terça-feira, 19 de abril de 2016

ESTILO: Os tipos de sapatos masculinos

Considerado peça chave do guarda roupas masculino, o sapato é peça fundamental para o visual. Sapatos errados no momento errado ou mal cuidados, passam imediatamente uma péssima impressão. Um belo sapato social, limpo e de qualidade é um bom investimento. Tenha certeza disso. Preparamos um guia rápido de tudo que você precisa saber sobre os sapatos mais tradicionais para transitar com segurança de ocasiões que exigem um visual mais formal até as um pouco mais despojadas. Basicamente, você vai precisar de duas cores de sapatos formais para não fazer feio. Se seu objetivo é ser realmente elegante, isso vai exigir um pouco mais na diversidade de modelos.


OXFORD: Tem esse nome por ter sido o primeiro sapato amarrado com cadarços introduzido na Inglaterra em 1640 por estudantes da Universidade de Oxford. Apesar disso ele surgir na Escócia e Irlanda. Pode ser chamado de Balmoral na Escócia, Bal-type nos EUA e Richilieu, na França. Geralmente com bico mais afinado e longo, eles podem ser feitos tanto em couro como em camurça (um pouco menos formais). Sua característica marcante é a costura separando a ponta do resto do sapato e os furos nas abas para os cadarços. É o modelo mais formal podendo ser usado com terno.

DERBY (ou Blütcher):Uma derivação do Oxford, mas surgiu no século XIX. Também de cadarço, pode aparecer com bico quadrado, mas não tem a divisória da ponta. Por ser um pouco menos formal, pode ser usado com o costume, blazer e calça sem gravata. Dependendo da ocasião. pode ser usado também com jeans.
MONK: ("Monge" em inglês) Tem esse nome por ser um sapato derivado dos sapatos dos monges no século XV. Essa versão contemporânea surgiu nos anos 30. Se levarmos em conta o nível da formalidade, ele está entre o Oxford e o Derby. Combina com trajes sociais e ternos. Ao invés de cadarços, ele tem uma fivela lateral em metal na parte superior. A versão com duas fivelas é chamada de Double Monk Straps.


MOCASSIM: Confortável e flexível, não é um sapato social. Foi criado pelos Índios norte-americanos e era confeccionado todo em couro, com costura lateral alta que ia da ponta lateral até o peito do pé. Sua sola é de borracha, e na variação náutica do sapato conhecida como Dock side ou Boat Shoe existem bolinhas que funcionam como antiderrapante além de ilhoses na lateral do sapato circundado por um cadarço de couro de um lado a outro. É um sapato próprio para locais e ocasiões informais, com roupas mais esportivas. Fica perfeito com bermudas e calças jeans sempre sem meias.



LOAFER (acima): É uma versão moderna do mocassim, fechado, sem cadarço e sem fivela com uma faixa de couro vazada como detalhe na parte superior próxima ao peito do pé. Nesse detalhe também pode aparecer uma peça de metal arrematando semelhante a uma fivela. Fez sucesso nos anos 50 entre os universitários norte-americanos e, por ser um modelo bem casual, fica muito bem como calça jeans e camisa polo. Na variação chamada de Side Gore ele aparece com tiras de elástico nas laterais.

BROGUE (ao lado): É um tipo de acabamento do modelo Oxford. Ele é decorado com recortes e furinhos. Esses pequenos furos serviam para drenar a água dos sapatos dos caçadores quando eles precisavam atravessar algum local alagado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário