terça-feira, 1 de novembro de 2016

DIÁRIO DE BORDO: Munique - Lazer e turismo típicos da bavária

Munique é conhecida mundialmente pela cerveja, mas foi a água o que mais nos impressionou. Como uma cidade de quase 6 milhões de habitantes tem um rio completamente limpo que atravessa o centro? Quem mora em Munique desfruta de um privilégio que há muito tempo perdemos nas cidades brasileiras: tomar um banho de rio no centro. O rio no verão, quase mais do que a cerveja, é um dos grandes atrativos da cidade. Suas margens viram praias e dar um mergulho após um dia quente de trabalho é costume local.


A cidade também tem vários parques e áreas verdes, entre eles, o maior e mais frequentado pelos locais é o Englischen Garten. Aqui, um dos esportes mais praticados é o surf de rio. A correnteza, formada no parque por canais artificiais, deu espaço à modalidade. Na principal onda, os mais experientes fazem todo o tipo de manobra para o delírio dos que assistem de cima da ponte. Quem não tem habilidade com a prancha, pode curtir outro esporte radical que é ser arrastado pela correnteza rio abaixo. Vimos várias pessoas curtindo a brincadeira e resolvemos testar. De fora tudo parecia fácil, mas logo vimos que a força do rio era maior do que esperávamos. Fomos arrastados por mais de 1 km e nos perdemos em meio a correnteza. Só consegui sair do rio me agarrando em galhos de uma árvore na beirada e me ralando inteiro nas pedras. Por sorte a esposa tinha conseguido sair com mais facilidade um pouco rio acima. Confesso que pensei que poderia ter ficado viúvo. Depois que sai do rio, reparei que as pessoas que se aventuravam pela correnteza tinham em média 16 anos.




Melhor que se afogar nas águas límpidas do Englischen Garten é curtir um de seus muitos Bier Gartens. Esses jardins da cerveja são grandes bares a céu aberto montados no verão e paradas obrigatórias para o happy hour. Todos servem boa comida típica da Bavária e os tradicionais canecos de cerveja de 1 litro. Depois da minha experiência de quase afogamento, nada como repor as energias com uma cerveja de trigo e um joelho de porco assado. Entre os mais bacanas que visitamos está o Chinesischer Turm, com uma estrutura enorme no meio do parque que parece um templo chinês cercado de mesas e barracas de cerveja e comida. Na cúpula desse templo cervejeiro, ao invés de monges, uma banda toca as músicas típicas da Bavária que aqui não são tocadas apenas em locais de turistas. 






Para conhecer melhor Munique vale a pena alugar uma bicicleta. A cidade é inteira cortada por ciclovias. Além dos belos parques, Munique tem um centro histórico bem preservado com cervejarias tradicionais e bons restaurantes para provar a deliciosa comida local.  

Para saber mais do "projeto 150 países" acesse o site oficial: www.projeto150paises.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário