenças associadas à má nutrição ou tentar “desacelerar” o envelhecimento biológico siga essas recomendações na sua alimentação diária. Faça um consumo alto de: 300g/dia de vegetais, mais de 50g/dia de legumes, mais de 200g/dia de frutas, mais de 250g/dia de cereais. Faça um consumo moderado de: carnes e produtos de carne, menos de 300g/dia; álcool, menos de 10g/dia; laticínios, 500 ml/dia. Faça um consumo alto em gorduras monoisaturadas (azeite) e baixos em gorduras saturadas (produtos de origem animal, frituras). Este padrão alimentar é compatível com os padrões alimentares  prevalentes na Grécia na década de 1960, quando os gregos tinham os melhores índices de saúde do planeta.



É fundamental que exista sinergia entre os grupos alimentares e que as recomendações alimentares sejam seguidas como um todo, em vez de focalizar apenas um grupo alimentar ou um nutriente.


Acompanhe a MENSCH no Twitter e FanPage: RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb

quarta-feira, 2 de abril de 2014

CARRO: A tradicional preparadora de Mercedes, brabus chega ao Brasil com três modelos

Fundada por Bodo Buschmann em 1977 em Bottrop, na Alemanha, para quem deseja além de luxo e conforto, uma exclusividade, a Brabus é especializada em realizar conversões e incrementar os carros das marcas Mercedes-Benz. Os carros preparados pela marca apresentam maior desempenho através de alterações mecânicas com aumento de potência e torque do motor, além de alterações aerodinâmicas. No Brasil a empresa iniciou agora em abril deste ano com os modelos Classe C 18 Brabus, Classe C 20 Brabus e CLS 63 Brabus, que estarão na concessionária Europa Motors, em São Paulo.


A porta de entrada para o mundo Brabus é o C 18 Brabus, que chega a partir R$ 149 mil. Equipado com um motor 1.6 turbo de 182 cavalos de potência e 280 NM de torque, vai de 0 a 100km/h em 8.2 segundos e máxima de 230km/h. O sedã se destaca pelo spoiler dianteiro montado no para-choque, que não só agrega esportividade ao modelo como também reduz notavelmente a elevação na dianteira em altas velocidades. Já o aerofólio traseiro dá mais eficiência e downforce. Internamente, o C 18 Brabus se diferencia do C 180 convencional pelos tapetes da marca Brabus, pinos de portas e pedais Brabus em alumínio.

Quem busca mais desempenho encontra no C20 Brabus o equilíbrio ideal entre potência e uso diário. Com motor 1.8 turbo de 224 cv e 325 NM de torque, o modelo intermediário vai de 0 a 100km/h em 7.6 segundos e máxima de 243km/h e será vendido a partir de R$ 175 mil reais. 


Entre os modelos que chegam neste primeiro momento ao Brasil, o topo de linha é o CLS 63 Brabus, equipado com um 5.5 V8 biturbo. Seus 620 cv e 1000 Nm levam o cupê de quatro portas aos 100 km/h em 3,5 segundos, e depois aos 320 km/h de velocidade máxima. O modelo traz spolier de fibra de carbono, rodas Monoblock F de 19 polegadas originalmente, mas pode ser montado em um conjunto de 20 polegadas, difusor de fibra de carbono com escapamento “valve controled” que permite ao toque de um botão selecionar o modo loud ou quiet – ronco mais agressivo ou suave - entre as opções disponíveis. O valor inicial do modelo é US$ 310 mil. Todos componentes são manufaturados em OEM Quality, enquanto os motores têm garantia de dois anos ou 100.000 km (para veículos 0 km).

PERSONALIZAÇÃO

A Brabus do Brasil vai oferecer opções para o cliente montar seu carro com variações estéticas ou de performance, sem um pacote definido para o mercado brasileiro – ou seja, dependendo do modelo, crescem significativamente as opções de personalização. As alterações estéticas vão além de dar um tom mais imponente ao visual do carro, em um Brabus elas também são funcionais. A escolha de um shift paddle Brabus – maior que o convencional – facilita a troca de marchas, apenas para citar um exemplo.



No Brasil, para os C18 Brabus e C20 Brabus será possível escolher rodas, escapamento e difusor. No caso dos supercarros – modelos de 580 cv a 850 cv, faixa na qual está o CLS 63 Brabus – o céu será o limite. Poderão ser feitas conversões, que vão desde o pino de porta da Brabus até mudanças de rodas, escapamento, suspensão, interiores, etc. Além disso, os Mercedes com menos de 12 meses também poderão ser levados até a Brabus para um processo de conversão. A preparadora pretende expandir sua operação a partir de 2015 para outros grandes centros como Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Salvador até 2015.

terça-feira, 1 de abril de 2014

ACONTECEU: Coquetel de lançamento da edição especial MENSCH Carnaval 2014

Em plena segunda-feira a MENSCH reuniu amigos e parceiros no Restaurante Domingos em Boa Viagem para o lançamento do seu suplemento de Carnaval. O coquetel contou com a presença da Miss Pernambuco e Musa da edição Isabelle Sampaio que esbanjou beleza, graça e simpatia. Na edição fotos da cobertura da folia de Momo em Recife e Olinda com as melhores festas, matéria sobre o Galo da Madrugada e um perfil com Ariano Suassuna. O que antes eram algumas páginas, agora virou revista. Nosso carnaval, merece!









segunda-feira, 31 de março de 2014

CINEMA: 1a Amostra de cinema cubano contemporâneo

Cuba está localizada no mar do Caribe fazendo fronteira ao norte de Cuba com os Estados Unidos e as Bahamas; a oeste com o México; ao sul estão as Ilhas Cayman e a Jamaica e a sudeste a Ilha de Navassa e o Haiti. Por muito tempo foi colônia do império espanhol, quando deu início a luta pela independência. Politicamente é o único país da América Latina socialista. 
Quando se fala em Cuba, se pensa em Fidel, Charutos Havana, Che Guevara (apesar de ser argentino), embargo e por aí vai. Mas Cuba é também terra de gente muito criativa que faz cinema em larga escala de produção. Foi o mexicano Gabriel Veyre que trouxe o cinema à Cuba em 1897 com a apresentação de quatro curtas metragens mexicanas (“Partida de Cartas”, “El tren”, “El regador y El muchacho” e “El sombrero cómico”) exibidos ao lado do Teatro Tácon, hoje chamado de o Grande Teatro de Havana.


De lá pra cá a coisa foi tomando forma e hoje o país é tem uma forte produção cinematográfica tendo escolas procuradas por estudantes de cinema de todo o mundo. O primeiro filme rodado na ilha, "Simulacro de Incêndio" foi um documentário sobre os bombeiros de Havana e teve na produção o próprio Gabriel Veyre. Até antes da revolução cubana em 1959, Cuba tinha produzido apenas 80 longas-metragens, com destaque para "La Virgin de caridas" de Miguel Santos e "Romance del palmar" de Rámon Peon. Logo após a revolução, Cuba entrou na sua "era de ouro" do cinema e mergulhou dentro do chamado Novo Cinema Latino Americano e junto com Argentina, México e Brasil exportou essa nova corrente para o mundo.

Esse boom levou o governo da época a criar um departamento cinematográfico na Dirección de Cultura Del Ejercito Rebelde, que acabou por patrocinar vários documentários. Em seguida veio o ICAIC (Instituto Cubano Del Arte y La Indústria Cinematográficos). A produção cinematográfica em Cuba é fortemente voltada para documentários e curta-metragens e oferece grandes e boas escolas como a Escuela Internacional de Cine, Televisión y Vídeo de San Antonio de los Baños e o ICAIC.

E pra quem tá em Recife e quer conhecer mais sobre o cinema cubano a capital pernambucana recebe a 1ª Mostra de Cinema Cubano Contemporâneo. A Mostra traz uma seleção de seis longas-metragens realizados no país e um panorama de 21 curtas-metragens que se destacaram nas últimas edições da Mostra de Jovens Realizadores de Cuba, evento de grande importância que ocorre anualmente em Havana; além de duas oficinas gratuitas ministradas por Susana Barriga e Patrícia Ramos, ambas professoras da Escola Internacional de Cinema e TV de San Antonio de los Baños.

Minha ideia, junto com Eduardo Herrera, o curador da mostra, é tentar resgatar um pouco da importância histórica do cinema cubano e, principalmente, mostrar o que está acontecendo naquele país; a seleção que fizemos tanto de curtas como de longas é deliciosa porque conseguimos escolher excelentes trabalhos que retratam muito bem a dura realidade do país sem máscaras e sem discursos políticos no meio. Há um pouco de tudo, ou seja, há filmes históricos, biográficos, outros mais cotidianos, enfim, um retrato da Cuba contemporânea”, conta Renato Galamba, produtor geral do evento.



Entre os destaques da programação (vide abaixo), estão os longas: “Morango e Chocolate” - obra-prima do diretor Tomás Gutiérrez Alea (o Titón), que levou Cuba ao Oscar -, "Bilhete para o Paraíso" (Gerardo Chijona) e "Suíte Havana" de Fernando Pérez, um dos grandes diretores cubanos da atualidade. Entre os curtas, podem ser vistos “Gozar, comer, partir”, “Tacones Cercanos” e “Camionero”, este vencedor de prêmios e baseado em fatos reais. Diariamente, haverá duas sessões: uma, dos curtas, às 18h, e a segunda, do longa, às 20h.

Outro ponto alto da Mostra será a homenagem feita a Titón. Figura incontornável da cinematografia mundial e um dos fundadores do Novo Cinema Latino-Americano, o cineasta produziu, em 50 anos de carreira, mais de 25 filmes até o final de sua vida. Além da exibição de seu último trabalho como diretor, “Morango e Chocolate”, haverá um bate-papo sobre sua vida e obra com a atriz Mirta Ibarra, um dos ícones da cultura cubana, ex-mulher do diretor e atriz principal do filme. Já no domingo (06), no encerramento da Mostra e complementando a homenagem, será exibido “Memórias do Subdesenvolvimento”, longa também de Titón, datado de 1968 e considerada a obra mais importante do cinema cubano.


Serviço:
1ª Mostra de Cinema Cubano Contemporâneo
Quando: terça a domingo, 01 a 06 de Abril de 2014
Onde: Caixa Cultural Recife – Av. Alfredo Lisboa, 505 - Recife-PE – CEP: 50030-150 – Tel: 81 3425-1900
Horários: sessões de curtas – às 18h / sessão de longas - às 20h
Quanto: R$ 2,00 (inteira) R$ 1,00 (meia)
Realização: Cicatrix Filmes
Confira programação completa e detalhes das Oficinas abaixo
Mais informações: www.mostracuba.com.br

sexta-feira, 28 de março de 2014

ENTREVISTA: Marcos Breda com ou sem drama, mas com muito humor e paixão por atuar

PAIXÃO. Essa é a palavra que pode descrever o ator Marcos Breda. 32 anos de carreira e a paixão só aumenta. Esportista, kartista amador e a paixão pelo esporte é firme. Dois filhos e a paixão pelas crias é gritante. Marcos Breda é daqueles que faz por amor e o que vier depois é fruto de um trabalho bem feito, de uma dedicação ímpar. Com ou sem drama, mas sempre com muito humor, desabafa sobre política, Brasil, Copa...e claro, sua paixão por atuar. Com um históricos de grandes trabalhos na TV, no cinema e no teatro, Marcos Breda conversou com a MENSCH sobre passado, presente e futuro.

No ar em Vale a Pena Ver de Novo, você é do tipo nostálgico? Que olha pra uma novela antiga e tem saudade, lembra como foi fazer, do contexto da época? Como é sua relação com o passado, o presente e o futuro? Gosto muito de rever antigos trabalhos para aprender com meus erros e acertos. Tenho ótima memória e relembro com carinho o contexto da época e, principalmente, as relações afetivas em cada trabalho. E, claro, projetar novas possibilidades para o futuro. Mas procuro sempre focar no "Presente do Indicativo" que - não por acaso - é o tempo verbal das rubricas de um texto teatral. Teatro e Vida, portanto, são a arte do aqui-agora. 

