segunda-feira, 13 de abril de 2015

VAIDADE: Hora da tosa. Depilar ou aparar os pelos além da estética é bem-estar‏

O costume de depilar o corpo não é algo que surgiu agora, atletas praticantes de natação e fisiculturistas sempre se depilaram independente de ser algum modismo ou por pura vaidade. Na natação um corpo sem pelos desliza melhor na água e no fisiculturismo realça os músculos para as apresentações. Se bem que atletas como David Beckham e Cristiano Ronaldo aderiram a esse costume e levaram a tendência para o futebol, e terminaram virando ícones dessa prática. Raspar os pelos aos olhos de alguns machões mais conservadores pode ser sinal de menos masculinidade e coisa de metrossexual, coisa que já foi ultrapassada há muito tempo. Aparar ou raspar os pelos antes de tudo é uma ato de higiene e cuidado pessoal. Por serem mais peludos que as mulheres os homens terminam tendo um acúmulo maior de suor devida à composição genética e hormônios masculinos. Para muitos homens, a masculinidade ainda se encontra na quantidade de pelos que se carrega. Pensamento antigo que hoje em dia está indo literalmente pro ralo junto com os pelos. Aparar os pelos não afeta a masculinidade de ninguém, muito pelo contrário até atiça a libido e desperta a atenção feminina. Sem falar no aspecto de higiene e bem estar.


Pelos retêm calor e dificultam a evaporação do suor, já que a função da transpiração é baixar a temperatura do corpo e evitar o superaquecimento, segundo o dermatologista Roberto Mattos especialista em depilação e coordenador do departamento de laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Aparentemente vencer o preconceito é uma dificuldade maior que vencer a dor para muitos homens quando se pré-dispõe a encarar uma sessão de depilação. Porém o panorama está mudando e agregando cada vez mais adeptos, os que estão depilando o corpo todo. Os números comprovam essa tendência. Numa pesquisa encomendada pela Philips comprovou que 72% dos brasileiros fazem algum tipo de intervenção nos pelos do corpo. E ainda mostrou que os homens estão aparando, raspando ou depilando pelos inclusive (principalmente) da área íntima. Por exemplo, a depilação dos pelos pubianos foi aprovada por 90% das leitoras da revista NOVA. Clínicas estéticas cada vez se preparam para esse novo público e empresas investem em novos produtos nessa linha.

E com a chegada do verão essa tendência aumenta e se torna ainda mais indicada para homens muito peludos. Para os muito peludos, ou para quem não gosta do visual “pelado”, o mais indicado é aparar os pelos com máquinas. Uma forma prática para quem quer eliminar aquela camada espessa de pelos do corpo. “Quanto mais grosso seu casaco de pele, mais suado você fica.” Mesmo entre os mais conservadores dos homens, uma coisa consenso: é necessário aparar os pelos do nariz e orelhas. E para isso existem aparelhos indicados (ver box abaixo). E se você quer outra indicação, é aparar os pelos na região pubiana. A grande maioria da população feminina do planeta se sente pouco atraídas por homens com excesso de pelos e apreciam essa tendência. Segundo relato feito à revista masculina VIP por uma proprietária de clínica estética, a tendência só aumenta: "atendo de dez a quinze clientes por dia. E a cada dez, quatro ou cinco depilam a virilha". E ainda acrescentou: "Geralmente é a mulher ou a namorada que os trazem aqui.". Segundo o proprietário de outra clínica, o que levam os homens à depilação íntima são higiene e estética.



Mas antes de tudo é necessário que a pele esteja saudável, que não se encontre em processos inflamatórios, tais como: Acnes, foliculites, herpes, micoses, psoríase, entre outras. Os pelos são hastes queratinizadas produzidos pelos folículos pilosos. Sua espessura varia de alguns centésimos de milímetro até 0,30 mm. O pelo varia também em função da etnia. O pelo é estruturado em duas partes: a raiz (que fica dentro do folículo piloso) e a haste ou talo (que fica fora do folículo piloso). Para cada processo depilatório há formas diferentes de remoção dos pelos. 



DIFERENTES FORMAS DE DEPILAÇÃO

Os processos com lâminas, alguns depilatórios elétricos, cremes e loções depilatórias fazem a remoção dos pelos pelo corte dos mesmos na haste ou talo. Já os processos com ceras, eletrocoagulação, laser e pinça fazem a remoção pela raiz, resultando num tempo maior entre uma depilação e outra. Uma depilação mal feita pode resultar em uma pele coberta de micro inflamações, parecidas com espinhas, além de coçar bastante. Se você quer partir para outro método, a dica é uma depilação a laser. Menos dolorosa para a pele, porém mais dolorosa pro bolso. O aconselhado é usar o laser apenas nas regiões das costas, tórax e orelhas.

Por outro lado há os que preferem um meio termo, ou seja, simplesmente aparar os pelos do corpo. É uma forma de higiene que resulta numa aparência bem cuidada e que em geral ajuda a diminuir a quantidade de suor no corpo. Principalmente para que mora em regiões quentes e durante o verão. Para isso, hoje em dia já existem uma série de maquininhas propícias para aparar os pelos sem afetar o crescimento do pelo ou agredir a pele. Com esses aparelhos ainda é possível optar pelo tamanho que se deseje que os pelos fiquem. É a forma ideal para domar os pelos do tórax, axilas, pernas e partes íntimas. Veja o quadro e escolha a melhor forma que se adéqua a seu estilo.



MÉTODOS MAIS COMUNS

CERA QUENTE - Não é indicado fazer em casa, pois requer prática. O ideal é que você procure um centro de depilação que não reutilize a cera e faça uma esfoliação na região que vai ser depilada um dia antes. Atenção, pois pode causar encravamento dos pelos. Sendo também um método mais associado à incidência de foliculite e requer certos cuidados, como higiene total antes da retirada dos pelos e tomar cuidado para eliminar todo o resto da cera. Sem esquecer de hidratar toda a área depilada.

ROLL-ON - É um aparelhinho que aquece a cera e permite que ela seja passada com uma espécie de rolinho. Depois, a profissional gruda um papel especial na cera e o puxa, arrancando os pelos pela raiz. Os cuidados são os mesmos dispensados à cera quente: esfoliação um dia antes, hidratação depois.

FOTODEPILAÇÃO - Funciona da mesma forma que a depilação a laser, mas o feixe de calor usado é a luz pulsada. De acordo com Marcelo Bellini, não é tão eficiente quanto o laser, porque a luz pulsada não atinge a raiz do pelo. Mas é mais barata – a rede Não+Pelo, por exemplo, cobra R$ 60 por área a cada sessão (são necessárias em média oito). Também exige que se evite sol antes e depois das aplicações, que devem ser feitas em sessões com intervalo de pelo menos seis semanas. A manutenção é anual.

Seja qual for o método ou a região a ser depilada, ou aparada, o importante é se sentir bem com seu corpo independente de modismos ou rótulos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário