quinta-feira, 20 de março de 2014

MUSA: Franciely Freduzeski, estrela do mar

O nome é difícil, e ela também. Conquistar a Franciely Freduzeski não é tarefa fácil. Esse mulherão sabe bem o que quer, é segura e decidida. Adora flores e homem gentil que trate a mulher como princesa, afinal é isso que as mulheres são: princesas. Quer Dizer, no caso de Franciely, uma sereia. De humorísticos a novelas, Franciely sabe aproveitar bem as oportunidades e mostrar o seu talento. Apesar de ter participado de um realityshow Franciely não gosta de exposição de sua vida pessoal, nem falar de suas intimidades, pois acredita que um pouco de mistério é imprescindível. Sensual ela sabe explorar a beleza do corpo sem ser vulgar e isso você vai ver nas próximas páginas caro leitor. Aproveite!

Primeiro explica de onde vem esse nome...? (Risos) Esse nome é de origem polonesa, dos meus avós maternos. Na realidade é Fredcheski é que coloquei um “u” e um “z” para melhorar a pronuncia.


Como você se descobriu como atriz e como descobriram seu talento? Comecei a fazer balé com 7 anos no teatro Guaira em Curitiba. A primeira vez que pisei no palco foi inesquecível, ai já viu... nunca mais consegui ficar sem. Dei aula de balé para crianças, mas sempre tive vontade de trabalhar com televisão. Comecei como modelo fazendo vários comerciais no Sul. Depois fui fazer teatro com 12 anos no Lala Shineider também em Curitiba. Com 17 anos fui para o RJ com uma peca chamada "Drácula e a dança dos vampiros", fiquei em um teatro em Copacabana. Me apaixonei definitivamente. Sabia que era isso que queria. Arrumei minhas malas, me inscrevi para passar em uma faculdade de Direito, (por que se eu não estudasse minha mãe não ia me ajudar) passei e nunca mais voltei. Em uma semana já estava fazendo participação na Malhação.

Lembro que você subia na escada no Zorra Total como Dona Marinada... Como foi participar do humorístico?  Era um quadro com Agildo Ribeiro. Foi este quadro que me tornou conhecida e me abriu as portas. Foi ótimo, aprendi muito com o próprio Agildo e o meu diretor na época Mauricio Sherman.

Depois veio a sensual Berta e a capa da PLAYBOY onde você posou nua no meio da rua em pontos turísticos do Rio de Janeiro. Como foi essa experiência? Foi incrível. Beta foi meu primeiro papel nas novelas. Fazer uma novela da Glória Peres foi maravilhoso. Aprendi muito. Fiz uma dançarina que fazia par romântico com o Luciano Szafir. Posar pra PLAYBOY também foi outro sonho realizado. Ser a capa pra muitas é um desejo, pelo menos antigamente quando se tinha certa curiosidade para ver quem seria a mulher daquele mês, por que geralmente eram grandes atrizes ou alguém especial. Fiz o ensaio com o Valério Trabanco que me deixou bem à vontade e as fotos foram muito bem produzidas e rápidas. Não tive tempo pra ficar pensando se tinha alguém me olhando ou não e a partir do momento que aceitei fazer um nu nas ruas eu deixei a timidez de lado.



Falando em nudez, o que ela representa para você? Afinal nesse ensaio você está lindamente nua e sensual... Tudo depende da maneira que você se mostra. Acho horrível a nudez vulgar. Coisas apelativas. Para chamar atenção não precisa de muito, uma cruzada de pernas e um olhar, você já nocauteia quem quer que seja. Mulher tem que se valorizar falar com o sorriso, e é claro ser inteligente. A nudez nada mais é do que você ser você mesma, natural, simples.


Que pergunta ou assunto te deixariam mais exposta e inibida que um ensaio nu? Odeio expor minha intimidade ou quando me perguntam sobre o que gosto de fazer na cama. Isso me deixa vermelha por que não acho legal revelar tudo. Tem que ter pudores e ao mesmo tempo mistério.

Ter participado da 1a edição do reality A Fazendo, foi uma exposição maior ainda? Pra mim foi horrível, fui por que queria um contrato com a Record para fazer novela e consegui. Mas expor minha vida pessoal sempre foi uma dificuldade. Não gosto de brigas, fofocas... Sou muito na minha, falo baixo e odeio puxar saco das pessoas.

Por que cada vez mais hoje em dia as pessoas têm uma necessidade grande em se expor? O mundo virou um grande realityshow? Por que estão em busca de fama, só que ela é efêmera. Poucos conseguem o sucesso como a Grazi, Sabrina Sato... E as pessoas que assistem acham engraçado ver até que ponto o ser humano pode fazer coisas absurdas ou não.  Não deixa de ser uma maneira de estudar o comportamento humano. Eu acho um grande besteirol, por que eu já vivi aquilo e sei que as pessoas entram jogando, não estão ali de verdade e sim querendo ser melhor que o outro.

Você parece ser uma mulher segura de si e decidida. Verdade? Isso assusta os homens? Assusta. Sou verdadeira. Quando entro numa relação já falo logo o que sou, o que dizem e o que quero. Quero que o homem que esteja comigo saiba tudo através de mim. Não sou mulher de fazer escândalo e nem de ciúmes bobo. Quando tenho problemas pergunto logo, odeio dormir brigada (risos).


Quais são "as mentiras que os homens contam" (aproveitando o título de uma peça sua)? Todas assim como nós mulheres. (risos) Só não mentimos quando nos importamos ou gostamos muito desta pessoa. Hoje em dia as mulheres mentem tanto quanto os homens.

E qual a maior (e mais popular) mentira das mulheres? Sexo é claro!  (risos) Todo homem acha que em toda transa nós gozamos. Isso é a maior mentira. Fingimos pra caramba pra agradar, e pra acabar logo. (risos) Claro que gozamos, mas às vezes não chegamos ao clímax... E não é culpa dos homens e nem nossa, é apenas um momento. E isso também não quer dizer que foi ruim. 

Um homem pra te conquistar precisa ter ou ser o que? Ser educado, inteligente, fino, cheiroso, generoso, se vestir MUITO bem e amar viajar. E nunca esquecer que mulher gosta de proteção e ser bem tratada como uma princesa sempre.

Mãe de um filho e com esse baita corpão. Qual o segredo de tanta saúde? (risos) Malho todos os dias e só! Como de tudo um pouco... Faço drenagem linfática e corro na areia.


Você curte balada ou baladão? Onde é fácil te encontrar num sábado à noite? É mais fácil eu estar em um bom restaurante. Não curto boates. Até vou, mas gosto de festas que já sei que vai ter uma galera legal. Você não vai me ver em um lugar só por estar e nem em qualquer lugar. Sou extremamente seletiva. 

Algum homem (ou fã) já fez alguma loucura por você? Algo que te deixou sem jeito... Hummmm sem jeito não sei... mas já tive um que alugou um cinema só p nós dois assistirmos Romeo e Julieta foi o máximo. Achei romântico, atrevido e inesquecível.

Se alguém te oferecer flores, isso é... Hum, depende de quem está oferecendo. Pode ser educação, carinho, consideração ou amor. Eu amo receber flores.

Manda o recadinho para nossos leitores... Meninos nós mulheres somos inesquecíveis, difíceis de lidar, mas fácil de amar.  Somos jóias raras e muito preciosas e não vivemos sem vocês. Espero que tenham gostado da entrevista e das fotos. 



Fotos Sergio Santoian 
Produção Aline Mohamed
Ass. de Fotografia David Zoega
Make Edson Morales

Nenhum comentário:

Postar um comentário