quinta-feira, 9 de novembro de 2017

BAR: Parece chá mas é drink


Depois da difícil escolha dos drinks, o próximo passo é o seu preparo. E quando chega o barman com uma criação de sabor, a comentar que utilizou compostos de chás na sua preparação? Mas, chá? Sim. Chá! A busca pelo paladar perfeito permeia por diversas sensações onde inúmeras ervas chegam a “causar” completamente em um novo sabor servido. Imaginar que uma infusão de cascas cítricas, folhas aromáticas, especiarias, saídas das diversas cozinhas de nossos avós carinhosas ganham uma alinhada composição de sabores. Somar conceito com frutas e retirar desta união néctares especiais, mesclar doses de licores e destilados com especiarias nativas, na intenção de encontrar a mistura ideal para favorecer nossas cartas de drinks é um processo gratificante e prazeroso.

As cerimônias em volta dos chás pertencem a culturas que transcendem décadas, chegando a difundir uma cultura (inicialmente local) em diversos países do mundo. E nas buscas e percepções pelo mundo, é impossível não perceber o quanto aquela cultura nos trouxe de elementos para estudos de sensações. Existem muitas cerimônias do chá, em várias culturas. Sendo as mais famosas, a complexa e serena cerimônia do chá japonesa e a comercial, barulhenta e cheia de gente "Yum Cha". Viagens, sintonias, aromas e prazeres definem o que é importante em harmonizar as combinações dos drinks. Daí uma carta de drinks utilizando dos cuidados de preparo dos chás e das notas que deles saltam ao paladar, promovemos três leves uniões em receitas simples de preparar. 


Realizar o ritual de chá doce, com o mix de amora e rosa, a parte da flor do hibisco e promover um choque térmico na raspa de gelo já na caneca. Adicionar uma dose de Vodka Purple roxa e guarnecer com as raspas de limão verde e fatias de limão siciliano. 

Veja making of do drink:



Encontre um ambiente agradável e saboreie! Pois as notas de hibiscos, além de serem ricas em compostos antioxidantes, têm ação diurética e pode ser uma grande aliada na perda de peso. Os flavonoides também são os responsáveis por boa parte dos benefícios do chá, com o hibisco sendo fonte de vitaminas, minerais, carboidratos e proteínas. A ação da amora restabelece as células e previne o envelhecimento a partir dos radicais livres. E a presença das pétalas de rosas mosquetas, com suas propriedades antioxidantes, é um forte no trato saudável na pele. Favorecendo assim na qualidade geral dessa bebida.


Realizar um agito da Vodka com o chá pronto e transferir para um taça champanhe baixa e adornar com uma fina fatia de limão, dando uma adição mais cítrica ao drink. A proposta da nomenclatura “Puttz” para o drink não vem do sentido pejorativo utilizado popularmente. Mas sim da sutileza de sabores e notas que temos nessa união, que é servida em taças Marie Antoniette, famosa amante do rei Francês Luiz XVI.

Assista o vídeo com o making of do drink Puttz aqui 


Nesta opção, não utilize nenhum destilado. Pois se sugere que seja apreciado bem leve. Após macerar as uvas, adicione as folhas de manjericão e o gelo e agite. Passe a mistura para a taça e adicione uma colher de bar da polpa de maracujá. A melhor maneira de se preparar o chá é colocar as folhas em um bule, ao invés de um sachê. Embora seja totalmente aceito o uso de sachês, o resultado com a folha direto é melhor. Adiciona-se água fervente e mantém-se a infusão por um tempo médio para a liberação de suas propriedades e características. 

Assista o vídeo com o making of do drink Chavena Dry aqui


Nenhum comentário:

Postar um comentário