terça-feira, 11 de outubro de 2016

SAÚDE: Nutrição, idade biológica e idade cronológica

O envelhecimento pode ser definido como idade cronológica (a idade da pessoa em anos desde o nascimento) ou como idade biológica (a queda nas funções orgânicas que ocorre em todos os seres humanos com o passar do tempo). Algumas pessoas idosas parecem e agem como se fossem mais velhas e outras como se fossem mais jovens com a mesma idade cronológica. Estudos nos quais foram realizadas avaliações da idade biológica, realizados ao longo do século XX na Suécia, indicaram que algumas pessoas são menos biologicamente idosas que outras com a mesma idade cronológica e que esta diferença pode ser de até 10 anos.


Parte desta diferença pode ser atribuída à melhor nutrição durante a vida. Sendo assim, pode ser que parte do que consideramos atualmente como envelhecimento seja evitável através de nutrição. Embora os genes exerçam forte influência na idade biológica, acredita-se atualmente que fatores do estilo de vida também tenham forte influência. Você pode ser biologicamente mais jovem se programar seu envelhecimento. A pergunta é: quais aspectos do envelhecimento são biologicamente inevitáveis, como por exemplo, a morte das células (apoptose) e quanto disso está relacionado a idade. Embora na idade cronológica o relógio não possa andar para trás, o desejo de prolongar a juventude desperta muito interesse e pesquisa.

O acúmulo dos efeitos de anos de maus hábitos alimentares aumenta o risco de muitas doenças à medida que a pessoa envelhece. Contudo, a boa nova é que é possível mudar os hábitos alimentares. Em outras palavras, nós podemos adotar hábitos como a prática regular de exercícios e alimentação saudável, que retardarão a queda funcional e as alterações na composição corporal se manterá dentro dos limites estabelecidos pela genética. A diminuição na massa magra e o aumento na gordura corporal que tendem a ocorrer à medida que envelhecemos não podem ser totalmente atribuídos ao processo de envelhecimento em si. Nos países ocidentais, um importante fator contribuinte para essas alterações é a vida cada vez mais sedentária das pessoas à medida que envelhecem e o consumo inadequado de nutrientes e fitos químicos, através de dietas ricas em produtos industrializados.

As principais estratégias de prevenção que podemos adotar para aumento das nossas reservas fisiológicas e nutricionais incluem: consumo de alimentos variados, redução no consumo de álcool, cafeína e medicamentos.

Para obter sucesso na prevenção de doenças associadas à má nutrição ou tentar “desacelerar” o envelhecimento biológico siga essas recomendações na sua alimentação diária. Faça um consumo alto de: 300g/dia de vegetais, mais de 50g/dia de legumes, mais de 200g/dia de frutas, mais de 250g/dia de cereais. Faça um consumo moderado de: carnes e produtos de carne, menos de 300g/dia; álcool, menos de 10g/dia; laticínios, 500 ml/dia. Faça um consumo alto em gorduras monoisaturadas (azeite) e baixos em gorduras saturadas (produtos de origem animal, frituras). Este padrão alimentar é compatível com os padrões alimentares  prevalentes na Grécia na década de 1960, quando os gregos tinham os melhores índices de saúde do planeta.



É fundamental que exista sinergia entre os grupos alimentares e que as recomendações alimentares sejam seguidas como um todo, em vez de focalizar apenas um grupo alimentar ou um nutriente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário