sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

ENTREVISTA: Oscar Magrini volta ao topo com novela das nove, estreia no cinema e no teatro discute "tudo sobre os homens".

É a segunda vez que Oscar Magrini conversa com a gente. A primeira vez há dois anos e como ele mesmo disse, era só um ator fazendo uma capa. Hoje é um amigo batendo papo com outros amigos. Daí que qualquer coisa que se diga dele, pode soar como “isso é coisa de amigo”, e é. Uma pessoa leve, bem humorada, de bem com a vida, daqueles que sabem agradecer o que tem, buscam o que querem e se entregam com paixão em tudo o que acreditam, como família, amigos e carreira. Com vocês, Oscar Magrini, de novo e ainda melhor.

“Tudo sobre os homens”, é uma peça que trata de assuntos como separação, amizade, trabalho, quais são as maiores medos de um homem e qual sua maior fraqueza? Acho que os maiores medos de um homem são: Não conseguir ser feliz ao lado de quem ama, não conseguir estabelecer metas e conquistá-las, entre outras coisas, e a frustração é consequência desses fracassos.

Fala um pouco da peça... Como está sendo fazê-la? Pretendem viajar pelo Brasil? Como está sendo a repercussão? A peça é um texto inédito no Brasil. Uma trilogia (Tudo sobre as Mulheres, Tudo sobre os Homens e Tudo sobre Casais) do autor Miro Gavran, e o diretor, que também fez a tradução, o Flavio Faustinone, que me convidou para fazê-la e aceitei de pronto por achar muito legal e mostrar realmente um trabalho de ator, já que cada ator, somos em 3, eu, Flavio e o Dennis Victorazzo, fazemos 4 personagens cada um, com histórias que se intercalam, não se cruzam e o grande barato é a transição de uma estória pra outra. Esse é o grande exercício, são 3 amigos em uma academia, contando suas aventuras e mentiras; um pai e dois filhos em conflitos por causa da morte da mãe e brigas entre eles; um dono de uma boate de stripers e um doutor gay; um casal de namorados que tem que conviver por três dias com o ex-namorado do atual. Muito engraçado e interessante como aborda essas estórias. Estreamos em outubro e acabamos dia 15 de dezembro agora, e sim pretendemos viajar pelo Brasil.


O que as mulheres ainda não sabem sobre os homens? Acho que elas sabem de tudo e se fazem de desentendidas (risos). São muito espertas e nós, que nos achamos os mais espertos do mundo, só tomamos volta delas por burrice e machismo, talvez pudéssemos ensinar algumas coisinhas a mais, mas sem entregar o ouro.

Afinal, o que querem os homens? Os homens querem, pra falar a verdade, não sei! O que tem de mulher solteira ou separada, a ponto de serem maiorias, é o que mais vejo quando viajo pelo Brasil nas capitais e interiores, fazendo teatro. Tenho a oportunidade de observar bandos de mulheres sozinhas, saindo em turmas de 3 a 8. Elas estão na pista e espantam os homens, porque eu também os vejo sozinhos, sem coragem, acho que é essa a palavra, de chegarem a elas. Porque hoje uma mulher que tem seu dinheiro, trabalho e é realmente independente, chega a um restaurante com o cara e pede a carta de vinhos, por exemplo, ao invés de dizer: "ah, eu quero uma coca”, ou  "o que você quiser amor”. Poxa, o homem não vai acreditar, já vai se sentir estranho por ela ter essa atitude, saber o que quer e ser colocada, e antenada. Sei não, os homens, acho que se amedrontam (risos). Eu falo isso porque sou um grande observador, eles correm, por isso, por elas buscarem essa  "igualdade". Acabaram ficando meio que sozinhas, entende! Já cansei de juntar os meninos e as meninas sozinhas. É muito engraçado.

52 anos e ainda galã, de onde vem esse charme todo? (risos) Olha, se sou galã, não sei, esse rótulo é muito engraçado. Já ouvi essa palavra várias vezes, me acho um cara normal, curto meus cabelos grisalhos, não agora por causa da novela que estou fazendo Em Família, que tenho que ser mais novo (risos). Mas também vejo como um carinho das meninas/senhoras em relação a mim, legal isso.


O que os 50 trazem de bom na vida de um homem? Os 50 anos, quando fiz, achei que fosse doer, mas não, me acho ótimo. Tenho 52 anos e me sinto com 35, com disposição, mais responsabilidade, experiência e observando mais atentamente tudo. Hoje um homem de 50 é bem diferente dos de 30 anos atrás. Somos mais, conservados eu diria, por causa da alimentação, o cuidado e preocupação com a saúde, saber curtir e dar valor pras coisas que realmente merecem todo o cuidado, como amor, companheirismo, dedicação  e cuidado com a pessoa que está ao seu lado, sua companheira.

Quais as suas vaidades? E o que te deixa inseguro? Não tenho vaidades, me preocupo com minha saúde e alimentação e estar bem sempre. E  minha insegurança talvez seja em querer fazer a coisa certa e errar, não gosto de errar e isso me deixa inseguro.

Você parece um homem de bem com a vida. Procede? (risos) Procede sim, sou um cara de bem com a vida, primeiro porque Deus me permite fazer o que gosto, tenho uma família linda, uma mulher que me apoia sempre, e segura a onda, pois trabalho pelo Brasil a fora; uma filha maravilhosa que Deus nos deu, minha riqueza, e temos saúde, graças a Deus, o que posso querer mais a não ser agradecer por tudo!

Como cuida da saúde do corpo, da cabeça e da alma? Me cuido fazendo o que acho que é certo, fazendo a minha parte, me alimentando bem, dormindo o quanto eu puder, porque trabalho muito, teatro, cinema e TV, viajando, estradas e avião, tenho que me preocupar com o físico sim e meu bem estar. Sou cristão, acredito no Manual do Fabricante (BÍBLIA) como o chamo, leio sempre e tudo está lá, é só procurar isso é meu alimento espiritual “e todo o que Nele crer, não pereça mais tenha vida eterna". JO 3:15


Ao longo da sua carreira são muitos personagens, algum com um carinho especial, uma história mais marcante na sua vida? Tenho muito carinho por todos os personagens que fiz, gosto de todos eles e tenho muitas lembranças ao longo de 23 anos de carreira. Foram 26 novelas, 18 filmes e 15 peças de teatro. E agora preparando mais um, na TV, que estreia em 03 de fevereiro na novela “Em Família”, de Manoel Carlos.

Em “Salve Jorge” seu personagem ganhou destaque ao longo da novela, tamanho seu desempenho e o carisma do “Coronel”. Como avalia a sua participação? Adorei fazer Salve Jorge. Foi a primeira vez que fiz novela da Glória Perez, e com a direção do Marcos Shertman. O Coronel Nunes vai ficar guardado com muito carinho, pois tivemos uma dedicação total em prepará-lo, frequentando e fazendo treinamento na AMAN, Academia Militar das Agulhas Negras, onde aprendemos de tudo um pouco e o Exército foi maravilhoso, abriu as portas e ficaram muito felizes com o que foi mostrado. Pra mim foi um divisor de águas, e parece que começaram a me ver com outros olhos do que só como um cafajeste, safado, que é como me viam. Engraçado né? Um personagem bem diferente de todos que fiz.


É verdade que o assédio aumentou? Algo curioso? Fez bem para o ego? O assédio sempre existiu pelos personagens que fiz, mas agora mais sério, cabelos grisalhos e com farda (risos) a mulherada perdia a linha. É muito legal ver e escutar o que eu escutava (risos).  Sei que era com o maior carinho e elas eram sinceras. Foi ótimo.

Na nova novela de Manoel Carlos, “Em Família”, você será o pai da protagonista Helena em duas fases da novela. Privilégio e grande responsabilidade? Sim, é a primeira vez também que faço uma novela do Manoel Carlos, com direção magistral do Jayme Monjardim. Fiquei muito feliz com o convite e sim é uma responsabilidade, porque a novela terá 3 fases e faço as 2 primeiras onde é o batizado da Helen, ela com 12 anos e 18 anos, e depois a novela tem uma passagem de 22 anos, e a Helena que era a Bruna Marquezine, será  Julia Lamertiz. Está correndo tudo bem, um elenco brilhante e que estamos fazendo o melhor para todos vocês, podem estar certos.

E a Bruna Marquezine é uma boa “filha”? (risos) Como é a interação entre vocês? Ela é ótima, muito experta e inteligente, pega as coisas rápido e chora com uma facilidade incrível. Tenho uma filha de 22 anos, Isabella, então fica fácil pra eu fazer o Ramiro, pai de Helena, nos damos muito bem, ela é ótima.


Falando nisso, você é um homem família? Como é Oscar Magrini pai? O que ensina para a sua filha? Muito família. Quando não estou trabalhando fico sempre em casa, e a Isabella é uma filha maravilhosa também criada na igreja, não tenho nenhum tipo de trabalho, conversamos muito, ela é muito carinhosa, nos falamos todos os dias, é minha companheira de viajem, se formou ano passado em Nutrição na UNIFESP. A Matilde é uma super mãe, e ficava a maior parte do tempo com ela por causa do meu trabalho e viagens, então é por isso que curto muito ficar em casa, babando a cria (risos).

O que espera da nova novela e do seu novo personagem, ainda mais depois do sucesso do Coronel Nunes? Será uma novela muito legal, como todas as do Maneco, o meu personagem, Ramiro, um homem firme, paizão e pra família, que ama os filhos e faz tudo por eles, uma responsabilidade, por começar uma novela como essa, em dar o start para uma grande trama das 21hs.

De volta à capa da revista MENSCH dois anos depois, como foi esse novo trabalho? E como foi contracenar com nossa musa Márcia Spézia? Adorei o convite para ser a capa impressa de aniversário de 02 anos. O que começou com um convite para a capa virtual há quase dois anos, onde eu, como mais um ator para fazer a capa fiz amigos, pessoas incríveis e que convivemos até hoje. Uma verdadeira amizade e fico muito feliz por esses dois anos, e que venham muito mais, pois essa revista é nota 10. E a Márcia foi uma gracinha, fizemos as fotos junto com a equipe impecável, por isso esse trabalho que vocês estão vendo é tão bacana, espero que apreciem!



E já que estamos no final do ano, qual o balanço de 2013 e as perspectivas para 2014? 2013 foi um ano muito bom, que só tenho que agradecer a Deus. Acabei de fazer Salve Jorge em maio, em Janeiro terminei um filme, que vai estrear em Abril de 2014 "A Palavra" de Guilherme de Almeida Prado (filme evangélico) em Recife, estreei uma peça que estou em cartaz em São Paulo, (Tudo sobre os Homens), comecei a gravar a novela Em Família, e lancei um filme Vazio Coração, de Alberto Araújo. Dia 19 agora  estreia outro filme que fiz "A Primeira Missa”, de Ana Carolina, com coprodução de Portugal e mais um ano com saúde e no ano que vem, vou fazer mais 03 filmes,  - "Casados para Sempre", um filme de Sergio Assis, (filme evangélico),  - Helena, de Sergio Medeiros e Dona Beija, de Débora Torres. Bom, só tenho que agradecer a Deus por tudo o que Ele permite que eu tenha e faça. Amém por isso. E desde já quero desejar a todos vocês, um ano novo de muitas realizações e Jesus no coração sempre, um grande beijo, Oscar Magrini.




+ Perguntas inéditas em nossa edição impressa.

Assista um recadinho de Oscar Magrini para os leitores e amigos que esperavam pela sua MENSCH:

Nenhum comentário:

Postar um comentário