segunda-feira, 18 de julho de 2011

CONSUMO: Consumindo o Esporte - Seus atletas e marcas preferidos estão no seu cotidiano?

Há muito o mundo dos esportes deixou as quadras, campos e pistas e entrou no nosso dia-a-dia. É só olhar para o lado e ver que marcas ligadas a artigos esportivos podem estar no tênis do seu colega de trabalho (e ele não joga tênis), na bolsa de sua amiga ou mesmo na sua camiseta. O consumo de produtos ligados ao esporte tem crescido enormemente a cada ano, assim como a variedade de itens.

Sem muitos problemas, você pode sair de casa usando um perfume da Adidas, ter no pulso um relógio com a marca do Real Madrid Futebol Clube e usar uma camisa da Lacoste. Sim, para os menos avisados, René Lacoste, fundador da grife, foi um tenista francês de ponta nos anos 1920. Apelidado de Aligator, ele usava nos jogos camisas com gola, que logo depois seriam imortalizadas mundo afora com um pequeno crocodilo no peito.  

O que une verdadeiramente as pessoas ao consumo do esporte é a paixão. É nela que os executivos de marketing se apóiam para criar, produzir, distribuir e vender em larga escala, apostando nos sentimentos mais puros daqueles que vão dispor seu tempo e dinheiro para consumir produtos ligados ao seu esporte preferido. Isso é viver o esporte mesmo quando ele não está acontecendo. É talvez nesses momentos e orientados pelos impulsos que o mundo do consumo de materiais esportivos nos fisga.
Mas no esporte a boa experiência é fundamental. Aliado à beleza e à qualidade dos produtos, o que as pessoas querem mesmo é prolongar sensações de alegria e euforia que sentiram nos momentos das competições. A aura do vencedor, seja atleta, clube ou seleção, ajuda a construir o império do consumo dos materiais esportivos. Daí a necessidade dos muito bem pagos garotos propagandas para girar as mercadorias.


A recente campanha da lâmina de barbear Mach3, da Gillette, foi encabeçada por quatro dos maiores ídolos de três modalidades. Kaká e Therry Henri do futebol, Roger Federer do tênis e Tiger Woods do Golfe. Marcas como Nike, Adidas, Puma e Reebok brigam até o último dólar (ou euro) por patrocinar as estrelas ascendentes do tênis, do futebol e de outros esportes. Para se ter idéia do peso de um garoto propaganda para o consumo de materiais esportivos, em 2000 o ídolo português Luis Figo trocou o Barcelona pelo arqui-rival Real Madrid. Sem perdoar a traição, o Barcelona retirou das prateleiras a camisa com seu nome e ainda fez promoções para os torcedores trocarem suas camisas oficiais de Figo por uma nova, de outro jogador. No Brasil, temos a marca Ayrton Senna, que resiste firme e forte nas mentes e corações dos fãs, que a fazem faturar anualmente R$ 200 milhões, que são revertidos para a educação de crianças carentes.

Outras marcas seguem o caminho contrário, usando as competições para se aproveitarem do prestígio dos atletas. Os fabricantes de relógios de luxo Tag Heuer e Rolex fazem a cronometragem oficial das corridas de Fórmula 1 e de partidas de tênis respectivamente. Outros produtos são ressignificados, como o tênis Converse (no Brasil, conhecidos como All Star graças a uma campanha publicitária encabeçada por Tina Turner). O calçado criado para os jogadores de basquete se tornou obsoleto para as competições, mas não para a moda, que hoje adorna os pés de muita gente mundo afora, em diversos modelos e cores.

VISIBILIDADE
Na Copa passada muitas marcas esportivas não perderam seu tempo em estampar nos uniformes das seleções suas logomarcas. Dentre todas, a Adidas foi a que teve a sua marca estampada na camisa do maior número de seleções, 12, seguida da Nike, com 9, Puma, 7, e Umbro, Joma, Brooks e Legea, com 1 equipe cada uma, totalizando as 32 seleções que estiveram presentes na África do Sul.

Para muito além da vida útil dos produtos, o consumo de produtos ligados ao esporte segue a lógica do mercado, renovando coleções a começo de cada temporada, desenvolvendo produtos com o surgimento de um novo ídolo e mexendo com todo o mercado a cada novidade tecnológica apresentada. E você, já está pronto para a próxima partida? Ou melhor, compra?

Para consumir esportes:
Canais esportivos:

ESPN, ESPN Brasil, Sportv, Sportv2, Speed Channel (Sky e Net)
Adidas Style:
http://catalogue.adidas.com.br/catalogue/br/products/#/originals/men/clothing?type=clothing/jackets/
Ferrari Store:http://store.ferrari.com/en/
Parceria Emporio Armani e Reebok:http://www.reebok.com/PT/more/armani

Siga a MENSCH pelo Twitter: @RevMensch e baixe no iPad na App Store grátis.

2 comentários:

  1. Queria saber o que é consumismo no esporte ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Consumismo no esporte e o fãs q compram as coisas doa esportes ou marcas na qual o jogadores famosos usam ou fazem propagandas..

      Excluir