segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

EDITORIAL: Ternos de Verão - O ator Caetano O´Maihlan veste com estilo e elegância dois ternos e cria várias combinações

O verão está aí, o clima esquentou e pede roupas mais leves sem abrir mão do charme. E se você é daqueles que precisa manter a linha e usar ternos e blazers para o trabalho, ou vida social intensa, mais que nunca precisa estar atento a tecidos mais adequados para a estação. Convidamos o ator Caetano O´Maihlan, atualmente interpretando o personagem Setur em “A Terra Prometida”, para participar desse editorial de ternos de verão. A ideia é mostrar que com 3 ternos completos você pode criar vários looks com diferentes combinações. E como cenário, a casa que o grande poeta Vinicius de Moraes morou no Rio de Janeiro. De quebra, uma breve entrevista com Caetano para saber quais seus planos para esse ano que se inicia.












Como está sendo o convívio nos bastidores de "A Terra Prometida” nessa reta final? Com o avançar das gravações, o elenco vai ganhando cada vez mais intimidade e vamos nos divertindo mais e mais. Tive a dádiva de passear por muitos núcleos e, portanto, contracenar com atores que admiro imensamente como Beth Goulart, Paloma Bernardi, Ernani Moraes, entre outros. 

Em 2016 você participou de diversas produções cinematográficas. Conte-nos sobre suas participações em cada um dos filmes. O ano começou com a superprodução da Globo Filmes "3000 Dias no Bunker", dirigido por Rodrigo Bittencourt. Ele estava fazendo réplica em um dos testes para escolher o protagonista, conheceu meu trabalho e me convidou para um papel: namorado da personagem da Paola Oliveira, que causa ciúmes e intriga ao protagonista, que é feito por Emílio Orciollo Netto. Foi uma benção contracenar com esses grandes atores e colegas. Depois embarquei no filme Copa 181, uma produção independente e polêmica, primeiro longa do diretor Dannon Lacerda. Nele interpreto o Léo, um garoto de programa que trabalha em uma sauna. Neste filme faço um homem casado, com filho mas que, por fazer só "ativo" no sexo, não se vê como gay. Foi um desafio como ator. Adorei poder dar minha contribuição artística para abrir entendimento sobre os preconceitos da tão estigmatizada sexualidade na nossa sociedade. Por último tive a oportunidade de contracenar mais uma vez com Camila Rodrigues, desta vez no longa "Calvário", do diretor Marcio Darocha, que rasga com violência o véu de hipocrisia da aristocracia na nossa sociedade moderna. Pude mostrar meu trabalho atuando em inglês, já que faço um alto executivo americano de uma empresa multinacional.

É o primeiro ano de atuação no cinema? O que a experiência no cinema acrescentou em sua carreira? Eu acredito no ator que saiba transitar por todos os veículos, usando de suas especificidades técnicas para comunicar: com o teatro como base, saber voar pelo ritmo veloz da TV, passando pela objetividade dos filmes comerciais. Agora pude saborear o cinema, onde podemos discutir e aprofundar a cena como no teatro, mas para um meio audiovisual com precisão; sinto que une todos os aprendizados dos outros veículos. 

Em 2016 você comemorou 11 anos da Companhia de Teatro Íntimo, o que representa a longevidade do grupo. Quais os próximos projetos da Companhia? Foi um ano intenso de celebração da nossa história, onde apresentamos várias peças do nosso repertório por vários estados, cidades do Rio, além da capital. Em dezembro passado, a Cia leu a nova peça: "Touro Mecânico", de Tarcísio Lara Puiati no festival das Satyrianas, em São Paulo. A peça será montada em 2017. 

Quais são os projetos para este ano? Quero trazer para os palcos "A Balada do Amor Através das Idades", que escrevi, produzi e atuei e que estreou no projeto plateias hospitalares com a ONG Doutores da Alegria, e que agora estou adaptando para o palco italiano. Também quero expandir para as unidades hospitalares que a ONG atende em São Paulo nosso espetáculo "Poesia ao Pé D'Ouvido", que há 5 anos é apresentado nos hospitais do estado do Rio de Janeiro. Para isso, já estou conversando com Wellington Nogueira, fundador da ONG Doutores da Alegria no Brasil. 




CREDITOS
Fotos Uine Monteiro
Direção Criativa e Produção executiva Marcia Dornelles   
Stylist Xico Gonçalves

Agradecimentos - Locação casa do grande poeta Vinicius de Moraes, gentilmente cedida pelo stylist Xico Gonçalves.
Gugu Ribeiro