quarta-feira, 23 de julho de 2014

PERFIL: O grande mestre Ariano Suassuna

Pernambucano da Paraíba, Ariano Suassuna é um dos grandes escritores e dramaturgos brasileiros tendo várias de suas obras levadas para o teatro, TV e cinema. Homenageado pelo Galo da Madrugada esse ano, Ariano e suas histórias são cheias da riqueza do sertão, misturando realidade e fantasia de um jeito único com personagens inesquecíveis como os eternos João Grilo e Chicó do Auto da Compadecida.

DA PARAÍBA A PERNAMBUCO

Era 16 de junho de 1927, em João Pessoa. Nascia naquele dia Ariano Suassuna, um dos grandes escritores, poeta e dramaturgo brasileiro. Filho de político, mudou-se para o sertão quando o pai deixou o governo. Ariano era então apresentado ao mundo que seria contado em suas histórias. Por questões políticas o pai foi assassinado durante a Revolução de 1930 e a família se mudou para Taperoá. Foi lá que Ariano começou os seus estudos e conheceu o teatro de mamulengos e os desafios de viola.

Todo esse universo da improvisação, da falta de luxo, mas com abundância de criatividade e improvisação foi servindo de inspiração e moldando as características literárias e dramatúrgicas de Ariano. Em 1942 Recife recebe Ariano. O escritor fez faculdade de Direito e foi lá que conheceu Hermilo Borba Filho com quem fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947 escreveu sua primeira peça Uma Mulher Vestida de Sol e a partir daí não tinha mais volta, Ariano era o homem das letras, das histórias que percorreriam o mundo.

Chegou a formar-se em Direito e a atuar na área, contudo a veia de escritor falou mais alto e depois de viver um tempo entre as duas carreiras, a advocacia foi deixada. Por conta de problemas de saúde chegou a voltar a Taperóa, onde inclusive escreveu e montou a peça Torturas de um Coração em 1951. De volta ao Recife no ano seguinte deu prosseguimento a carreira literária. Junto com Hermilo Borba Filho fundou o Teatro Popular do Nordeste e montou várias peças. Chegou a lecionar a disciplina de Estética na UFPE e em 1970 deu início ao Movimento Armorial.

O MOVIMENTO ARMORIAL

O Movimento Armorial nasce com o objetivo de valorizar a cultura popular nordestina com a pretensão da realização de uma arte erudita a partir de raízes populares. Junto com um grupo de artistas e escritores e o apoio do Departamento de Extensão Cultural da Pró-Reitoria para Assuntos Comunitários da Universidade Federal de Pernambuco, Ariano Suassuna inspirou e dirigiu o movimento que foi oficialmente lançado em 18 de outubro de 1970.

Segundo o movimento a cultura brasileira de raiz, a genuína seria resultado dos processos imigratórios sofridos pelo nosso país desde sua colonização, misturando a cultura indígena já existente, dos portugueses e demais povos que aqui chegaram e se instalaram. Dessa forma a Arte Armorial assume uma formação técnica europeia (erudita) com base na tradição nacional. A grande marca desta corrente é a sintetização de elementos e figura culturais nordestinas com as obras clássicas da literatura universal, o que é um traço marcante na obra de Ariano. O Movimento é também uma resposta ao considerado domínio massivo da cultura dos Estados Unidos.

O Movimento Armorial engloba diversas expressões artísticas, como música, poesia, teatro, dança, pintura, xilogravura, escultura, cinema, tapeçaria, arquitetura e tantas outras existentes. Quanto ao nome do movimento ser Armorial, a explicação de Suassuna é que ele idealizou um sertão quase que medieval comparando os cangaceiros aos cavaleiros e os reis com os donos de fazenda. E como armorial é o nome que se dá ao livro de brasões e bandeiras de família, muito comum aos tempos medievais, Ariano achou que poderia transformar o substantivo em adjetivo para caracterizar a proposta cultural. Fazem parte do Movimento Armorial além do próprio Ariano Suassuna, Francisco Brennand, Raimundo Carrero, Gilvan Samico, entre outros, além de grupos como o Balé Armorial do Nordeste, a Orquestra Armorial de Câmara, a Orquestra Romançal e o Quinteto Armorial.

O POLÊMICO ARIANO

Além de talentoso, Ariano Suassuna também é polêmico. Defende duas ideias e tem respostas rápidas e diretas para quem fizer perguntas. As pelejas, como se diz no nordeste, são algumas e com alguns, mas a cultura americana é sem dúvida seu maior desafeto.

O movimento Mangue Beat, por exemplo, liderado pelo cantor e compositor (já falecido) Chico Science sofreu duras críticas de Ariano, justamente porque havia influência de sonoridades americanas como o punk, hip hop e funk. O que eles tinham em comum era a valorização da cultura local tanto que apesar das “desavenças de ideias” Ariano reconheceu que os jovens passaram a conhecer e valorizar mais o Maracatu a partir do Mangue Beat.

O chamado forró estilizado também recebeu críticas de Ariano, principalmente pelo palavreado utilizado e pela vulgarização da mulher.  Para ele as letras da músicas estimulam a violência e as relações banais. As críticas foram duras, alguns apoiaram outros não, mas assim é Ariano, ele não se poupa de opinar, mesmo que entre em discordância. A paixão pelo clube é declarada aos quatro ventos.

ÂNIMO E ESPERANÇA

Muito além de críticas e polêmicas, Ariano é um homem que acredita que as coisas e as pessoas podem mudar, tanto que suas histórias acontecem em um sertão de encantamento, com humor e doses de leveza não somente as coisas duras da seca e da pobreza. Em uma das tantas entrevistas que já deu Ariano disse “Ah, sou um encantado com a vida! Vou lhe dizer uma coisa, se antes de nascer tivessem me consultado, mesmo que tivesse a consciência que tenho hoje de como a vida pode ser dura, ainda preferiria viver cem vezes porque tenho essa paixão pela vida.”

Isso vem muito da educação de Ariano. Mesmo o pai tendo sido assassinado, a mãe, não cultivou nos filhos nenhum sentimento de vingança (tão comum no sertão) pelo contrário. Ariano já a descreveu como sendo uma mulher corajosa, mas também terna e meiga.

HOMENAGENS

Entre tantas homenagens, Ariano foi o tema do Galo da Madrugada este ano e esteve presente no Camarote oficial do bloco. Feliz com a homenagem e de ver a estética Armorial presente nos carros alegóricos e nas fantasias Ariano posou para fotos, conversou com alguns foliões e se mostrou bem recuperado do infarto que sofreu no ano passado, um susto que segundo ele, lhe mostrou ausência do medo da morte.





terça-feira, 22 de julho de 2014

MOTOR: Harley-Davidson apresenta sua moto elétrica com som de avião

Um referência no mundo por suas incríveis motos a Harley Davidson apresentou recentemente sua primeira motocicleta elétrica que faz parte do projeto LiveWire. Fugindo do foco mundial de sustentabilidade e meio ambiente, a intenção é ampliar as possibilidades de se ter uma incrível moto reforçando a aparência, som e tato (como de costume). Segundo Jeff Richlen relatou, chefe de engenharia do projeto, “Nós não queríamos um produto silencioso”. E está aí uma moto com som inspirado em avião (veja o vídeo para ouvir).

"É um novo som para a Harley Davidson. Na primeira vez que ligamos os motores e fizemos a motocicleta andar, sabíamos que tínhamos algo especial", conta Richlen. Porém para não fugir de sua tradição que fez sua fama ao redor do mundo, a Harley-Davidson fez questão de manter o som marcante de seus motores. “O som foi inspirado no barulho de uma turbina de avião”, explica Jeff Richlen. Com o intuito de tornar a condução mais emocionante, o barulho emitido por ela auxilia na segurança do condutor, pois as motos elétricas emitem baixo ruídos. “O som é totalmente natural, mas trabalhamos no acabamento interno para que soasse assim”, acrescenta Richlen.

A ideia é fazer várias apresentações do novo modelo pelos EUA, começando por Nova York, passando pela famosa Rota 66 até passar pelas mais de 30 concessionárias Harley-Davidson até o final do ano. Isso tudo como ação de marketing e para testar nas estradas se o modelo será produzido em larga escala. Algumas unidades foram totalmente finalizadas e emplacadas para rodar pelos EUA. “Estamos estudando se esta turnê também passará no Brasil”, afirmou Mark Han-Richter, vice-presidente e chefe de marketing da fabricante.

Falamos tanto dessa super moto, mas e quais suas características? Vamos lá... Com um motor de 74 cavalos de potência, a moto faz de 0 a 96,0 km/h em 4 segundos, resultado comparável a um modelo tradicional com motor a combustível, de média e alta cilindrada. Sua potência máxima chega a 74 cavalos e o torque de 7,18 kgfm. Com velocidade máxima limitada eletronicamente em 148 km/h a moto possui autonomia média de 85 km, levando em média 3,5 horas para recarregar completamente suas baterias. E ainda possui um sistema de regeneração de energia nas frenagens.



Além de utilizar energia elétrica, outra novidade apresentada no modelo é o uso de um monoamortecedor na traseira, atualmente a empresa utiliza duplo amortecedor no eixo traseiro. Visualmente ela tem um design mais futurístico e um estilo “naked”, sem carenagens, em especial no chassi e conjunto ótico, algo inédito até então. Visualmente aproxima-se da linha V-Rod. Talvez toda essa mudança de conceito de uma HD não agrade aos mais tradicionais “haleyiros”, segundo Matt Levatich, presidente da Harley-Davidson, “Não é uma mudança para nós, é uma soma para a linha. Nossos tradicionais consumidores podem ficar tranquilos que vamos continuar produzindo os modelos tradicionais”.

Veja o vídeo: 

segunda-feira, 21 de julho de 2014

ESTILO: Inverno com pegada sportwear

Exemplos não faltam para falar da tendência que chegou pra ficar: a sportwear. Uma delas é o modelo de jaqueta “bomber”, uma inspiração nas jaquetas de voo dos soldados americanos na Segunda Guerra Mundial. Com uma leitura mais moderna, a peça permite o homem circular em baladas e até eventos mais formais. Os moletons são outro exemplo. Se engana quem pensa que a peça funciona apenas para aquecer ou ficar em casa. O moletom deixou de ser encarado como “básico” para fazer parte do figurino constante da maioria dos homens.




Não sabe o que vestir em alguma ocasião? Na dúvida vá de blazer. Se for durante o dia, opte pelas cores claras. Caso contrário, pelos tons mais escuros. Receber em casa um convite com descrição de traje pode nos deixar inseguros. Se o solicitado for “passeio”, o blazer será peça obrigatória. Durante o dia, a gravata é dispensada, mas após o cair da noite, o assessório que lhe dá um nó na garganta, é bem-vindo. Se a exigência for “passeio completo” a gravata é indispensável. Mesmo se for à luz do dia.

Qualquer convite que seja enviado com descrição de traje terá uma ocasião um pouco mais formal. Mesmo que seja “esporte” não arrisque usar bermuda, camiseta e tênis. Nesse caso inclusive, o nosso grande aliado blazer pode ser uma boa opção porem, melhor que seja desestruturado. Não parecendo um paletó. Aliás a diferença entre um blazer e um paletó está justamente nesse ponto: o primeiro sempre é mais esportivo e o outro, mais social, assim como a parte de cima de um costume ou terno.

Acompanhando a democratização da moda, o blazer já pode ser usado até com bermuda, mas, é claro que isso cai bem para os mais modernos. Caso seja mais clássico, não arrisque. Opte por um jeans ou calça de sarja se a intenção for se vestir de uma maneira mais esportiva. Resumindo: o nosso bom e velho blazer é peça fundamental em nosso guarda-roupa. Seja de linho, sarja ou lã, é um bom companheiro para todas às horas. 
...............................................................................................................

A partir do momento em que a moda criou tendências, e isso acontece desde que nós humanos começamos a nos vestir e sentir prazer em acompanhar o que é moderno, ficou definido o que seria tendência para invernos e verões. Até a algum tempo, as cores, tramas e assessórios eram classificados como sendo clássicos para cada uma dessas estações do ano. Especificamente, marrom, cinza e preto, eram as cores de inverno e o amarelo, turquesa e branco coloriam apenas nossos verões... Quanto às tramas, o “tweed” e “pied de poule” eram apenas para os dias frios. 

Há alguns poucos anos, importantes estilistas arriscaram o branco e cores mais claras quando apresentaram suas coleções de inverno. Correram o risco de, os mais tradicionais críticos da moda não aprovarem. Foram considerados precursores, inovadores e o público aprovou. Desde então, estamos acostumados a ver cores cítricas em peças de inverno e tons escuros e terrosos combinando com a alegria das cores dos verões. Sendo assim, não espere ver nessa próxima estação de dias mais frios, apenas as clássicas cores de inverno nas “apostas” das mais importantes marcas da moda. Não se espante em ver, por exemplo, o amarelo cítrico como tendência para nossa próxima estação do ano. 

sexta-feira, 18 de julho de 2014

ENTREVISTA: Gabriel Falcão, destaque em "Malhação" é um dos grandes atores da nova geração

A participação de Gabriel Falcão em Malhação já chegou ao fim, mas os seus planos artísticos e pessoais estão só começando. Além de atuar, gosta de música e literatura, não à toa tem um blog onde exerce sua criatividade com as palavras, vale conferir depois dessa entrevista a MENSCH.

Você está encerrando sua participação em Malhação agora. Como foi a experiência? O que te surpreendeu? Foram doze meses de um aprendizado diário. Cada dia era de experimentos e descobertas - tanto na frente das câmeras quanto nas ruas, na relação com o público. Foi um território que desbravei passo a passo, com todos os prazeres e temores inerentes. O que mais me surpreendeu foi o ritmo acelerado do processo como um todo: às vezes receber um texto para gravar no dia seguinte ou alguns dias depois. No começo isso me assustou um pouco porque eu não estava acostumado, mas com o tempo se tornou um desafio libertador.


Como você chegou até a Globo e à Malhação? Conta um pouco desse início... Bom, desde muito novo eu faço teatro - me lembro de aos seis anos já estar atuando em peças no colégio - e nunca parei. Com o tempo fui me aprofundando, quando adolescente estudei no Tablado e na CAL, e na hora de escolher uma faculdade eu optei por Bacharelado em Teatro (que ainda não consegui concluir por conta de Malhação e outros trabalhos anteriores). Em seguida atuei em alguns musicais (Despertar da Primavera, HAIR, Quase Normal) e em uma série infantil na Nickelodeon (Julie e os Fantasmas). Quanto à TV aberta, nenhum mistério: já tinha feito outros testes antes, para novelas e minisséries, e quando fiz o teste para interpretar o Ben fui escolhido. Acho que chegou na hora certa, tanto em matéria de preparo artístico pra lidar com todos os encargos que um protagonista traz, quanto de preparo psicológico pra entender e atender as demandas que a visibilidade na televisão acarreta.

Com esse destaque em Malhação, como está o assédio feminino? No começo foi um pouco estranho, porque eu não estava acostumado com aquilo. Ver pessoas que ficaram horas do lado de fora do estúdio apenas pra te encontrar ou tirar uma foto com você é algo que demorei a entender. Mas, aos poucos, com carinho e respeito de ambas as partes fui encontrando a maneira de me relacionar com isso e tive um enorme prazer em ver a forma como o nosso trabalho repercutia e afetava um grande número de pessoas. Homens e mulheres, jovens e adultos, de todas as classes sociais, sem distinção alguma.



Malhação vai ficar na saudade? O que mais te marcou? Com certeza vai deixar saudades! Muitas! O que fica mais marcado, pra mim, é a convivência em grupo como um todo. Por ser uma novela de menor escala, nossos núcleos eram quase todos muito próximos, e isso fazia com que o elenco inteiro passasse muito tempo junto: tanto diante das câmeras quanto nos camarins.

Fora atuar, que tipo de expressão artística te encanta? Especialmente a literatura e a música. Sou leitor compulsivo, às vezes chego a ler seis livros por mês - de todos os tipos: ficção, teoria, poesia, teatro etc.

Se não fosse ator, o que acha que seria? Algo ligado à música, já que você curte tocar violão? Talvez fosse músico, sim, é verdade. Adoro cantar e tocar violão e piano, e ouvir música é um dos grandes prazeres da minha vida. Mas acho mais provável que eu me tornasse escritor. Inclusive eu mantenho um site onde publico textos de todos os tipos, www.omundoqualquer.blogspot.com - e penso em algum dia publicar algo, quem sabe...


Quando não está em cena, o que curte assistir (TV, teatro ou cinema)? Quais seus ídolos? Em televisão, adoro ver séries e minisséries (LOST foi um dos meus maiores vícios até hoje) e também sempre tento ver alguns trechos das novelas, pra acompanhar o trabalho dos atores e diretores e autores. Acho importante estar em sintonia com seu tempo e seu espaço - e a novela sem dúvida é uma manifestação muito forte no Brasil nas últimas décadas. No teatro gosto de ver de tudo, desde que feito com cuidado e dedicação - teatro musical, autores clássicos, espetáculos experimentais. São tantas pessoas que eu admiro e tenho como exemplo... Mas se eu tivesse que nomear só um, atualmente seria o grande Wagner Moura. Não só pela qualidade artística dos seus trabalhos, mas também por sua postura pública.

Pra manter a saúde e o corpo em dia, quais seus hábitos? Já há alguns anos eu pratico yôga, e desde criança eu surfo - isso sempre me ajuda a sustentar a sanidade do corpo. Além disso, pra manter a saúde mental eu pratico meditação quase diariamente. É indispensável.

Agora muito está se falando do seu relacionamento com a atriz Vanessa Gerbelli. Esse interesse da mídia chega a te incomodar em algum momento? Não, o interesse comum é algo absolutamente compreensível: somos os dois pessoas públicas por conta de nosso trabalho na televisão. O que varia muito, e portanto às vezes pode chegar a ser desrespeitoso, é a medida e a forma do exercício concreto desse interesse. Hoje em dia, com tanta informação circulando tão rápido e com tão pouco critério, é muito fácil esquecermos que as pessoas públicas de quem falamos são, elas também, pessoas, de carne e osso - têm sentimentos e medos, sonhos e vontades, famílias e amigos. Essa lembrança me parece ser fundamental.

Falando sobre isso... O que mais te atrai em mulheres mais velhas. Foi uma exceção ou é uma regra na sua vida? Nem exceção e nem regra (risos). Mas, pra mim, três coisas são essenciais em uma mulher: sensibilidade, inteligência, e interesse pelo mundo.

Você é um cara vaidoso? Como lida com o espelho? Não me considero muito vaidoso, não. Acho que o espelho é, literalmente, apenas a forma como vemos a nós mesmos. Estando bem consigo, estamos bem com ele.

Quais os planos daqui para frente? Algum em especial ou vai vivendo um dia por vez? Os planos são muitos, e o primeiro deles já estou realizando agora: estudar Shakespeare na Inglaterra é um privilégio e um sonho de muitos anos. Já os planos profissionais também são incontáveis: tenho vontade de voltar ao teatro profissional, de atuar no cinema, de continuar a desbravar a televisão... Mas esses vão esperar minha volta ao Brasil. Afinal, é um plano de cada vez.


Fotos Edu Rodrigues
Direção Criativa e Produção Executiva Marcia Dornelles (www.mdproducoes.com)
Stylling Xico Gonçalves
Beauty Guto Moraes

Gabriel Falcão Veste - Look 1: calça Overend, camisa Convicto, camiseta Jonny Size, bota coturno Zara, Look 2: calça Complexo B, tricô Jonny Size, Look 3: calça Ogochi, camisa cinza Overend, paletó Acostamento Outfitters, Look 4: calça Base, camisa Ogochi, paletó Ogochi Absolut, sapato acervo.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

ESTILO: HIVER DE BASE - Sobreposições de peças dão o tom para deixar o seu visual mais urbano e clássico nesse inverno.

A combinação de chapéus, óculos de sol, poucas cores e tecidos dos mais variados estão entre as propostas reunidas para este inverno. Sobreposições de peças, misturas de padronagens, diferentes texturas juntamente com blazer ou jaqueta dão o tom para deixar o seu visual mais urbano e clássico ao mesmo tempo. São peças que podem facilmente combinar entre si criando um visual criativo e cheio de estilo para a estação mais fria do ano.





quarta-feira, 16 de julho de 2014

NEGÓCIO: Os principais passos para realizar o sonho do próprio negócio

De acordo com recente pesquisa divulgada pelo Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa, o SEBRAE, o sonho de 44% dos brasileiros é abrir o próprio negócio. Pela primeira vez o número de pessoas que desejam ser donas do próprio negócio supera o número de brasileiros que desejam ser funcionários empregados (25%). Para esclarecer dúvidas e ajudar a realização dos sonhos desses brasileiros como você, caro leitor, a MENSCH convidou o consultor do SEBRAE Leonardo Salazar para uma série de artigos sobre o tema.

Esses dados refletem as mudanças ocorridas no cenário econômico brasileiro na última década (2003 – 2013) e a melhoria do ambiente para fazer negócios no Brasil. Do lado da demanda, o surgimento da Nova Classe Média fortaleceu o mercado interno, aumentando o poder de consumo de bens e serviços (são 95 milhões de brasileiros – 50,5% da população). Do lado da oferta, a legislação empresarial trouxe benefícios através de um tratamento simplificado e favorecido para os pequenos empresários, as microempresas e as empresas de pequeno porte, universo que representa 99% das empresas ativas no Brasil.

Antes de abrir sua empresa, entretanto, o candidato a empresário deve refletir sobre as reais motivações que o fazem desejar ser dono do próprio negócio. Alerto para duas falsas motivações que devem ser evitadas pelo candidato a empresário. Em primeiro lugar, ele acha que vai ter a liberdade de fazer o seu próprio horário. Enganou-se, nem imagina que vai trabalhar da hora que acordar até a hora que for dormir, sem direito a hora extra, descanso semanal remunerado, décimo terceiro ou férias. Em segundo lugar, ele pensa que nunca mais vai ter patrão para lhe dar ordens. Errado, pois não terá um patrão apenas, mas vários patrões, que serão todos os seus clientes, cada um se achando a pessoa mais especial na hora de exigir e se achando o mais coitado na hora de pagar.

Superado o momento da autoavaliação, hora de seguir adiante. Preparação e informação são as duas principais ferramentas disponíveis para abrir uma empresa com segurança. Nesse sentido, o SEBRAE presta serviços essenciais de capacitação e de orientação para ajudar o candidato a empresário a planejar a abertura da sua empresa. Na página de educação à distância do SEBRAE na internet (www.ead.sebrae.com.br) estão disponíveis mais de 30 cursos gratuitos com tutoria, além de outras soluções educacionais como oficinas por celular, jogos e vídeos.

Ainda surfando na internet, resultado de uma das ações da REDESIM – Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios – o Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov.br) disponibiliza informações detalhadas sobre os tipos de empresas do Brasil, requisitos, benefícios e impedimentos. Permite ainda a execução online dos atos necessários à formalização do Microempreendedor Individual (MEI), agilizando os procedimentos, visto que evita a necessidade de se deslocar à Junta Comercial e a outros órgãos governamentais afins.


