sexta-feira, 11 de setembro de 2015

ESTRELA: Juliana Silveira linda, loira e sedutora (como sempre!)

Quem não guarda a imagem de Juliana gatíssima em Malhação? Linda e loira, bem no estilo “Garota de Ipanema”, ela encantava a ala masculina e fazia as garotas se inspirarem nela, marcando uma geração. Hoje em dia, já casada e com filho, Juliana ainda guarda seu jeito sapeca dessa época e mantém a beleza que conquistou muita gente. Quando se fala em Juliana Silveira, logo nos remete a isso tudo. Um encanto de mulher. Encarando cada vez novos desafios na TV, Juliana seguiu sua carreira sem imaginar que construiria uma bela trajetória. Ainda com todas essas referências fomo conversar com a bela atriz. As fotos produzidas no La Suite by Dussol, com uma bela vista do Rio de Janeiro, não poderiam ser mais perfeitas. O resultado você confere logo abaixo.

Você fez sua estreia na TV no programa de Angélica (1993 / 96). Depois disso, veio Malhação (de 2001 a 2003) e você ficou muito popular. Como você se descobriu como atriz e como descobriram seu talento? Eu nunca quis ser atriz. Na época eu acreditava que iria me formar em direito e repetia o discurso do meu pai, que tinha o desejo de ter um filho advogado. Graças a Deus meu irmão seguiu esse caminho e me deixou livre para experimentar o que a vida me ofereceu. Eu já trabalhava com a Angélica, quando nos deram a oportunidade de fazer teste para a Oficina de Atores da Globo. Isso foi em 1997. Fiz dois testes e passei. No primeiro dia de aula levantei a mão e questionei a minha escolha diante de uma sala lotada de atores de teatro sensacionais, que estavam ali pra entender o processo televisivo. O Tonio Carvalho foi super generoso comigo; é um grande mestre e eu nunca vou esquecer o que ele me disse...guardo suas palavras no coração e foram elas que me deram força pra acreditar que eu seria capaz de aprender e construir uma careira como atriz.



Em seguida foi uma novela após outra. E foi em Floribella que você se lançou como cantora, ou seja, uma atriz que canta. Como foi o desafio e como está esse seu lado cantora hoje em dia? Floribella foi a maior surpresa da vida! Eu nunca pensei que uma personagem tão especial fosse aparecer tão cedo. O mais curioso foi que eu quase desisti do teste, justamente porque eu estava insegura com a questão do canto. Se não fosse a Marcia (minha empresária) eu teria desistido e perdido esse papel. Eu não sabia que podia cantar. Floribella me deu a oportunidade de vencer essa barreira.

Com a popularidade dos musicais em teatro, é um desejo seu participar de um projeto musical? Eu sou super consciente da minha limitação vocal. Sou afinada, mas não tenho tanta técnica. Sou uma atriz que pode cantar. Fazer musical é um sonho mas tenho que me preparar bastante pra encarar esse desafio.

Sua última personagem em novela (Vitória, na Record) era altamente preconceituosa. Contra negros, homossexuais e nordestinos. Como você vê o preconceito hoje em dia? Estamos regredindo ou progredindo nessa área? A Priscila, uma neonazista, chegou na hora certa. Acredito que eu já estava madura o suficiente pra poder encarar o peso que ela trouxe pra minha vida. É uma personagem que não dá pra você julgar, senão você não consegue fazer as cenas direito. Porque ou você se permite viver aquela situação ou você tem medo e a cena não acontece. Eu confesso que em algumas cenas eu ficava com raiva da personagem. Aproveitava a hora do ensaio e das leituras para ir trabalhando essa dualidade dentro de mim e pra me livrar desse julgamento na hora da gravação. Amadureci como atriz, aprendi bastante. Quando uma personagem preconceituosa aparece na sua vida e você vivencia essa situação por longos doze meses, você sai da experiência muito mais sensível e consciente do quanto a gente ainda tem que melhorar como ser humano. O preconceito sempre existiu. Eu acho que agora a gente fala mais sobre ele. 



As redes sociais estão sendo uma forma das pessoas externarem seus preconceitos e de perder o limite de respeito ao próximo. Como você lida com isso e o que pensa? Acho que as redes sociais também são uma ferramenta que quando bem usada, propagam mais as informações e tudo que antes acontecia em uma escola, no nosso bairro e poucas pessoas ficavam sabendo, agora é de conhecimento de muitos. Torço pra que a gente consiga sempre se amar e se respeitar, pra que nenhum tipo de preconceito ocupe espaço nas nossas vidas, mas ainda existe um longo caminho nessa direção.  

Fama geralmente vem associada à exposição, como lida com isso? Eu não penso sobre fama, nem sobre exposição. Eu sigo minha vida normalmente, trabalho no que eu gosto e me faz feliz, amo o veículo que eu escolhi. Adoro fazer televisão. Mas eu amo viver a vida e aproveitar o melhor que ela pode me dar. E isso inclui estar inserida na vida da minha cidade, do meu filho, do meu marido e dos meus amigos. A minha vida não é diferente de nenhuma outra mulher que trabalha fora e cuida dos filhos. Eu posso te garantir isso. Vou ao banco, faço supermercado, vou à praia, vou ao boteco, caminho sozinha tranquilamente nas ruas, no Centro da Cidade, levo meu carro para o mecânico, faço vistoria, sou motorista do meu filho...pego na escola, levo na capoeira, cuido da rotina dele. Meu marido é parceiro e me ajuda muito. O meu trabalho não limita as minhas experiências de vida nem um pouco.  

Sabemos que hoje em dia você está casada, mas que armas costumava usar na hora de seduzir? Eu acho que uma boa conversa, uma boa comida, um bom vinho são sempre sedutores. E tempo...gosto de música e tempo. Pra poder ouvir, ver e estar 100% com o outro. Para o outro. 

Para manter a chama acesa durante um casamento, o que se torna mais importante sexo, amor ou cumplicidade? Amor, admiração, respeito e prioridades. Você tem que administrar as prioridades do núcleo familiar o tempo todo e você não deve fazer isso sozinha. Seu marido tem que ser seu namorado e melhor amigo. As decisões precisam ser tomadas em conjunto e precisam ser discutidas, conversadas e planejadas pra que todos fiquem felizes. Casamento é uma arte! Mas eu acredito que é melhor ferramenta de autoconhecimento que existe. Por amor, você escolhe viver uma história com aquela pessoa, aceitando o melhor e o pior que possa acontecer no caminho. E no meio disso tudo que eu escrevi o casal nunca pode se esquecer que tudo começou com namoro e esse ingrediente (sexo) nunca pode faltar. 


Corpão, sorriso largo e simpática. Como lida com as cantadas e o ciúme do maridão? Meu marido tem ciúme de cena de beijo. Mas ele não assiste, então não temos esse tipo de problema. João é tranquilo, gosta e incentiva a minha independência. Quando nos conhecemos eu já era atriz. Ele sabia as situações que teria que administrar e vou te confessar; ele é um cara super elegante. Mesmo com um pouco de ciúme ele não cria nenhum problema e me deixa trabalhar em paz. 

O que é muito característico do universo feminino que os homens ainda não conseguiram entender? Eu acho que os homens não entendem porque a gente demora tanto pra se arrumar (risos), pelo menos lá em casa isso já virou piada entre o Bento e o João. Eu sou uma ilha cercada de homens, né? E acho isso ótimo! Sempre fui assim desde pequena...meus melhores amigos eram meninos e meu irmão mais velho sempre foi meu companheiro. Sou moleca até hoje. Jogo bola com meu filho, faço boxe com o João uma vez por semana. Mas também adoro fazer meus programas de menina...ir ao salão, comprar minhas roupas, ler minhas revistas de moda, ver filmes românticos. 

Se os homens são de Marte e mulheres de Vênus, onde eles se encontram? (risos) Eu não estou falando só do amor romântico, do namoro, estou falando de amizade também. Que bom que somos diferentes e isso não vai mudar nunca. O que não pode existir é uma guerra entre os sexos.



Qual seria um papel que você gostaria de fazer e até hoje não fez? Eu ainda não fiz cinema e quero muito ter essa experiência. Quero fazer um musical também um dia. Quero produzir curtas para a internet. Tenho milhões de planos, mas também não brigo com a vida. Sigo o fluxo e vou respeitando os sinais. As coisas tem um tempo certo para acontecer.

O que te encanta fazer quando não está gravando? Quando não estou trabalhando, eu estou cuidando da minha família. Da rotina do meu filho, do meu marido e da casa. Sou feliz assim, eu não preciso de muito pra viver. O mais extraordinário já aconteceu; eu tenho amor! 

Quais são seus projetos para o futuro? Na minha emissora, Record, eu quero fazer ainda uma minissérie/novela bíblica. Ainda não tive essa experiência, estou esperando por ela.  



Fotos Davi Borges
Produção executiva e direção criativa Márcia Dornelles
Stylist Ale Duprat
Beleza Cleide Araujo

JULIANA VESTE: Look 1 - Top e Hot Pants Mixed; Look 2 - Vestido Jay Har, Joias Antônio Bernardo, Sandália Schutz; Look 3 - Vestido Fabulous Agilita, Joias Carla Amorim.

Agradecimento especial: La Suite by Dussol (locação) - www.bydussol.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário