terça-feira, 18 de outubro de 2016

ESTILO: Guia da gravata - Dicas práticas para não errar na hora de usar

A gravata é apontada como símbolo de masculinidade, e que mesmo tendo passado por variações ao longo do tempo, indo dos modelos borboleta ao modelo mais slim (em moda hoje em dia), ela continua revelando uma personalidade e sendo sinônimo de estilo. Etimologicamente falando “A gravata veio para o centro da Europa trazida pelos cavaleiros croatas, durante as guerras com a Alemanha desde 1636, depois pelos mercenários croatas dos reinados de Luis XIII e XIV, que compunham o regimento ‘Royal Cravate’. A forma primitiva foi o eslavo ‘hrvat’ passada a um dialeto alemão ‘Krawat’“. (Silveira Bueno)
Durante a Revolução Francesa (1789-99), o homem indicava a sua inclinação politica pela cor de seu “croata“, ou lenço, em torno do pescoço.  Steenkerke, uma cidade na Bélgica, reivindica a honra de ter “inventado” a gravata. Séculos antes disso, os guerreiros do imperador chinês Cheng (Shih Huang Ti) usavam um tipo de lenço dobrado ao redor do pescoço, para indicar a sua posição.
As gravatas diagonais são chamadas de “Gravatas club“? A direção das listras varia de acordo com o país de origem. As listras das gravatas club inglesas partem da esquerda (do coração) para a direita (quadril), enquanto as americanas fazem o sentido inverso, da direita para a esquerda.

PRENDEDOR DE GRAVATA

Um acessório prático que está voltando à moda é o clássico prendedor de gravata. Uma ótima opção para quem é muito agitado e não quer perder a classe, o tal “tie clip”, como é mais conhecido nos EUA, é uma peça bacana que pode dar um ar charmoso no seu visual. O prendedor surgiu no século 19, quando as gravatas já tinham um formato mais atual, quando ficaram mais compridas, cobrindo o tronco do homem sobre o peito da camisa. Até hoje não se sabe ao certo quem foi seu criador, mas a ideia de não deixar a gravata voando agradou em cheio e logo integrou o uniforme dos militares e com seu tom aristocrata logo entrou para os clubes sociais que costumavam presentear seus membros com suas iniciais ou símbolos gravados nos prendedores. 

Os prendedores de gravata tiveram desde então seus altos e baixos na moda, nos anos seguintes passaram a ser símbolo de status, depois, já nos anos 80, a onda dos “yuppies”, os jovens profissionais que ficaram ricos de maneira frenética, trouxeram de volta o assessório. Já na década de 90, a onda minimalista aboliu os prendedores do visual masculino, onde a ordem era “menos é mais”. Sua volta só se deu no início dos anos 2000 com a imagem do homem mais antenado e também atingiu a turma do streetwear. Dez anos depois, sai de cena o prendedor de gravata e o homem assumiu o colarinho mais alto, casual, dando a cara do novo homem de negócios, com um visual mais relax, porém à procura do poder.

COMO COMBINAR

Primeiro você precisa escolher por onde começar. Você pode partir do terno como peça principal ou da gravata como estrela maior da composição. Nesse caso, a camisa, mesmo sendo uma coadjuvante, é importante no todo. Lembre-se que a camisa deve ser mais clara que a gravata.

As gravatas lisas, escuras e sem estampa ou padrão são as mais formais. Outra bem popular é a de listras diagonais e com padrões repetidos como as de bolinhas ou texturas. Nesse caso, quanto menor o padrão, melhor. Listras podem ser combinadas as mais largas em oposição às mais finas, sempre dando destaque a uma das peças.  E outros padrões como poás com listras e quadriculado com listras também ficam bem. Basta ficar atento às cores e eleger uma que seja destaque na composição.

Gravatas mais diferentes não precisam necessariamente combinar com as cores das roupas, mas, na dúvida, combine primeiro com a cor do terno em tom sobre tom ou num contraste. Veja tabelas abaixo:



4 DICAS PARA NÃO ERRAR


1 - Camisas com listras finas combinam com gravatas em padrões grandes. 

2 - Camisas com listras mais largas ou mais espaçadas combinam com gravatas em padrões pequenos. 

3 - Terno risca de giz combina com camisa lisa e gravata com listras diagonais ou xadrez. 

4 - Camisa de listras combina com terno liso e gravata lisa, com listras diagonais ou xadrez.

Por fim, não se enrole na hora de fazer o nó da gravata, assista esse vídeo e aprenda de uma vez:



Acompanhe a MENSCH no Twitter:@RevMensch, curta nossa página no Face:RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb

Nenhum comentário:

Postar um comentário