quinta-feira, 21 de julho de 2011

BEBIDA: A Incrível história da Vodka Smirnoff.



Ваше здоровье!*
Na balada, em encontros com amigos, no frio ou no calor, pura ou com sucos e refrigerantes coloridos a vodka é uma bebida que se faz presente no mundo inteiro e no Brasil é base da caipirosca, uma versão da famosa caipirinha. Que muita gente conhece o sabor da vodka a gente já sabe, mas daí a conhecer a origem, talvez pouco saibam, por isso a gente resolveu contar um pouco da história dessa bebida e de uma de suas marcas mais famosas. Um brinde!

Era uma vez...
...Um lugar chamado Fonte de Viataka. Foi lá que em 1300 surgiu a “Zhiznennia Voda", que significa “água da vida”. Interessante, não é?

Bem, mas antes de chegar a essa conclusão outros países do Leste Europeu brigaram com a Rússia pelo título de lugar de origem da vodka. A confusão se deu principalmente porque em 1917, durante a Revolução Russa, os czares proibiram a produção da bebida que só veio a ser liberada em 1923. Essa data de retomada da produção foi entendida por muitos como o ano em que a bebida começou a ser produzida no país e então outros países que já produziam a bebida antes de 1923 se acharam “pioneiros” e em 1970 as empresas russas foram inclusive ameaçadas de não poderem usar o nome vodka por conta das empresas estrangeiras já produzirem a bebida antes de 1923. Confuso, não é?

Tudo se esclareceu mesmo após a publicação do livro História da Vodka, em 1991, do historiador e pesquisador russo William V. Pokhlióbkin, onde atesta a origem russa da bebida. Mas apesar do livro e da palavra “vodka” ser de origem russa, alguns pesquisadores alegam que jamais será possível saber de verdade a origem da bebida, já que a região do Leste Europeu foi palco de muitas lutas, conquistas e reconquistas por diferentes grupos políticos e sociais.

Mas divergências à parte podemos dizer que a vodka é uma aguardente à base de cereais (milho, trigo, centeio e cevada) cozidos a alta pressão, malte, água, leveduras e outros produtos fermentados que surgiu há mais de 800 anos, ou seja, tem história pra contar (e nós a estamos contando!) e atingiu sua popularidade após 1940. Costumam também ser usados outros produtos agrícolas como batatas e beterrabas e para extrair todos os possíveis sabores ou aromas dos produtos usados, a mistura final é destilada.

Segundo conta a história, em 1780 o Czar da Rússia contratou um químico para tornar a bebida mais higiênica e pura. Theodore Lowitz inventou a técnica da purificação da Vodka, filtrando-a através do carvão Quarenta anos mais tarde, a família Smirnoff, oriunda de Moscovo, fundou uma companhia que aperfeiçoou este sistema, dando o seu nome a uma das vodkas mais conhecidas no mundo. Mais isso é outra história...

A História da Vodka Smirnoff
A origem da Smirnoff data do século 19 na cidade de Moscou. Foi em 1864 que Piotr Arsenievich Smirnov, filho de pais servos (segmento da população cujas condições de vida eram muito próximas da escravidão na época) fundou sua pequena e promissora destilaria de vodca no centro da cidade, com o nome de Trading House of PA Smirnov (que viria a ser conhecida depois por Pierre Smirnoff Company quando instalada nos Estados Unidos), e rapidamente se expandiu, não só no mercado nacional como também no internacional. Na década seguinte, o químico Andrev Albanov, descobriu que a substância Charcoal possuía excelente potencial de filtragem. (melhor do que o carvão da época de Theodore Lowitz)

Essa substância começou a ser utilizada exclusivamente no processo de filtragem da vodca SMIRNOFF, tornando-a mais transparente, de melhor qualidade e sabor. Ainda buscando aperfeiçoamentos, Andrev Albanov  uma outra inovação: a destilação contínua.

Em 1886, a destilaria recebeu a honra de ser a bebida oficial da corte imperial (The Honorary Tittle Offical Purveyor to the Imperial Court). Nesta época a empresa foi autorizada a utilizar os quatro símbolos das forças armadas russas em seu logotipo. Onze anos depois ganhou prestígio internacional ao ser nomeada a vodca oficial das monarquias da Suécia e Noruega. Muito chique, concorda?




A fuga e a nova rota de produção.

Em 1900, com a Revolução Russa, os Bolcheviques confiscaram todas as empresas particulares do país, incluindo a destilaria Smirnov. O filho de Piotr, Vladimir, determinado em conduzir o negócio da família, fugiu, em 1917, primeiro para Turquia, passando pela Bulgária, Polônia, e acabando em Paris. Na França, ele reviveu a marca, adotando a atual escrita, SMIRNOFF, versão francesa para o nome da família (Smirnov) e lançou o produto no mercado em 1921 com o nome de SMIRNOFF N.º 21. Foi então que Vladimir encontrou um imigrante russo de nome Rudolf Kunett, que residia nos Estados Unidos, e o convenceu a introduzir seu produto no mercado americano. A produção da vodca SMIRNOFF nos Estados Unidos começou em 1933, com o produto ganhando popularidade através das décadas.

Em 1939 a pequena destilaria foi vendida à Companhia Heublein, fabricante e distribuidora de bebidas. Seu proprietário John Martin expandiu os negócios com vodca a partir de 1950. Foi quando um vendedor do estado da Carolina do Sul começou a promover a vodca SMIRNOFF como uísque branco (White Whiskey).

Smirnoff, vodka, Smirnoff.

Quando os consumidores descobriram que o produto não tinha cheiro e nem perfume do tradicional uísque, começaram a misturar a vodca com outras inúmeras bebidas, fazendo com que a marca ganhasse popularidade rapidamente. Na década de 60 a vodca esteve associada a várias celebridades e ganhou notoriedade no mercado. E muito disso se deve ao filme "007 contra o Satânico Dr. No", quando o agente secreto, interpretado pelo então desconhecido ator escocês Sean Connery, em uma das cenas mais marcantes do filme, pede um martini "shaken, not stirred" ("batido, não misturado). Além de se tornar um clássico entre os apreciadores de bebidas, a frase ajudou a popularizar a vodca SMIRNOFF, a base do drinque predileto de James Bond. Deste momento em diante, as vendas da vodca não pararam mais de crescer.


 obs: clique na imagem acima para aumentar.


*um brinde!
Siga a MENSCH no Twitter: @RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb

Um comentário: