sexta-feira, 14 de abril de 2017

CAPA: Celso Zucatelli vive antenado em todo tipo de informação em todos os meios

O jornalista e apresentador Celso Zucatelli é um cara que vive antenado em todo tipo de informação em todos os meios. Dedicado e sempre pronto para um novo desafio, Zucatelli está à frente do programa “Melhor pra Você”, juntamente com seus colegas Edu Guedes e Mariana Leão. Ligado em redes sociais e as várias formas de informação que avançaram com o tempo, antes de tudo ele precisa amar e se divertir com o que faz. Sempre atual, Zucatelli solta o verbo sobre o real jornalista e sua paixão por viagens e muito rock, jazz e blues.

Celso, com toda sua experiência você acredita que hoje está mais difícil fazer jornalismo de verdade? Não, muito pelo contrário. Temos mais fontes de informação. A qualidade depende do nosso cuidado com o uso dessas fontes. O segredo está na orientação que damos aos novos jornalistas, para que não confiem na primeira informação que aparecer e, sim, que sempre tenham o cuidado de apurar com responsabilidade.

O quanto a internet e as redes sociais ajudam e atrapalham no meio disso tudo? Ajudam, mas vão ajudar mais, porque ainda estamos no processo de transição. Informações que "aparecem" do nada viram verdade, mas entenda que estamos falando de um encontro de gerações. Os novos profissionais de comunicação nasceram num mundo em que a velocidade de "postagem" cria uma enxurrada de notícias e algumas delas viram verdade antes que alguém possa dizer o contrário. Vamos ter que treinar a nova geração que é a base dos programas e jornais. Vai dar certo. 


Com tanta fonte de informação por que as pessoas estão menos tolerantes ou até mais ignorantes (de um modo geral)? Justamente por que elas acreditam na primeira informação. O que precisamos é que os erros sejam corrigidos, que injustiças sejam evitadas, que as mentiras sejam punidas. As redes sociais alimentam torcidas cegas, porque permitem que todos tenham voz. Mas oferecer espaço para manifestação não é ruim, desde que ele seja usado com responsabilidade. As pessoas vão aprender, é tudo muito novo.
Que desafios ser apresentador te traz? Onde está o prazer na função? Todos os dias volto para casa com mais conhecimento. Eu sempre aprendo algo no meu trabalho, nas reportagens que mostramos, nas entrevistas que fazemos e isso é um privilégio. O desafio maior é a gente se reinventar, sem perder a conexão com um público que já é parceiro. Amo meu trabalho.

Depois de um longo período na Record você mudou para a Rede TV. Como foi para você essa mudança e os novos desafios com nova casa e programa? Mudar é muito bom, faz a gente ter desafios, conhecer formas novas de trabalhar, crescer com profissional. A RedeTV! é uma emissora maravilhosa, comandada por sócios que participam ativamente do dia a dia da empresa. Isso gera transparência e velocidade nas decisões, o que é muito bom para profissionais, anunciantes e, claro, para o telespectador.



No “Melhor pra Você” você parece estar bem à vontade juntamente com seus colegas de programa. É um trabalho que parece diversão. Mas quais as maiores dificuldades? Sim, estamos muito felizes, justamente porque o ambiente de trabalho é muito bom. Você usou a palavra certa, diversão. Minutos antes de entrar no ar, todos os dias, eu grito no estúdio para a nossa equipe "senhoras e senhores, vamos..." e a galera responde: nos divertir. E assim deve ser. São duas horas por dia, ao vivo, cinco vezes por semana, fora gravações, reportagens e viagens. Se não for divertido, é impossível fazer.

Como lida com redes sociais? Que força uma crítica nas redes tem para você? As redes sociais nos deram um contato direto com o telespectador, o que eu acho muito legal. Mas, como eu disse antes, todos estão aprendendo a usar isso tudo. Costumo dizer que temos "seguidores" e "perseguidores", os chamados "haters". Críticas de seguidores são recebidas com atenção e respeito. Ataques de perseguidores são respondidos com a maravilhosa tecla "bloquear", simples assim.



O que esses anos todos de TV foram te ensinando em relação a prestação de serviço com o público, a diversão e a parte comercial do negócio? Prestação de serviço é a coisa mais gostosa de fazer. Hoje mesmo, uma denúncia de telespectadores nos levou a um lugar e, enquanto estávamos ao vivo, chegou a equipe da prefeitura para resolver o problema. Fizemos o nosso papel e isso é muito bom. A diversão, como eu te disse, tem que ter todos os dias, é nosso combustível e a parte comercial é fundamental para garantir o funcionamento desta máquina. A RedeTV! sabe cuidar bem de seus parceiro, com uma equipe comercial fantástica. Conversamos, debatemos e encontramos sempre o melhor caminho para que a entrega comercial seja a melhor e todo mundo fica feliz.

A TV digital e por assinatura cada vez ganha mais espaço hoje em dia. Que caminhos você enxerga para a TV aberta no futuro? Vamos ver cada vez mais o crescimento do tal do "on demand", ou VoD, o vídeo sob demanda. A possibilidade de assistir seu programa favorito na hora que você quiser ou puder é o futuro, e isso não vai acabar com a grade tradicional das emissoras. Apenas vai aumentar e muito a possibilidade para o telespectador de não perder o conteúdo que mais gosta. São mudanças para melhor.

Trabalhar na frente das câmeras te deixou mais vaidoso com o visual? Como se cuida e qual seu estilo? Eu deveria me cuidar mais, na verdade. Faço o que é importante para o meu trabalho. Voltei para o meu peso, não deixo mais de praticar esporte e tenho uma alimentação saudável. E isso, claro, é bom para a vida e não apenas para o trabalho. Meu estilo é bem básico: se pudesse, só bermuda e chinelo. Jeans e camiseta preta completam bem o que eu preciso.

Por falar em vaidade, como lidar com o outro tipo de vaidade no meio disso tudo? É mais difícil lidar com a sua vaidade ou a externa? O importante é que, quando sabemos que isso é um trabalho, como qualquer outro, não nos deixamos levar. É simples, mesmo. É verdade que nem todos pensam assim, mas isso faz parte do nosso meio e temos de saber lidar. Está no pacote.  




E quando não está trabalhando o que curte fazer para relaxar? Ficar em casa é a coisa que eu mais gosto de fazer. Ver seriados na TV, cozinhar, curtir a família. Quando estou em São Paulo, cinema e restaurantes são meus programas, além da bike no domingo. Mas o que eu amo mesmo é viajar, é minha paixão. Trabalho pra isso, pra viajar. Pode ser destino de natureza, porque amo esportes radicais, ou cultural, onde volto com uma maravilhosa bagagem de conhecimento. Acabei de voltar da África, sou apaixonado pela Ásia. Enfim, viajar sempre. Logo mais, algumas das minhas viagens estarão no YouTube. Estamos montando uma seleção bem legal.

O que costuma ler, ver e ouvir? Leio tudo, amo ler. Gosto bastante de romances policiais, amo cinema e seriados. Tô vendo a segunda temporada de Quantico, muito boa. Na música, sou um cara, especialmente, do rock, do jazz e do blues. São os estilos que dominam meus aplicativos de música.

Qual a diferença de fama e sucesso para você? Conquistou as duas? Sucesso profissional você pode ter em qualquer área e a chamada fama é, para alguns, parte do sucesso na nossa área. Mas acho que uma boa palavra é "reconhecimento". Quando seus empregadores e, no caso do nosso caso, seus anunciantes e telespectadores reconhecem o que você está fazendo como algo especial, de qualidade, você pode ficar feliz. É claro que isso passa pelo carinho que recebemos do público, que é um privilégio. 

Quais os próximos desafios dentro e fora da TV? Fora da TV, continuar viajando, conhecendo o mundo. Na TV, tenho muitas possibilidades, muitos formatos diferentes que nunca fiz e que quero fazer. As oportunidades aparecem, precisamos saber aproveitar. E, sempre, tenha certeza, estarei me divertindo. É a regra.