Em uma entrevista à rádio Estadão ESPN você disse que novela era feita pra vender produto de anunciante no intervalo. Há menos arte e mais interesse comercial hoje em dia? Como equilibrar essa equação para não se perder mercado nem qualidade artística? Essa minha declaração foi feita em tom de brincadeira, claro. Mas o fato é que essa equação arte + mercado pode ser resolvida a partir de uma premissa básica: qualidade e paixão. Não há problema algum em conciliar uma novela, filme e/ou peça de teatro com as necessidades do mercado, desde que se realize o trabalho com competência, honestidade, integridade e comprometimento. Sou ator desde 1982 porque amo o que faço. Ganhar dinheiro com isso é consequência necessária e bem vinda, claro, mas nunca foi meu objetivo principal. Trabalhei muitas vezes de graça (e até mesmo pagando para trabalhar...) porque a paixão pela profissão sempre falou mais alto nestes meus (nem tão) modestos 32 anos de estrada. Fui, sou e serei sempre assim, creio, porque deste jeito me sinto honesto comigo mesmo. E travesseiro melhor não há.


Você era estudante de Letras quando começou a carreira de ator, como se deu essa “mudança de caminho”? Começou bem antes, quando eu ainda era um teenager, estudante de Engenharia Mecânica. Assisti ao Grupo "Asdrúbal trouxe o Trombone" fazer a peça TRATE-ME LEÃO em Porto Alegre (1979) e saí do teatro alucinado, pensando "é isso que eu quero fazer para o resto da minha vida." Continuo pensando assim, 35 anos depois... 

A novela Mandala foi seu divisor de águas na carreira? Tive vários "divisores de águas" na carreira, em teatro, cinema e televisão. Mas creio que nenhum foi mais decisivo do que o filme FELIZ ANO VELHO, de Roberto Gervitz. Foi com esse trabalho que saí de Porto Alegre para morar em São Paulo e, posteriormente, Rio de Janeiro. Poderia citar ainda peças de teatro como ARLEQUIM, SERVIDOR DE DOIS PATRÕES e novelas como MANDALA, QUE REI SOU EU? e VAMP.

Mandala, Vamp, Que rei sou eu? São novelas clássicas, que fizeram diferença na dramaturgia, o que, em sua opinião, elas tiveram de tão especial? E qual o seu sentimento por ter feito parte delas? Essas novelas foram experiências únicas, com a desejada alquimia "a obra certa na hora certa, feita do jeito certo com as pessoas certas." Ninguém tem a fórmula, essas coisas simplesmente acontecem e me considero um cara de sorte (além de claro, muito obstinado e trabalhador) por ter feito parte de obras tão bem sucedidas, junto com profissionais/pessoas pelas quais tenho admiração, carinho e respeito até hoje. No momento estou gravando a série ANIMAL, da TV Globo, e tenho o palpite de que será outro "divisor de águas". A história é sensacional, a equipe é extremamente competente e o diretor Paulo Nascimento é um talento raro. Estou muito, muito feliz de fazer parte deste projeto que já está virando uma realidade.



Você fez parte da novela "Amor & Revolução" do SBT. Como vê todas essas manifestações no Brasil? As pessoas aqui estão cansadas de viver num país com preços de Primeiro Mundo e serviços de Quinto Mundo. No Brasil paga-se uma fortuna em impostos para receber quase nada em troca. O país está um LIXO, resultado do descalabro administrativo de governo após governo desde que me entendo por gente. Dizem que "você pode encher um copo até a borda, nem uma gota a mais. Esse copo está transbordando...

E o que o teu personagem, um comunista revolucionário te ensinou? Que TORTURA NUNCA MAIS. Acho inacreditável que, em pleno 2014, uma corja de imbecis venha reivindicar um novo golpe militar. O lugar dessas ideias - e dessa gente - é a lata de lixo da História.

E o grupo teatral "Vende-se Sonhos"? Como surgiu a ideia e pode-se dizer também a coragem e ousadia de montar um grupo teatral, o que representa pra você? O "Vende-se Sonhos" nasceu em 1980, numa oficina do Grupo Teatral carioca Asdrúbal trouxe o Trombone" e tinha a criação coletiva como método de trabalho. Um grupo de teatro estável é a melhor formação que um ator pode ter. A gente aprende a fazer de tudo (cenário, figurino, iluminação, sonoplastia, etc.), meter a mão na massa (limpar, cuidar, montar e desmontar toda aquela parafernália) e, last but not least, ainda aprender uma Ética. Aprender a respeitar o colega como um igual, um parceiro, um irmão. E não alguém que deva ser ludibriado, superado, subestimado e maltratado, como se vê nesses "neo-atores" competitivos e despreparados que se vê por aí.



30 anos de profissão. Qual o balanço que você fez de todo esse tempo dedicado à arte? São 32 anos com dezenas de peças de teatro, filmes, novelas, seriados, trabalhos em publicidade, cursos, workshops, oficinas e até mesmo um mestrado em Artes Cênicas, seguido de um ano de bolsa de estudos de Teatro em Londres. Sou muito feliz por ser um ator e AMO trabalhar, pois, como dizia meu saudoso pai, "quem trabalha naquilo que gosta, meu guri, rende o dobro e cansa a metade." Papai sabia das coisas...

Em uma entrevista você disse que o palco separa os meninos dos homens (e as meninas das mulheres). O que o teatro proporciona pro ator e espectador que nenhum outro meio proporciona? No Cinema e na TV você tem que ser bom uma vez só, precisamente na hora que está filmando/gravando. Mas no Teatro você tem que ser bom toda santa noite... Sem falar na relação direta com o público, na necessidade de se reinventar a cada sessão e na peculiaridade de, no Teatro, o ator chamar para si quase todas as instâncias da representação. É o ator que dita o ritmo (e não a edição), o posicionamento (e não a câmera), a voz (e não o microfone) e tudo o mais. O Teatro é, mais do que qualquer outra, a arte do ator.

Amante da velocidade você faz parte do Kart dos Artistas e Desafio das Estrelas, quando essa paixão deu início e você resolveu vive-la intensamente? Comecei a praticar kartismo quando teve início a febre dos karts indoor no Brasil, em 1994. De lá para cá nunca parei de competir em eventos e campeonatos de Kart por todo o Brasil. Sou amigo de muitos pilotos e absolutamente apaixonado por velocidade. É um hobby que pratico com a mesma dedicação e prazer do meu trabalho como ator. Sou kartista amador, portanto AMO andar de kart e me dedico bastante.


Você faz o tipo esportista, tendo praticado várias modalidades, ansioso pela Copa e Olimpíadas no Brasil? Pratiquei/pratico judô, karatê, capoeira, meia-maratona, musculação, alongamento e kartismo. Sempre fui - e espero continuar sendo - um atleta. Mas não estou nem um pouco empolgado com Copa e Olimpíadas no Brasil. Sinceramente acho que toda essa montanha de dinheiro público seria mais bem investida em tudo aquilo que nos falta desde sempre: escolas, hospitais, transporte, etc. O Brasil sempre foi assim, infelizmente.

Como é a sua relação com seus filhos? O que deseja pra eles, o que ensina, aconselha? Sou um pai-solteiro super presente com meus dois filhos Jonas (12) e Daniel (7) e tenho imenso AMOR (assim, maiúsculo) por eles. Desejo que eles sejam muito felizes, cada qual com suas escolhas. Que sejam homens honrados, amorosos e leais com seus afetos. Que tratem bem suas namoradas. Que tenham Sorte na vida e que "o Acaso os proteja quando andarem distraídos." Que tenham saúde, amor, prazer, bom humor, alegria de viver e ainda sejam capazes de perseguir seus objetivos (sejam quais forem) com diligência e honestidade. E que, ao lembrarem de seus pais, tenham a certeza de que sempre foram MUITO amados.

O que deveria estar com o Pé na Cova no Brasil? (risos) A corrupção e falta de vergonha na cara de quase todos os políticos de quase todos os partidos.

Quais os próximos projetos para esse ano? Estou em cartaz no Teatro Gláucio Gill (RJ) com uma excelente peça chamada OLEANNA (de David Mamet), com direção de Gustavo Paso. Também gravo a série ANIMAL, da Globo, com direção de Paulo Nascimento e estreio dia 5 de abril o seriado OXIGÊNIO, de Pedro Zimmerman, na RBS TV. Devo filmar em maio um longa-metragem com o diretor Marcelo Santiago, além de estar no ar em "Vale a Pena ver de Novo" com a novela CARAS E BOCAS (TV Globo) e ainda tenho a estreia - em agosto - do longa-metragem SENHORES DA GUERRA, de Tabajara Ruas. Sem falar do Campeonato Brasileiro de Kart dos Artistas 2014, no qual defendo - ao longo do ano - o título de Campeão que conquistei na temporada 2013. Esse é o meu aqui-agora e estou muito feliz com esse momento.