quinta-feira, 8 de maio de 2014

PERFIL: Felipe Carreras e os desafios de se viver com mais qualidade de vida em uma grande cidade

Sentado à mesa de reuniões de seu gabinete na Prefeitura do Recife, o ex-Secretário de Turismo e Lazer da cidade, Felipe Carreras, demonstra ser o tipo de homem que encara seu interlocutor sem receios. Mãos bem dispostas sobre o tampo de madeira, olhar firme, frases eloquentes e objetivas, voz nítida e estável, traje sóbrio e postura segura: impossível desconfiar que há poucos anos ele sequer estava ali. Sua segurança não constrange, nem intimida. Ao contrário, acolhe. As interrogações lançadas ao longo de toda a entrevista não provocam nenhum tipo de incômodo. São tratadas como oportunidades. Chances de deixar claro os motivos que o levaram a sentar-se àquela cadeira, naquela fase da vida, desempenhando aquela função. O mérito é óbvio desde as primeiras respostas, quando também se torna evidente a impressão generalizada de que ali, naquele papel e naquela sala, ele está em casa.

Felipe Carreras, ainda na juventude, já integrava o Diretório Central dos Estudantes, na Universidade Católica de Pernambuco. Com ideologias inclinadas à esquerda, sempre fora engajado com o movimento político. Chegou a tornar-se Secretário Nacional da Juventude pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro), do qual jamais se desligou e pelo qual chegou, atualmente, à Secretaria de Turismo e Lazer. Formado em Ciências Contábeis, conviveu de perto com a gestão de Arraes e, àquela época, jamais imaginou ver Eduardo Campos, neto do famoso Miguel, chegar ao governo do estado. “Desde minha filiação, sempre mantive as amizades no meio político, apoiando campanhas, militando a favor dos candidatos com cujas premissas simpatizava, levantando a bandeira dos ideais que compartilhava”, explica Felipe. Em 2011, engajou-se na campanha de Geraldo Júlio à prefeitura da capital pernambucana. Na ocasião, Felipe trabalhava na indústria do entretenimento, dentro da qual mantinha sociedade de peso nos bastidores de shows e eventos locais. “Quando Geraldo foi eleito e me fez o convite para integrar seu secretariado, fiquei balançado, embora aquilo não estivesse, de início, nos meus planos. Conversei com meu então sócio no ramo de eventos e decidi encarar esse novo desafio”, resume.

Ao olhar para trás, analisando sua trajetória desde a juventude, Felipe compara suas funções na idade adulta e visualiza claramente as contribuições que umas deram às outras. Administrar uma pasta de tamanha relevância e visibilidade não é, evidentemente, o mesmo que administrar a realização de um grande show na cidade. Não é justo – nem necessário – hierarquizar os dois papéis, mas é preciso dizer que as escalas de alcance, consequências e repercussões são consideravelmente diferentes. “Minha visão de empresário contribui para tomar decisões empreendedoras e conscientes na Secretaria diariamente, muito mais do que a minha visão na produção de festas. Afinal, são objetivos e posturas diferentes. Aqui, primo por um perfil mais sério. Eu abracei essa nova fase”, explica.

A PASTA

Sobre sua atuação à frente do Turismo e Lazer locais, Felipe Carreras não titubeia: quer elevar a autoestima do recifense. Segundo ele, antes de assumir a prefeitura, Geraldo Júlio já detinha uma pesquisa detalhada acerca dos principais problemas da cidade, e, nela, havia sido apontada a baixíssima autoestima dos cidadãos como ponto fundamental a ser trabalhado pela nova gestão. Para tanto, iniciativas como o Recife Antigo de Coração, Ciclofaixa de Turismo e Lazer e Lazer nas Ruas foram implementadas na rotina da população. A ideia é fazer com que os recifenses convivam mais entre si mesmos e com sua própria cidade, experimentando e vivenciando as tradições e inovações culturais que a capital pernambucana é capaz de proporcionar. “Logo nos primeiros meses, a diferença na autoestima das pessoas era notável”, comenta Felipe, com a firmeza adotada durante toda a conversa.

Para o sucesso efetivo do incentivo ao afeto pela cidade, a integração entre as diversas secretarias tem sido fundamental. “Trabalhamos em harmonia”, se orgulha o secretário. Em conjunto, as pastas são capazes de gerar empregos, beneficiar a saúde coletiva, fortalecer a segurança pública e promover o bem estar dos cidadãos. O resumo de tudo isso conduz, inevitavelmente, à ascendência da autoestima geral. “Nós queremos que o cidadão se aproprie da cidade que é dele por direito, e que a vivencie e goste dela”, explica Felipe.

AS BIKES

É impossível sentar-se à mesa para um bate papo profissional com o Secretário de Turismo e Lazer e não mencionar as bikes. Isso porque as magrelas se tornaram o novo xodó da população recifense e, desde já, podem ser apontadas como um dos principais marcos da gestão administrativa atual. O intuito é o de que o Recife se torne modelo de referência no assunto, incentivando cada vez mais fortemente o transporte ecologicamente consciente e a mobilidade urbana. “O mais importante foi semear esse debate, e isso nós já fizemos”, pontua Felipe acerca do tema das bicicletas. Para ele, os benefícios já são visíveis e inquestionáveis. “As pessoas comentam comigo que aumentaram seu condicionamento físico, reviram seus hábitos de locomoção, passaram a frequentar a ciclofaixa e, inclusive, ensinaram seus filhos a pedalar”, comemora. 

Para um pai, esse tipo de retorno público adquire um significado ainda maior. Afinal, tais afirmações demonstram que o convívio familiar está sendo encorajado no Recife. Quem frequenta ou já vivenciou um domingo pelas rotas da ciclofaixa local, sabe: há muitas famílias pedalando juntas, curtindo o domingo juntas, rindo juntas, tomando água de coco juntas, aproveitando a cidade juntas. Primos se encontram montados sobre suas bikes. Vizinhos compartilham o elevador e se cumprimentam vestidos de atletas dominicais. Colegas de trabalho agendam a pedalada compartilhada. Amigos de infância se reencontram entre uma parada e outra. Essa interação entre as pessoas é motivo de celebração por trás das portas da Secretaria de Turismo e Lazer. Estampado no rosto de Felipe Carreras, um sorriso genuíno denuncia seu contentamento por proporcionar essas oportunidades à população. “Eu quero contribuir para que minhas filhas vivam em uma cidade melhor, e essa relação de afeto, de convívio e interação é fundamental para isso”, conta orgulhoso. Afinal, segundo ele mesmo faz questão de reforçar, sua família é sua maior motivação.

A EXPERIÊNCIA

A vivência anterior no ramo do entretenimento também motiva Felipe Carreras a gerir com cautela e empreendedorismo a pasta que lhe foi conferida. Graças à atuação na área, conseguiu articular captações privadas que praticamente dobraram o orçamento de sua secretaria, redirecionando vinte e cinco milhões de reais economizados a outros setores da administração pública. Uma das grandes sacadas de bastidores de sua performance como secretário foi incentivar a captação direta de recursos, o que dispensou os serviços de intermediação e, consequentemente, sua porcentagem de lucro sobre o montante final. Para tanto, seus conhecimentos, relações pessoais e profissionais, nome, carreira e carisma foram essenciais. 

Quanto à promoção das festas do calendário público, Carreras já comemora o sucesso do carnaval na captação turística dos recursos aplicados à ocasião. E, claro, já planeja o mesmo sucesso para o São João, que será integrado aos festejos em torno da Copa do Mundo. “São as duas principais festas da programação anual pernambucana”, comenta, “e soma-se a elas, a Copa.” E também nisso, o currículo como produtor privado de eventos carimba sua aptidão.

Filiado ao PSB desde 1995, Felipe Carreras encara o cumprimento de suas funções como uma contribuição passageira, porém relevante ao todo, que está em permanente construção. ”Isso tudo é uma passagem”, reforça, confessando que ainda não fez planos de seguir carreira política e almejar cargos públicos futuros. A possibilidade, entretanto, não está descartada. Nada está. Há pouco mais de dois anos, Felipe comandava junto ao sócio uma das principais empresas da indústria do entretenimento local. Isso só legitima a imprevisibilidade das coisas e a transitoriedade dos planos de cada um diante da vida. Tudo muda, tudo passa. “Não estou fazendo planos, nem criando expectativas”, pondera o secretário, “porém, se o governador e o prefeito acharem que eu tenho um papel a cumprir, posso perfeitamente aceitar mais um novo desafio”. 



O HOMEM

Por detrás dos ternos formais de Secretário do Turismo e Lazer, Felipe Carreras é um homem atlético, adepto da prática constante de exercícios físicos. Gosta de correr, jogar futebol e, claro, pedalar. Se esforça para manter uma dieta saudável e, nas horas vagas – cada vez mais raras – costuma viajar de carro pelo Nordeste. Aprecia um traje elegante, mas não se considera neurótico com a aparência: quer apenas preservar uma boa imagem. Com a esposa, aprecia um bom jantar, de preferência regado a vinhos brancos da região da Ausácia, na Itália. Com a nova função junto à prefeitura, o tempo dedicado a família e amigos está mais restrito, porém sempre valorizado. Se antes as sextas-feiras eram ocasionalmente livres, hoje são dedicadas ao cumprimento de suas funções no gabinete, de onde sai apenas por volta das dez da noite. Seu prêmio, contudo, se estende muito além de um final de semana de descanso em família. Para Carreras, o grande troféu é o futuro. Ele quer contribuir para dar à geração de suas filhas e às próximas gerações um Recife melhor. E sob muitos aspectos dispostos por sobre a mesa de reuniões com tampo de madeira, ele tem mesmo conseguido.

Um comentário:

  1. Pelo amor de Deus, né? Felipe Carreras (um dos donos da produtora de eventos Caldeirão) é casado com uma sobrinha de Renata Campos (mulher do falecido ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos).
    Não tiro seus méritos como profissional, mas aclamar a figura como sendo "merecedor"... Deixem de piada! Isso é nepotismo, troca de favor... Tratem da política como algo sério pelo amor de Deus! Ponham pessoas que saibam o que estão fazendo... O que essa figura entende de turismo?
    Sou apenas um cidadão pernambucano ligado no que está acontecendo.

    ResponderExcluir