quinta-feira, 14 de julho de 2016

ARQUITETURA & DESIGN - A nova forma de morar

Imagine a cidade, que ultimamente clama pela coletividade, mobilidade e integração, dotada de modernos edifícios pensados para interagir com a paisagem do seu entorno em convívio, inclusive, com as antigas construções. Agora pense que esta proposta não apenas foi lançada, como vem sendo executada mesmo diante de um cenário de crise. Isso prova que diferencial e qualidade custam caro sim, mas é possível empreender através do planejamento e do uso de recursos inteligentes, tudo para alcançar a moradia ideal.

Esse modelo, ainda pouco conhecido em Pernambuco, traz prédios baseados em conceito de design com plantas moduladas que permitem a coexistência de unidades de diferentes tamanhos e configurações, adequando-se à necessidade dos distintos moradores - solteiros, casais, pais com filhos -, cada uma com suas peculiaridades. Em sua maioria, privilegiam lofts e apartamentos que podem ser livres de paredes, permitindo a interligação dos ambientes, com propostas contemporâneas e ousadas.

A responsável por essa inovação na região é a incorporadora MaxPlural, com 11 anos de atuação - que iniciou suas atividades com a construção de casas em Porto de Galinha, mas logo seguiu para os edifícios conceito -, que é capitaneada pelos sócios, o arquiteto Thiago Monteiro e o administrador Igor Dias. Hoje, a empresa soma nove empreendimentos de alto nível, dentre eles quatro entregues, três em construção e dois em pré-lançamento. 



Dentre seus produtos, os lofts, inspirados nos tradicionais modelos norte-americanos, trazem áreas totalmente integradas e ausência de paredes como divisões internas, exceto em locais de maior privacidade, como lavabo e banheiro, criando uma maior dinâmica e vitalidade do espaço. A forma também toma a cena, já que dispensa revestimentos, com tijolos, estruturas e tubulações aparentes. Já os apartamentos trazem ambientes multifuncionais que, dependendo do momento ou do número de habitantes, podem assumir diversas funções. É como se um grande cômodo pudesse se transformar em vários espaços diferentes. Nesse contexto, 40 m² oferecem 50 opções de layout de planta que, com móveis inteligentes, cozinha compacta e automação, por exemplo, grande parte desses itens já garantidos pela incorporadora, consegue integrar e dar privacidade ao local. 

Bastante ousada, essa forma de atuação segue na contramão do que vem sendo praticado pelo mercado local desde a crise imobiliária surgida entre 1980 e 1990, quando houve o boom dos condomínios fechados como forma de continuar produzindo. De lá para cá vem sendo seguido uma espécie de manual da construção civil, trazendo plantas padronizadas, preocupadas apenas com o aproveitamento da área. Esse, aliás, é o maior motivo para recriar as fachadas e voltar a fazer uma arquitetura com expressão e personalidade. “O conceito desses produtos surgiu exatamente como uma nova proposta, focada nas principais práticas do mundo desenvolvido. A ideia foi criar edifícios de arquitetura forte, com um apelo estético bacana, identidade e muita tecnologia, não só na construção como no acabamento. Temos obras cuja engenharia é totalmente baseada em estrutura metálica, com frame da laje e deck na fachada, ou seja, uma obra, ou seja, uma obra muito limpa e rápida, bastante eficiente. O que nos dá agilidade, qualidade e menor custo. Assim conseguimos nos dedicar aos diferenciais”, revela Igor





A mesma lógica de otimização de espaço sem preocupação estética causou o encolhimento das calçadas, que na prática tornam-se ainda menores que as previstas no plano diretor da cidade, e o isolamento dos edifícios na paisagem. Por isso, a empresa tem valorizado a implementação de calçadas largas e a permeabilidade dos prédios, colocando os edifícios em diálogo com o meio onde está inserido. O projeto, livre de muros em toda a parte inferior, facilita a comunicação visual de quem passa pelas ruas de carro ou a pé, numa preocupação urbanística sempre presente. De acordo com o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco (CAU/PE), Roberto Montezuma “Já não é possível se basear nos conceitos que nortearam o século passado. Toda e qualquer diretriz deve partir de um planejamento urbano integral para a toda a cidade. Esse planejamento personalizado, pensado coletivamente e gerido pelo poder público é o DNA da cidade, é ele que vai dizer o que os cidadãos precisam e transformar esses desejos e necessidades em espaços públicos e privados”. 

Exemplo disso é o Loft Home Design, localizado em Boa Viagem, que mostra como a gentileza urbana pode (e deve) estar aplicada ao morar. O empreendimento traz alguns dos conceitos mais contemporâneos em urbanismo, como a ‘rua compartilhada’ e o ‘pocket park’ - espaços residuais, considerados dos mais charmosos de Nova Iorque. Além disso, a MaxPlural doou parte de seu terreno para o município (cerca de 30%), garantindo quatro metros de calçada para cada lado da via, sem que haja nenhuma vedação na faixa, a fim de formar um espaço de convívio público. A intenção é estimular uma mudança de comportamento no mercado imobiliário, conferindo ao edifício um papel transformador para a região em prol da melhoria na qualidade de vida das pessoas e da cidade. Tudo isso arrematado por uma arquitetura forte e cheia de identidade.




O conceito também foi adotado nas partes internas das construções. Em cada um desses empreendimentos é possível observar a preocupação em proporcionar para os moradores experiências de convívio em harmonia com os vizinhos, o ambiente e o entorno. Nas partes superiores, localizam-se as áreas comuns, equipadas e diferenciadas, dotadas de generoso espaço gourmet, adegas, academias, spas, piscinas de borda infinita que permitem o diálogo com a paisagem.  Assim, a socialização acontece fora do apartamento seja em bares, restaurantes e praças, seja nos equipamentos oferecidos aos moradores. “A ideia é criar espaços de convivência para que as pessoas se aproximem e interajam. A cobertura do Stark, por exemplo, tem mais de mil metros quadrados. À noite vai ser bacana, vai estar todo mundo se encontrando: uns na academia, outros na piscina aquecida, outros jogando sinuca, na adega tomando um vinho ou, ainda, lavando roupa. A lavanderia, inclusive, é wi-fi e climatizada, com design legal e com café, bistrot e livraria integrados. Contudo, vale salientar que a piscina sempre é o carro chefe dos nossos produtos, posicionada no melhor ponto do prédio, e traz várias experiências: borda infinita, deck para tomar sol, hidromassagem, coberta, descoberta, aquecida a até uma lâmina d’água com 46 metros. Além disso, as estruturas de lazer têm microambientes com decoração contemporânea e sofisticada para que os jantares com amigos saiam do apartamento e sigam para esse espaço, uma espécie de sala de estar maior anexada a uma adega - climatizada 24 horas e com gavetas individuais para cada unidade. Enfim, são muitos equipamentos para serem descritos”, salienta Thiago

Quando o foco é o interior dos apartamentos, as palavras de ordem são acabamento e tecnologia.  A filosofia é pular a parte da reforma o máximo possível, já que geralmente quem vai se mudar quebra tudo o que vem de linha. Então porque não colocar itens muito bons que não vão ser substituídos, já que o construtor consegue tudo isso por um preço muito mais atrativo?! Pensando nisso, o pacote de acabamentos de cada unidade contempla bancada de Marmoglass, torneira alemã Hangzhou e coifa na cozinha, porcelanato grande, esquadria diferenciada com tratamento termoacústico, todas as paredes e tetos também tratadas acusticamente para ter um nível de ruído baixíssimo, um sistema de ar-condicionado inteligente controlado por smartphone, fechadura e olho mágico digitais e por aí vai. A MaxPlural também oferece apartamentos mobiliados, como se faz na Europa e nos Estados Unidos. “Por que conseguimos ser tão competitivos no custo? Porque é uma obra muito planejada, que não estoura custo. Nossa preocupação é oferecer solução de moradia para o cliente do ponto de vista espacial, com a planta integrada, e de materiais de acabamento - o que sairia muito caro para ele comprar depois de pronto. Além disso, a solução de entregar o apartamento pré-mobiliado, porque ele vai pagando um pouco a mais na parcela e consegue nas chaves receber praticamente pronto”, resume Thiago.

“É esse processo evolutivo que enxergo para o futuro do mercado de incorporação, com clientes mais exigentes, sedentos por tecnologias que facilitem seu dia a dia, alinhado a beleza do design, localização estratégica e preço dentro de sua expectativa. O mercado mudou, voltou para as mãos do cliente e não deve sair por um bom tempo. Quem não o ouvir com carinho, estará em apuros nos próximos anos”, finaliza Igor.


SERVIÇO:

Domodi - www.domodi.com.br / Fone (81) 3254.8120
Urbanarts - www.urbanarts.com.br / Fone (81) 3032.0034
Cinex - www.notabile.com.br / Fone (81) 3326.6331
Riolax - www.riolax.com.br / Fone (81) 3314.5100
Soniare - Av. Eng. Domingos Ferreira, 1930 - B. Viagem - Fone (81) 3254.5678
a3 Designe - www.a3design.com.br / Fone (81) 3254.5678
Eliane - www.eliane.com / Fone (81) 98889.0008












MaxPlural
Rua Padre Carapuceiro, 968 SL 1503, Empresarial Janete Costa - Boa Viagem – Recife/PE
Fone: (81) 3032.2261 / www.maxplural.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário