quarta-feira, 15 de julho de 2015

DESTINO: CUBA EM TEMPO DE MUDANÇAS

Cuba é hoje palavra fácil na mídia internacional. O recente anúncio do fim do bloqueio econômico por parte dos EUA fez com que todos os microfones e lentes se voltassem para “La Isla” em um esforço para desvendar os mistérios de um país com um dos mais antigos governos socialistas do planeta. Para nós, brasileiros, dadas as recentes contratações de médicos e da participação nacional no desenvolvimento do Porto de Mariel, Cuba passou a ser também alvo de dúvidas e curiosidade.

A MENSCH foi convidada a conhecer uma parte do imenso esforço turístico empreendido agora, que começou nos moldes atuais há 25 anos, quando os primeiros hotéis turísticos (desde a revolução) se instalaram na região de Varadero, um polo que continua a se desenvolver. 

A aventura da MENSCH começou no embarque em um voo da Copa Airlines em Recife (há também voos partindo de Porto Alegre, São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador) na Executive Class, classe executiva da Copa. O espaço da poltrona é grande e confortável, com controles para inclinação do encosto, apoio lombar, de pernas e pés. Nas refeições, há a oferta de opções de vinhos com snacks para aguardar a refeição principal e nessa a escolha, entre dois tipos de refeição quente, com entrada e sobremesa. O voo tem a duração de seis horas e meia, com uma parada no Aeroporto Internacional de Tocumen, em Panama City, que é o hub da companhia.

A CHEGADA EM CUBA

Na chegada, toda aquela impressão de estar entrando em um país fechado ao mundo se desfaz ao ver estacionado ao lado de nossa aeronave, outra, de voo charter de bandeira canadense, desembarcando turistas festivos e um tanto brancos para o calor e sol “nordestino” que nos recebeu. O tratamento cordial do pessoal no pequeno Aeroporto Abel Santamaría, da província de Santa Clara desmancha qualquer ideia de estar sendo vigiado e o desembaraço da aduana foi rápido como o despacho da bagagem. Do lado de fora, Delvis, o excepcional guia da Gaviota Turismo (empresa estatal) estava já à disposição para nos guiar nessa aventura. 

Atravessamos os municípios de Villa Clara, Remédios e Caibarién até a incrível Pedraplén, uma estrada de 48 quilômetros construída sobre o mar protegido pelos Cayos (sequência de ilhas) que leva ao Cayo Santa Maria passando pelo Cayo Ensenachos e Cayo Las Brujas. Nessas ilhas em obras, está sendo construindo um novo perfil turístico para Cuba. A meta é criar 45.000 apartamentos até 2017, apenas nessa região. Guindastes, caminhões e operários estão em um vai e vem frenético, erguendo hotéis 4 e 5 estrelas de várias cadeias hoteleiras como os da rede Iberostar, Accor, Pullman, Mercure, Ibis, Sofitel e também Meliá, que nos recebeu para dois dias em seu Hotel Meliá Las Dunas.

HOSPEDAGEM CINCO ESTRELAS

Yudiel Torres, o simpático Gerente de Vendas, contou sobre a vida em Cuba e guiou nossa visita a alguns dos Hotéis vizinhos. Visitamos o Iberostar Ensenachos. Memories Azul e Royalton. O Hotel Playa Cayo Santa Maria é um hotel com 100% de capital e administração cubanos, uma vez que todos os outros grupos hoteleiros, para se instalarem em Cuba, se tornam sócios do Estado, sendo este majoritário, com 51% do empreendimento. Essa parceria obrigatória parece funcionar, já que as grandes redes hoteleiras contam 25 anos de negócios em Cuba e com forte expansão pela frente. Apenas o Grupo Meliá (Meliã em espanhol) dispõe de 27 hotéis de quatro segmentos diferentes espalhados por todo o país. 


Um dos programas mais procurados entre todos os oferecidos aos turistas é o passeio de Catamarã, que parte da Marina Gaviota Las Bruxas. Dessa marina, partem desde cedo da manhã, lanchas de pesca oceânica, lanchas pequenas, para passeios individuais, barcos com equipes de mergulhos de cilindro e as navegações de passeio, com capacidade para até oitenta pessoas. A estrutura é grande para satisfazer a demanda. Pelo menos 500 turistas fazem algum passeio só pela manhã. O tour inclui uma parada para snorkeling, uma visita ao Acuario Dolfinário de Cayo Santa Maria, onde há contato com golfinhos, almoço no restaurante do Dolfinário, com escolha de frango, peixe ou lagosta e, ao final, parada em uma praia deserta para mais snorkeling. Muita diversão e animação à bordo. O passeio começou às 8h e retornou à marina por volta das 16h. 

Hotel Meliá Buenavista 

A recepção aos hospedes se diferencia pelo cumprimento especial feito pelo Sr. Manuel Rios – Director General do hotel e seu staff. Em seguida, foi servido um jantar especial para convidados onde estavam os clientes mais frequentes, celebridades e autoridades. Durante o jantar, apresentações de músicos da casa ao piano e saxofone se revezavam com um grupo de danças.

Na manhã seguinte, um ótimo café da manhã no restaurante e malas prontas para seguir até Varadero. No caminho, parada na cidade de Remédios para visitar a Iglesia Mayor de San Juan Batista com seus altares folheados a ouro e imagens diversas. Cuba hoje tem a maioria da população católica, mas evangélicos e praticantes da Santeria (próximo do nosso Candomblé) convivem harmoniosamente. Remédios é a única cidade de Cuba que possui duas igrejas em sua praça principal, sendo a outra a Iglesia de la Buena Viajen que se encontra fechada para reforma. Muitas obras estão em andamento por conta das comemorações dos 500 anos de Remédios e a cidade deve ter um novo aspecto dentro em breve.


Seguindo para Santa Clara, visita ao Memorial Comandante Ernesto Che Guevara, obra arquitetônica e conjunto de esculturas onde se encontram os restos mortais de Che e dos 39 combatentes que morreram nas selvas da Bolívia junto com ele. Há também uma exposição sobre a vida do mártir, com fotos documentos, objetos e armas que narram a vida de herói nacional.
Após mais três horas em estradas muito bem conservadas, sempre cruzando com os famosos carros americanos antigos, chegamos a Varadero, destino turístico que conta com 25 anos de investimentos estrangeiros no turismo. A recepção no Paradisus Princesa Del Mar Resort & Spa, uma categoria diferente de hotel no portfólio da rede Meliá em Cuba, foi feita pelo Dariel González, do Gerenciamento de Clientes. Dentro desse hotel diferenciado, experimentamos o exclusivo Royal Service, com restaurante, piscina e praia exclusivos, bar 24 horas, wifi gratuito, spa no apartamento, acesso à piscina pela varanda e recepção personalizada.

O Hotel Meliá Marina Varadero é impressionante com previsão de possuir ao final do projeto, construído em etapas, aproximadamente 1.150 apartamentos, distribuídos em 4 prédios diferentes. Ele forma com a Marina Gaviota Varadero e a Plaza Las Morlas, um pequeno shopping a céu aberto, um conjunto turístico de grande capacidade e de impressionante beleza, dando mostras de que Varadero, apesar de seus 25 anos recebendo turistas, ainda tem muito a oferecer.
Junto ao Marina Varadero e a Plaza Las Morlas, está a Marina Gaviota Varadero. Essa marina está recebendo obras de expansão e contará com 1200 pontos de ancoragem para barcos e veleiros, esperados após o fim do bloqueio econômico. Será tão somente a maior marina de todo o Caribe e conta com todo um entorno de facilidades para dar suporte a esse movimento. 

O restaurante Kike Y Kcho que fica sobre as águas da marina e oferece entre outras coisas, a possibilidade de acompanhar o Chef pessoalmente “pescar” a lagosta viva escolhida como refeição - um Fumaio, vinho branco da Toscana, acompanhou a degustação.

Antes da despedida de Varadero, fotos do nascer do sol na piscina do Hotel. Imagens feitas rumo a Via Blanca, estrada que liga Varadero à capital Havana. Via Blanca passa pela Baía de Matanzas, e segue colada ao mar nessa província privilegiada por seu aspecto turístico consolidado. Percorremos, por duas horas, uma estrada bem conservada, sinalizada, limpa e sem buracos, pontilhada de monstros metálicos coloridos, na forma de carros sessentões e cinquentões, conservados ou não.

Cruzamos por algumas localidades como Puerto Escondido, Jibacoa e Santa Cruz Del Norte, antes de chegarmos e irmos direto ao Centro Histórico de Havana. Passeio a pé pelas ruas, lojas e vielas sem nenhuma preocupação com equipamentos fotográficos, celular ou carteira. Segurança total.

CENTRO HISTÓRICO E HAVANA VIEJA

Giro rápido por todo o centro histórico com menção especial para o conjunto arquitetônico no entorno da Plaza de Armas(O Templete e seu baobá, o Castillo de La Real Fuerza, o Hotel Santa Isabel e o Palácio de Los Capitanes Generales e sua rua frontal calçada em madeira – para que o barulho das carruagens não incomodassem os moradores), além da  Catedral Vieja de La Habana, da Calle Mercadéres e da famosa Bodeguita Del Medio, com seu Mojito ,“casa” de Ernest Hemingway, que escreveu em uma de suas toalhas certa vez: “My Mojito in La Bodeguita, my Daikirí in El Floridita”. Para o almoço um restaurante instalado em uma fortaleza que possui uma bateria de canhões assestados para a Baía de Havana - O La Divina Pastora.

Depois de um divino almuerzo, passeio por Habana Vieja, o centro da cidade com direito a interação com moradores e turistas, passeio em lojas do comércio local e fotografar com total liberdade. Destaque para os inúmeros carros antigos, o Edifício Bacardi, o Capitólio, o Floridita, berço do Daiquiri e “segunda casa” de Hemingway além do povo, uma atração em si.


Ao final do passeio, que ainda incluiu uma parada no Monumento a José Martí - Plaza de la Revolución e fotos de oportunidade em uma partida de beisebol, esporte nacional, seguimos para um late (very late!) check in no Hotel Meliá Havana, com uma especial recepção do gerente geral, Sr. Stefano Sturni, de vendas, Sr. José Álvares e social/comunicação e Sra. Elvira Ameijeiras. O Hotel está localizado no bairro das embaixadas, o Playa, bem em frente ao Miramar Trade Center, onde fica a Embaixada do Brasil. Nesse ponto estamos a, aproximadamente, 40 quilômetros do porto de Mariel e no caminho até lá passaríamos, destacando, pela praia de Baracoa, pela Marina Hemingway, pelo Club Havana e por dois aeroportos regionais, o Ciudad Libertad e o Playa Baracoa. O Hotel está em um ponto bastante estratégico para o mundo dos negócios, distando aproximadamente 20 km do Aeroporto Internacional José Marti e a 10km do centro da cidade.

No dia de retorno ao Brasil, um revigorante café da manhã no restaurante exclusivo para os apartamentos da linha The Level do Meliá Havana. Em direção ao aeroporto, uma parada para comprar os famosos charutos cubanos e rum. E a certeza de que Cuba é um paraíso e em breve dará um salto no tempo se tornando um dos destinos turísticos mais procurados no mundo. Mas sem perder a ternura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário