segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

CUIDADOS PESSOAIS: PROTEJA SUA PELE (e o cabelo) NESSE VERÃO.

Com o verão cada vez mais quente na maioria das cidades, a vontade que se tem é de colocar uma sunga (ou bermuda) e correr para dar aquele mergulho. Jogar uma partida de frescobol ou simplesmente ter um bom papo com os amigos de baixo da barraca por horas. Porém não se pode esquecer que essa mesma estação que nos atrai tanto, nos deixa muito mais expostos aos raios solares, e isso requer cuidados. Especialistas todos os anos alertam sobre alguns cuidados que devem ser tomados, além de dicas para manter um bronzeado uniforme e duradouro. 

O uso de protetor solar, apesar de ser fundamental e importante para prevenir o câncer de pele, ainda não é um hábito entre os homens. Segundo levantamento do Instituto Nacional de Câncer (Inca), na capital paulista, apenas 8,5% dos homens que moram na cidade de São Paulo costuma passar protetor solar durante o dia. Já as mulheres se protegem mais contra os raios ultravioletas (UV). O Inca aponta que 24,5% das paulistanas não saem de casa sem aplicar algum tipo de creme com bloqueador solar. De acordo com o diretor do Instituto Oncoguia, Rafael Kaliks, a mulher é mais vaidosa e sabe que a proteção solar também previne contra o envelhecimento. Enquanto que o homem não se importa com isso, afirma o diretor.

Os homens por terem pele mais oleosa e não gostarem de usar filtros solares devem usar os filtros em gel toque seco, totalmente livres de óleo e com ação de controle de brilho e oleosidade, isso aumentará a aderência ao produto. Para uso diário, o ideal seria aplicar um filtro solar com fator 30, logo pela manhã e reaplicando no meio do dia, numa quantidade pequena e espalhando bem o produto na face até secar. O uso diário seria mais indicado para prevenção do envelhecimento, manchas na pele e controle da oleosidade, tão característica da pele masculina. Já na praia ou atividades esportivas e outros tipos de exposições maiores ao sol deve ser aplicado filtro fator mais alto (pelo menos fps 45) numa quantidade maior do produto sobre toda área exposta a cada hora ou máximo de 2 em 2 horas. Neste caso para prevenção de queimaduras, câncer de pele, além do envelhecimento e manchas. 

O TAL ÍNDICE UV


Quando se fala em protetor solar, cuidados com a pele... logo se fala dos tais “raios UV”. Mas como funciona isso? Bem, partindo do princípio da intensidade com a qual a radiação solar atinge a superfície terrestre e a nossa pele depende de vários fatores, tais como o comprimento da onda, a latitude, a altitude, a atmosfera, a poluição, as nuvens, a estação do ano, o horário e o tempo de exposição. E o índice ultravioleta (IUV) mede a intensidade da radiação UV que incide sobre a superfície da Terra, levando-se em consideração a concentração de ozônio no ar, a posição geográfica, a altitude, o tipo de superfície, a hora do dia, a estação do ano e as condições atmosféricas. As principais praias do Rio de Janeiro, por exemplo, têm letreiros exclusivos para o IUV funcionando em tempo integral para que os banhistas estejam cientes dos cuidados que devem tomar.

EFEITOS DOS RAIOS UV NA PELE

Como estudamos nas aulas de biologia, uma das principais funções do maior tecido do corpo humano é protegê-lo da perda excessiva de água, do atrito com o ar, suas impurezas e objetos, e da luz do sol. A pele, no entanto, com o passar dos anos sofre alterações morfológicas e funcionais. E muito se deve à exposição aos raios solares.

Após a exposição à radiação UV pode haver maior perda transepidermal de água, devido a um rearranjo das células na camada córnea (parte mais externa da epiderme). A pele sofre agressões da radiação UV, apresentando um processo inflamatório local, cujo principal sintoma é o eritema (vermelhidão), a mais famosa manifestação da exposição exagerada à radiação UV. Cerca de 99% do eritema é causado pela radiação UVB de 2 a 8 horas após a exposição e alcança o máximo em até 36 horas. As ondas UVA parecem ser menos efetivas nesses casos e estão mais relacionadas à formação de manchas.

Além da tradicional “cor de camarão” (o eritema), as áreas expostas ao sol também podem apresentar prurido (coceira), dor, edema (inchaço), vesiculação (formação de bolhas), necrose da pele (as queimaduras propriamente ditas) e diminuição da resposta imune. Cerca de 90% dos raios UVB são absorvidos pela epiderme e 10% atingem a derme. Portanto, é na camada mais externa da pele que podem surgir as queratoses solares e o câncer de pele. Já os raios UVA agem mais na derme e estão diretamente relacionados ao envelhecimento cutâneo. O calor dos raios infravermelhos estimula a circulação sanguínea e o metabolismo.



VAMOS NOS BRONZEAR...

Todo mundo nessa época de verão quer ficar com o corpo bronzeado, a cor do verão. Mas como isso ocorre e quais cuidados devemos ter? Aquela mesma radiação UV que citamos acima, também estimula a síntese de melanina, que promove o bronzeamento da pele. E assim temos o bronzeamento imediato, seguido pelo bronzeado verdadeiro que ocorre 48 horas após a exposição ao sol, e atinge o grau máximo em três semanas e depois diminui se a exposição não for contínua. Essa formação da melanina é um mecanismo de defesa do corpo contra a radiação solar, podendo aumentar a resistência a queimaduras de 10 a 50 vezes, dependendo do fototipo de pele, além de bloquear parte das radiações UV e VIS que atravessam a epiderme.

Nesses meses mais quentes do ano, sempre se arruma um tempinho para pegar um bronze. Carnaval chegando e todo mundo quer está com aquela cor típica do verão nos trópicos. Conversamos com a dermatologista Dra. Carolina Coelho, que nos alertou para alguns cuidados: é um mito achar que se usar filtro solar na praia não irá bronzear a pele, muito pelo contrário. Pode levar mais tempo para se conseguir o bronzeado, mas este será mais saudável, bonito, uniforme e duradouro. Para aqueles que querem muito pegar uma “corzinha”, uma dica é comer alimentos ricos em betacarotenos (frutas e verduras amarelas e laranjas) ou tomar algum nutracêuticos específico. Estes, quando ingeridos diariamente por até 1 mês antes da exposição solar, ajudam na maior produção de melanina na pele. Para os que têm preguiça de passar ou reaplicar os filtros solares, existem roupas, bonés, viseiras e chapéus de tecidos apropriados que substituem o uso do filtro solar. Mas atenção, o rosto sempre estará exposto, portanto não dispensamos o uso dos protetores nessa área. 

ALGUMAS DICAS IMPORTANTES NA HORA DE ENCARAR O SOL

Para aproveitar o que o verão tem de melhor e não passar a estação cuidando de alergias, queimaduras, insolação e adiantar as estações seguintes com o envelhecimento precoce e o câncer de pele, aconselhamos você seguir algumas dicas muito úteis:

Use filtro solar SEMPRE - Nós sabemos que a maioria já nem dá importância para isso, mas mesmo fora da praia ou da piscina, o uso diário do filtro solar vai evitar rugas precoces, manchas de pele e ainda, o principal, se proteger contra câncer de pele. O FDS 30 já é o suficiente no uso diário.

Gel, fluido ou spray – Como a pele dos homens é mais oleosa, salvo algumas exceções, o mais indicado são os filtros solares com textura mais leve. Além de não deixar os pelos colados de creme e são absorvidos melhor pela pele.

O índice certo pra você – É importante observar o fator de proteção (FPS) específico para seu tipo de pele. Por exemplo, os do tipo 15 são indicados para peles morenas e negras; os de 30 e 40 são indicados para quem se avermelha facilmente; e os do tipo 50 ou mais, são indicados para peles muito brancas e sensíveis. Lembre-se que, nas áreas mais sensíveis necessitam de um FPS mais elevado, como o rosto, os lábios, as orelhas e o couro cabeludo (atenção especial para os carecas).

O guarda-sol ideal - Prefira os guarda-sóis de algodão de cor clara, pois as cores escuras absorvem mais radiação e calor. Além disso, os tecidos sintéticos, como o nylon, fazem sombra, mas não protegem da radiação solar. Lembre-se que o mormaço também causa queimaduras e não se iluda com aquela brisa refrescante, porque ela o faz esquecer dos efeitos nocivos do sol e ficar mais afoito.

Proteção na hora certa – Tudo mundo já sabe, ou deveria saber, mas vamos reforçar... O protetor solar deve ser aplicado no mínimo meia-hora antes de ir para o sol. Não adianta passar no caminho pra praia ou na hora que chega. A pele precisa absorver o produto para que ele comece a agir. Em média a quantidade ideal são duas colheres de sopa para o corpo.

Reaplicar é tão importante quanto aplicar – Por mais potente que seja seu protetor solar ele não vai durar o dia todo. Então é importante que você reaplique ele a cada duas horas. O suor e o mergulho no mar ou piscina já fazem você perder até 50% do protetor solar absorvido pela pele. A não ser aqueles que no rótulo indicam ser resistentes à água.

Cuidado redobrado com o rosto – No rosto use equivalente a uma colher de chá de protetor. Dando atenção especial para o nariz e lábios que homem em geral nunca lembra. Se você vai praticar esportes então opte por FPS 60 de produto específico para praticantes de esportes

Hidrate-se! – Exposto ao sol você sua mais e sua pele pede hidratação. Durante todo o período em que estiver exposto ao sol beba bastante água e sucos naturais. Evite bebidas que contenha limão, frutas cítricas em geral não combinam com sol e calor. Importante também que você hidrate bem a sua pele após o sol, para devolver a umidade perdida e ajudá-la na regeneração de suas funções.



Nenhum comentário:

Postar um comentário