segunda-feira, 31 de março de 2014

CINEMA: 1a Amostra de cinema cubano contemporâneo

Cuba está localizada no mar do Caribe fazendo fronteira ao norte de Cuba com os Estados Unidos e as Bahamas; a oeste com o México; ao sul estão as Ilhas Cayman e a Jamaica e a sudeste a Ilha de Navassa e o Haiti. Por muito tempo foi colônia do império espanhol, quando deu início a luta pela independência. Politicamente é o único país da América Latina socialista. 
Quando se fala em Cuba, se pensa em Fidel, Charutos Havana, Che Guevara (apesar de ser argentino), embargo e por aí vai. Mas Cuba é também terra de gente muito criativa que faz cinema em larga escala de produção. Foi o mexicano Gabriel Veyre que trouxe o cinema à Cuba em 1897 com a apresentação de quatro curtas metragens mexicanas (“Partida de Cartas”, “El tren”, “El regador y El muchacho” e “El sombrero cómico”) exibidos ao lado do Teatro Tácon, hoje chamado de o Grande Teatro de Havana.


De lá pra cá a coisa foi tomando forma e hoje o país é tem uma forte produção cinematográfica tendo escolas procuradas por estudantes de cinema de todo o mundo. O primeiro filme rodado na ilha, "Simulacro de Incêndio" foi um documentário sobre os bombeiros de Havana e teve na produção o próprio Gabriel Veyre. Até antes da revolução cubana em 1959, Cuba tinha produzido apenas 80 longas-metragens, com destaque para "La Virgin de caridas" de Miguel Santos e "Romance del palmar" de Rámon Peon. Logo após a revolução, Cuba entrou na sua "era de ouro" do cinema e mergulhou dentro do chamado Novo Cinema Latino Americano e junto com Argentina, México e Brasil exportou essa nova corrente para o mundo.

Esse boom levou o governo da época a criar um departamento cinematográfico na Dirección de Cultura Del Ejercito Rebelde, que acabou por patrocinar vários documentários. Em seguida veio o ICAIC (Instituto Cubano Del Arte y La Indústria Cinematográficos). A produção cinematográfica em Cuba é fortemente voltada para documentários e curta-metragens e oferece grandes e boas escolas como a Escuela Internacional de Cine, Televisión y Vídeo de San Antonio de los Baños e o ICAIC.

E pra quem tá em Recife e quer conhecer mais sobre o cinema cubano a capital pernambucana recebe a 1ª Mostra de Cinema Cubano Contemporâneo. A Mostra traz uma seleção de seis longas-metragens realizados no país e um panorama de 21 curtas-metragens que se destacaram nas últimas edições da Mostra de Jovens Realizadores de Cuba, evento de grande importância que ocorre anualmente em Havana; além de duas oficinas gratuitas ministradas por Susana Barriga e Patrícia Ramos, ambas professoras da Escola Internacional de Cinema e TV de San Antonio de los Baños.

Minha ideia, junto com Eduardo Herrera, o curador da mostra, é tentar resgatar um pouco da importância histórica do cinema cubano e, principalmente, mostrar o que está acontecendo naquele país; a seleção que fizemos tanto de curtas como de longas é deliciosa porque conseguimos escolher excelentes trabalhos que retratam muito bem a dura realidade do país sem máscaras e sem discursos políticos no meio. Há um pouco de tudo, ou seja, há filmes históricos, biográficos, outros mais cotidianos, enfim, um retrato da Cuba contemporânea”, conta Renato Galamba, produtor geral do evento.



Entre os destaques da programação (vide abaixo), estão os longas: “Morango e Chocolate” - obra-prima do diretor Tomás Gutiérrez Alea (o Titón), que levou Cuba ao Oscar -, "Bilhete para o Paraíso" (Gerardo Chijona) e "Suíte Havana" de Fernando Pérez, um dos grandes diretores cubanos da atualidade. Entre os curtas, podem ser vistos “Gozar, comer, partir”, “Tacones Cercanos” e “Camionero”, este vencedor de prêmios e baseado em fatos reais. Diariamente, haverá duas sessões: uma, dos curtas, às 18h, e a segunda, do longa, às 20h.

Outro ponto alto da Mostra será a homenagem feita a Titón. Figura incontornável da cinematografia mundial e um dos fundadores do Novo Cinema Latino-Americano, o cineasta produziu, em 50 anos de carreira, mais de 25 filmes até o final de sua vida. Além da exibição de seu último trabalho como diretor, “Morango e Chocolate”, haverá um bate-papo sobre sua vida e obra com a atriz Mirta Ibarra, um dos ícones da cultura cubana, ex-mulher do diretor e atriz principal do filme. Já no domingo (06), no encerramento da Mostra e complementando a homenagem, será exibido “Memórias do Subdesenvolvimento”, longa também de Titón, datado de 1968 e considerada a obra mais importante do cinema cubano.


Serviço:
1ª Mostra de Cinema Cubano Contemporâneo
Quando: terça a domingo, 01 a 06 de Abril de 2014
Onde: Caixa Cultural Recife – Av. Alfredo Lisboa, 505 - Recife-PE – CEP: 50030-150 – Tel: 81 3425-1900
Horários: sessões de curtas – às 18h / sessão de longas - às 20h
Quanto: R$ 2,00 (inteira) R$ 1,00 (meia)
Realização: Cicatrix Filmes
Confira programação completa e detalhes das Oficinas abaixo
Mais informações: www.mostracuba.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário