terça-feira, 29 de outubro de 2013

NÁUTICA: NAVEGAR É PRECISO - O crescente mercado náutico consolida a região Nordeste como novo polo de negócios

O local parecia perfeito. Ali na foz do Rio Capibaribe, no encontro com o Atlântico, aconteceu a segunda edição do Recife Boat Show, que se solidificou como a maior feira náutica da região Nordeste. As dezenas de embarcações de todos os tamanhos estacionadas no Shopping RioMar, no Recife, parecem que encontraram seu porto seguro para encantar milhares de apaixonados por barcos, água e luxo. Diversos expositores montaram os seus estandes para apresentar seu portfólio de embarcações e fazer negócios com clientes de todo o Brasil.

Um evento como esse atrai muita gente. Foram 15 mil pessoas, em quatro dias de feira, que puderam conhecer as novidades do mercado, observar de perto motos aquáticas, lanchas de vários tamanhos e conhecer um pouco mais da cultura náutica. E conseguiram. Para se ter uma ideia, o volume de negócios fechados durante o evento foi de R$ 49 milhões, o que mostra uma grande tendência de aquecimento desse mercado e um direcionamento das pessoas ao mar, em posse da sua própria embarcação.

Os organizadores do Recife Boat Show, Jorge Carriço e Jonas Moura, se animaram com os resultados e ainda estimaram um aumento desse montante em 15% nas semanas subsequentes, com novos negócios decorrentes da feira. Foram comercializadas 79 lanchas, 40% a mais do que na edição de 2012, além de 19 motos aquáticas. Essa amostra, concentrada em apenas quatro dias de feira, revela como o mercado náutico do Nordeste está navegando de vento em popa. Quem comemora são os estaleiros. Vários deles estiveram representados no Recife Boat Show, como Recife Náutica, Valent, Fibrafort, Ventura, Yamaha, Sea Doo, Kawasaki, Royal Mariner e muitos outros. “A presença de consumidores focados proporcionou a efetivação mais rapidamente dos negócios, aquecendo ainda mais a produção dos estaleiros, que estão a todo vapor para o verão”, diz Jorge Carriço.

Um dos destaques foi o pernambucano Fibrasmar, com a sua recém-lançada New Wish de 23 pés, que bateu a meta de vendas no evento. Essa lancha é uma versão atualizada da Wish e representa bem o que está acontecendo no mercado náutico hoje em dia. O público comprador é o iniciante, tem entre 28 e 35 anos e aprecia o prazer proporcionado pelos esportes náuticos, como o wake board. Quem sintetiza tudo isso é o gerente comercial da Fibrasmar, Vinícius Rangel: “A renovação dos produtos já existentes e consagrados é de extrema importância para que a empresa acompanhe a evolução do mercado, bem como sua modernização e a demanda por barcos esportivos”.


Talvez o volume de negócios exponha bem o tamanho do mercado e a disposição das pessoas a se aventurarem no mundo das águas. Mas só andando pela feira para perceber o entusiasmo do público, muitas vezes boquiabertos com o tamanho, o design e a potência dos barcos. De fato, é um mundo a se descobrir, e o Recife Boat Show pareceu estar disposto a ajudar. Além dos estandes dos estaleiros, havia vários outros expositores como negócios correlatos ao mudo náutico. Construtoras patrocinaram o evento e expuseram seus lançamentos imobiliários em praias paradisíacas da região, perfeitas para serem exploradas com a lancha nova. Bancos estavam lá para dar o suporte financeiro para os compradores. Moda praia, turismo e serviços náuticos, como seguros e licenças para pilotar, também marcaram presença. Até uma fabricante de helicóptero encontrou uma conexão entre o mercado náutico e os seus negócios.


Em termos de máquina e velocidade, a novidade ficou por conta do JetSurf (foto acima), uma prancha motorizada que pode alcançar até 55 km/h, com total controle do “jetsurfista”. O público aprovou e não teve para quem queria. A prancha foi desenvolvida pelo engenheiro theco Martin Sula, que já trabalhou na Fórmula 1 e na MotoGP. Feita de fibra de carbono e liga de alumínio, ela pesa incríveis 15 kg (dá para despachar no avião e levar para qualquer lugar, diziam os representantes no estande) e consome apenas dois litros de gasolina por hora de uso. Não é a toa que é um hobbie de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, pilotos de ponta da Fórmula 1. A versão de 86cc sai por R$ 35 mil e se esgotou nos primeiros dias do Recife Boat Show.

A ESTRELA DA FESTA – Mas quem reinou absoluta na festa foi a lancha Gran Turismo GT 38, do estaleiro francês Beneteau, representado no evento pela Newcomex. Sua presença imponente já na entrada chamava a atenção, com seus 41 pés de comprimento, design italiano inspirado em carros esportivos e motor de 300 hp movido a diesel.

A Gran Turismo GT 38 possui dois espaços para serem aproveitados pelos “marinheiros”. O deck inferior abriga confortavelmente quatro pessoas, que podem passar a noite no barco e aproveitar um belíssimo nascer do sol em qualquer parte do mundo. O ambiente ainda tem uma copa e mesa para jantar, perfeito para quem quer criar boas memórias a bordo. Um andar acima, no deck principal, um lounge para aproveitar a vida ao ar livre e tomar sol, com teto solar no cockpit (mas se o calor apertar, também tem ar condicionado), espaço de convivência, churrasqueira e plataforma de mergulho — afinal, o mar também é para ser aproveitado. Um barco de luxo para quem quer curtir a vida em grande estilo, sem dúvida. E tinha alguém disposto, que desembolsou R$ 1,320 milhão para levá-la para a sua marina.

O verão já chegou, se é que por essas bandas ele algum dia vai embora. É hora de aproveitar o sol e o mar, e os que estiveram na edição 2013 do Recife Boat Show sabem como fazer isso em grande estilo. Agora, é só esperar o ano que vem e conferir o que teremos de novidade no mercado náutico na próxima edição do evento. Até lá, é ligar os motores e zarpar.



Acompanhe a MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb

Nenhum comentário:

Postar um comentário