quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

CAPA: Alok, o melhor DJ do Brasil e o único brasileiro no ranking dos melhores do mundo

O som da música eletrônica era música de ninar quando o DJ Alok era criança. Filho de pais DJ´s famosos, logo aos 11 anos Alok começou a tocar e não parou mais. O resultado disso é que recentemente ele foi eleito como o melhor DJ do Brasil, segundo a “bíblia” da música eletrônica, a House Mag. Fruto de muita dedicação e amor pelo que gosta, o jovem Alok (hoje com 23 anos) já se apresentou ao lado de nomes famosos como Armin Van Buuren e David Guetta e faz mais de 20 apresentações por mês, dentro e fora do Brasil. Com um som cheio de personalidade e um estilo que contagia, o ano de 2016 promete ser ainda mais incrível e a cara desse verão. Conversamos com Alok para conhecer um pouco mais desse cara que não deixa multidões paradas.

Você termina 2015 sendo eleito o melhor DJ do Brasil segundo a revista especializada House Mag. Como foi para você ter sido apontado como o número 1 do Brasil? É a satisfação em nível nacional maior que um DJ deseja ter e com certeza fez total diferença na minha carreira, me deu maior visibilidade e credibilidade também.  


Até chegar a isso como foi sua trajetória? Como foi o início e que dificuldades enfrentou? Comecei a tocar com 11 anos e sempre tive ótimas influências por causa dos meus pais, Swarup e Ekanta, que também são DJ's. Pais DJ's, amigos dos pais Dj's, assim tudo ficou mais fácil. Sobre as dificuldades? Sempre teremos pedras no caminho, temos que buscar a nossa superação, a luta é diária. 

Como foi que a música entrou na sua vida? E quando se descobriu DJ de verdade? Toda a minha carreira teve uma base construída na minha casa, com os meus pais. Eu já sabia que seria Dj's desde que passei a acompanhar eles em suas apresentações e hoje devo tudo à eles. Cresci na cena e a credibilidade que os meus pais tem acabou influenciando na minha carreira também. 

Que diferencial que você acredita ter em relação aos outros DJs? Gosto de colocar a música sempre à frente de qualquer outra qualidade minha, acho que essa é a melhor resposta mesmo, a música com personalidade. 


Hoje é comum ver muita gente se auto intitulando DJ, mas o que faz um bom DJ no sentido profissional? O que diferencia o amador do profissional? Profissionalismo vai além de dominar as ferramentas. Profissionalismo envolve compromisso com o público. 

Como escolhe o setlist das festas que participa? Ah eu sempre tento fazer com que seja melhor que o último sempre. 

Quais são os seus produtores de música favoritos na atualidade? Eric Prydz e Gui Boratto são excelentes no meu ponto de vista. 

Em que lugar do mundo sonha em colocar a galera para dançar? Burning Man!  

O que é fundamental para ter uma boa vibe com o público? Carisma sempre, porque é envolvente e aproxima muito.  

Onde estão as grandes baladas no Brasil e no mundo? Brasil com certeza São Paulo e Santa Catarina, no mundo EUA, Holanda, Ibiza.

Quais os novos projetos? O quem tem de novo vindo por aí? Meu álbum é um dos meus projetos que deve ser consolidado em breve.  

O que você costuma ouvir quando não está colocando música para os outros ouvirem? Ouço um pouco de rock, reggae e outras vertentes eletrônicas.  

Quando não está no comando das baladas, o que curte fazer pra se divertir e pra descansar? Ir até Alto Paraíso e me desligar de tudo, é revigorante. Sempre reservo um tempo e fujo pra lá.  

Qual o som desse verão? Alok & Blue Rose - Sunlight - YouTube 


Nenhum comentário:

Postar um comentário