Segundo o art. 967 do Código Civil, é obrigatória a inscrição do empresário (individual ou sociedade empresária) no registro público de empresas mercantis da respectiva sede (Junta Comercial do Estado ou Cartório de Registro das Pessoas Jurídicas, no caso das sociedades simples), antes do início de sua atividade, sob pena de exercer a atividade irregularmente (informalmente). Ser informal é como viver na clandestinidade: sem documentos e sem direitos. Mas ao formalizar sua atividade econômica, o empreendedor tem todos os registros de sua empresa e passa a gozar de uma série de benefícios tributários, trabalhistas, previdenciários, creditícios e de acesso a mercados.

Acredite, um CNPJ ativo e regular pode aumentar as chances de sucesso. É o CNPJ que vai viabilizar a emissão de notas fiscais para a venda de bens ou de serviços. É ele que vai viabilizar a contratação direta com o órgão público ou com uma grande empresa. É ele que vai viabilizar o acesso aos recursos financeiros bancários, seja para capital de giro, investimento ou exportação.

Acredite em você, busque as oportunidades e tenha uma visão global do mercado em que atua ou pretende atuar. Um plano de negócio pode aumentar em até 60% suas chances de sucesso. Finalizo este breve artigo com uma mensagem simples: não existe negócio fabuloso que seja lucrativo por conta própria; existe o comportamento do empreendedor que faz determinada atividade dar dinheiro, ou não.



terça-feira, 15 de julho de 2014

MUSA INTERNACIONAL: Irina Shayk, a musa do craque Cristiano Ronaldo, em um ensaio altamente sensual

A Copa do Mundo acabou, o jogador Cristiano Ronaldo mal conseguiu desfilar seu talento em campo, mas o que ficou de boa recordação do craque português foi a sua bela namorada Irina Shayk, que por onde passa arranca suspiros e muitos flashes. Enquanto Ronaldo tentava se manter na Copa, Irina marcava mais um golaço posando muito sensual de calcinha e sutiã para uma marca de lingerie italiana. Os clicks prontamente viraram notícia em todo o mundo e só comprovam o bom gosto do craque.

Irina Shayk cresceu em num vilarejo russo tão pequeno que "não tinha sequer revistas de moda", segundo disse a própria Irina, o que significa dizer que uma carreira de modelo fotográfico praticamente era um sonho muito distante, sem grandes referências. Mas, graças a um anúncio que a mãe de Irina viu em uma parada de ônibus (em uma aldeia um pouco maior) foi o suficiente para rapidamente colocar em movimento a inevitável transição de estudante de marketing para o de modelo conceituada. Isso foi há seis anos, e desde então Irina atingiu um número impressionante de cair o queixo da Swimsuit spreads SI, e foi morar em Nova York.

Em 2007, ela se tornou o rosto da marca de lingerie Intimissimi, aparecendo em companhias, catálogos e propagandas, assim como um comercial em 2009. Em 2010, Irina foi nomeada representante oficial da marca Intimissimi

No mesmo ano, ela também se tornou o rosto da marca Lacoste e da LaPerla.  Seu trabalho como modelo inclui dentre outros contratos incluem a Beach Bunny (2009), Advinha (2008-2009), e a Armani Exchange.

E tanto sucesso terminou chamando atenção do jogador português Cristiano Ronaldo. O casal está junto já há um bom tempo e mesmo com agendas bem distintas, às vezes fazem algum trabalho juntos como aconteceu recentemente, onde Irina e Ronaldo foram capa da revista Vogue espanhola em especial à Copa do Mundo. Ela não gosta de falar sobre seu relacionamento, mas confessa pelo menos, um segredo: "Eu não sou um fã de futebol, com certeza não.”





segunda-feira, 14 de julho de 2014

FITNESS: 7 dicas valiosas para iniciar de vez uma atividade física.

Início de semana é um bom motivo para começar a praticar alguma atividade física. O segredo é ter força de vontade e disposição. Alguns têm mais, outros, menos disposição para fazer atividades físicas. Os motivos também podem variar, mas uma coisa é certa: quem se exercita ganha inúmeros benefícios para uma vida mais saudável, reduzindo a incidência de fatores de risco de doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial, diabetes e aumento dos níveis de colesterol, e contribuindo para seu controle.

Entretanto, é fundamental uma avaliação médica antes de se iniciar qualquer atividade, até mesmo as mais simples, como uma caminhada matinal. Quem orienta é o cardiologista Alex Felix, do Bronstein Medicina Diagnóstica. Segundo o especialista, além de passar pela avaliação clínica de um médico – obrigatória para qualquer prática esportiva –, pode ser necessária a complementação com outros métodos diagnósticos, mesmo em pacientes jovens, de acordo com sua história familiar, exame físico e queixas clínicas associadas.


Algumas pessoas devem adicionar um teste ergométrico a essa lista. “Caso o praticante já tenha pressão alta, alguns tipos de arritmia cardíaca ou sinta cansaço e desconforto no peito, devem ser feitos, além da avaliação física e do eletrocardiograma, um teste ergométrico e um ecocardiograma. Mas vale reforçar que esses exames devem ser solicitados após a avaliação criteriosa de um médico”, afirma Félix. Confira aqui as dicas valiosas para iniciar suas atividades físicas com saúde e ter um resultado ainda melhor:

1. SAÚDE EM DIA
É importante fazer uma avaliação completa na própria academia ou no médico de sua preferência. Conhecer os níveis pressóricos e a frequência cardíaca, as medidas antropométricas e o Índice de Massa Corporal (IMC) ajuda seu professor ou personal trainer a orientá-lo na escolha da atividade física mais adequada.

2. ROUPA PERFEITA
Use roupas leves e tênis confortáveis. Existem diferentes modelos para cada tipo de atividade e para os diferentes tipos de pisada, no caso dos tênis.

3. CORPO PREPARADO
Sempre que possível realize um aquecimento geral, que pode ser feito em qualquer aparelho ergométrico  como transport, esteira ou bicicleta durante 5' a 10' para atividades em geral ou com um aquecimento específico para a modalidade que irá praticar em seguida. Por exemplo, na musculação  realizar uma série com 50% da carga antes de começar o treino propriamente dito. Na maioria dos casos é mais importante esse procedimento do que apenas alongar.


4. HIDRATAÇÃO
Hidrate-se antes, durante e depois do treino. Antes atividades de longa duração você já deve estar hidratado antes do treino. É o caso das corridas longas e esportes coletivos, onde é necessário iniciar o processo desde o dia anterior.

5. FUJA DA ROTINA
Mesmo que você tenha uma determinada rotina de exercícios de musculação ou corrida, procure diversificar e conhecer outras modalidades. Isso também serve para praticantes de esportes em geral, principalmente para os iniciantes. Desta maneira fica mais fácil se manter ativo e variar quando estiver se sentindo desmotivado. Converse com seu professor e saiba as melhores combinações para suas atividades.

6. UM PASSO DE CADA VEZ
Aumente a intensidade de seus exercícios gradualmente. Siga sempre a orientação de seu professor para ir adiante em seu treinamento. Evite lesões. Vá com calma. As primeiras aulas, mesmo sem resultados aparentes, são importantíssimas para adaptação e fortalecimento dos músculos, das articulações e da adaptação geral do organismo.


7. CRIE UMA META DE MÉDIO PRAZO
Manter-se focado é uma das maneiras mais eficientes de alcançar o seu objetivo. Assim, estabelecer um prazo irá ajudá-lo a não faltar aos treinos e manter-se fiel a dieta. Estudos mostram que o momento crítico para o abandono das atividades é em torno dos primeiros meses. Trace um objetivo para os primeiros três meses e seja firme. Vencendo essa barreira tudo ficará mais fácil!

*Anderson Santos é educador físico e personal do Mais Atividade Física. (www.maisatividadefisica.com)

Acompanhe a MENSCH também pelo Twitter e Fanpage: RevMensch e baixe gratuitamente pelo iPad na App Store. 

sexta-feira, 11 de julho de 2014

ENTREVISTA: Sacha Bali, o Murilo de "Em Família", mostra a que veio com muito talento

Bonito, famoso, atuando no horário nobre...Sacha Bali tinha tudo para querer fazer um ensaio que exaltasse tudo isso, mas ao contrário, se vestiu de mendigo para se despir de vaidades e excluir valores aos quais não se prende como status e artificialidade. Interpretando o personagem Murilo, no novela "Em Família", Sacha lida com os preconceitos entre as classes sociais. Conheça um pouco mais dessa cara amante dos esportes.


Como surgiu o desejo de ser ator? Eu era estudante de cinema, meu sonho sempre foi escrever e dirigir filmes. Já trabalhava com fotografia e fazia assistências quando resolvi estudar teatro no intuito de aprender a dirigir atores. Acabei tomando gosto pela coisa, daí comecei a escrever peças e a atuar nelas, até que as oportunidades começaram a surgir e ficou difícil voltar atrás.

Você já fez o papel de um mutante, o metaformo, na Record... Se pudesse se transformar em uma outra pessoa quem seria e por que? E que super poder gostaria de ter? Em muita gente que eu admiro. Se pudesse escolher, me transformaria no Carlos Burle para pegar a maior onda do mundo, no Roger Waters para compor a música mais bela, no Jon Jones para lutar num octógono, no Marlon Brando para dominar completamente uma cena. Enfim, em milhares de atletas e artistas em quem me espelho para sentir o que eles sentiram ao realizar os maiores feitos da humanidade… E, se eu pudesse escolher um super poder, sem dúvida seria o da metamorfose. 

Em Joia Rara o seu personagem era a ligação entre os protagonistas... Acredita em destino ou no acaso? Acredito que todos nós nascemos com sonhos e aptidões específicas, e que faz parte do mistério da vida ir em busca da sua bem-aventurança para construir algo grandioso. 



A novela te traz mais exposição e um reconhecimento maior do grande público. Isso alguma vez te incomodou ou te fez sentir mais bem acolhido como ator? O reconhecimento é sempre bacana, já que o nosso trabalho é sempre feito para ser visto pelas pessoas. Já realizei alguns projetos e estou trabalhando em outros tanto para o teatro, quanto para o cinema e a TV. Nesse sentido, a exposição é muito positiva pois me ajuda a fazer parcerias para viabiliza-los.   

Amante dos esportes radicais, que aventura gostaria de viver? Uma das minhas maiores frustrações é não saber surfar. Sempre tive vontade, mas me faltou disponibilidade e disciplina pra levar o esporte adiante. Também gostaria de lutar profissionalmente, mas é inviável conciliar com a profissão.

Como cuida do corpo? O que pratica para deixar o corpo em forma e a cabeça sã? Treino Muay Thai e Jiu Jitsu, além de jogar bola. 

Entre estabilidade e desafios, o que mais te atrai na carreira? Antes de me tornar ator, já havia escolhido ser artista - se é que a gente escolhe essas coisas. A profissão veio quase que involuntariamente; nunca gostei de pensar este ofício em termos de uma construção de carreira, e sim na realização de sonhos. Neste aspecto, dedico a maior parte do meu tempo a desenvolver projetos autorais - como por exemplo o espetáculo que estreio no final do ano, “A Idade das Trevas”, que escrevi inspirado na obra do escritor norte-americano Chuck Palahniuk, com direção do João Fonseca. Meu sonho maior é conseguir realizar estes projetos, criando meu próprio discurso, minha própria estética.



O que faz seu coração disparar (no trabalho e vida pessoal)? Ler um livro ou assistir a um filme que parece que foi feito especialmente pra você. Se apaixonar. Assistir ao pôr-do-sol perfeito numa praia paradisíaca. Conseguir produzir uma obra que toque o coração das pessoas. Sentir um amor incondicional pela sua família e pelos seus amigos. Entrar em sintonia com a natureza.

Na novela Em Família seu personagem Murilo é um cara do morro que se apaixona por uma garota da alta sociedade. Você acha que isso está ficando cada vez mais comum e se tornando algo mais natural ou ainda existe um preconceito velado? É claro que existe muito preconceito. Vivemos em um mundo de ostentação, em que cada um vale mais pelo que tem do que pelo que é. Apesar de vivermos em uma sociedade cada vez mais liberal, o poder aquisitivo continua sendo o fator determinante no status de uma pessoa, o que torna muito raro um relacionamento entre indivíduos de camadas sociais diferentes.


No ensaio pra MENSCH você posou de mendigo, algum motivo especial? Nunca fui modelo, não faço parte do mundo da moda. Apesar disso, recebo alguns convites para ensaios fotográficos e costumo recusá-los, pois não fico muito à vontade posando, não é algo que faça muito sentido pra mim. A figura do mendigo sempre me atraiu pois representa uma exclusão total da sociedade; é a negação do status, da beleza criada, dos artifícios sociais. Resolvi assumir o personagem do mendigo neste ensaio como uma forma de manifestar a minha própria sensação em estar sendo fotografado.

E já que o tema é mendigo...Vivemos em um país cuja distribuição de renda ainda é fortemente desigual...Imagina alguma solução pra isso? Acho que a gente tem que partir do princípio de que não existe solução pra que possa fazer alguma coisa a respeito. Olhar com compaixão pra uma pessoa que está em condições miseráveis e fazer um gesto humano já é um bom começo.

O que não vale a pena pela arte, ou pela arte vale tudo? Acho que não vale a pena fazer algo que você não acredita só pelo fato de estar fazendo arte. Até porque acredito que a arte só se realiza quando sai do coração do artista e atinge o coração do espectador. Se não sai do coração, então não considero arte. 

O que busca como ator? A possibilidade de tocar o coração do maior número de pessoas possível. 



Direção Criativa: Marco Antônio Ferraz
Foto: Matheus Coutinho
Beauty: Guto Moraes