sexta-feira, 10 de maio de 2013

PERFIL: Para o alto e avante: Henry Cavill, o super-homem

Um ícone de justiça, caráter e força, essa é a imagem que o Super-Homem, o clássico personagem dos quadrinhos que surgiu em 1938 pelas mãos de Jerry Siegel e Joe Shuster, pela DC Comics, representa no imaginário coletivo mundial. Das várias adaptações para a TV e cinema, o personagem foi somando cada vez mais fãs, o que era para ser um ícone americano de poder e justiça se tornou uma das figuras mais populares ao redor do mundo. E em breve todos poderão conferir a mais nova leitura feita sobre a trajetória desse ícone mundial. Dessa vez sob o comando do ator Henry Cavill. 


Para muita gente talvez seja a primeira vez que saibam da existência de Cavill. O que pouca gente sabe é que antes de vestir a roupa azul com capa vermelha Henry Cavill atuou em diversas apresentações teatrais e perdeu alguns papeis importantes no cinema como o de Batman para Christian Bale. Chegou a ser chamado de homem mais azarado de Hollywood. Mas o passado passou e Henry é hoje o homem de aço (vale lembrar que ele também não passou no teste para Superman – o retorno!), prestes a se tornar o homem mais popular do mundo graças ao seu novo papel nas telonas. Azar a parte, Cavill fez o papel de Charles Brandon, o Duque de Soffolk cunhado de Henrique VIII da Inglaterra e inimigo da Rainha Ana Bolena na série épica The Tudors. Em seguida aí sim, veio o papel-título no filme Homem de Aço.


ENCONTRO COM O ÍDOLO

Aos 16 anos, Cavill teve a oportunidade de dar de cara com seu ídolo o ator Russell Crowe, que na época estava no auge com o papel do Imperador Maximus, em O Gladiador. Cavill, mesmo envergonhado, no meio de tantos outros garotos, criou coragem e foi até o ídolo. Apresentou-se e disse que queria ser ator como ele. Daí seguiu-se uma conversa bacana onde Russell falou de tudo sobre a profissão, tanto das partes boas como as não tão bacanas assim. O papo seguiu até que os meninos todos correram em direção a Russell para conseguirem autógrafos e imaginando a confusão que seria deu uma de guarda-costas e ajudou o ator a sair dali. Poucos dias depois, em sinal de agradecimento Cavill recebeu pelos correios um caixa com alguns doces Jersey (Cavill havia mencionado o lugar onde nascera), um pote de Vegemite, um CD da banda de Crowe (30 Odd Foot of Grunts, já dissolvida), e uma imagem de Crowe em Gladiador, com uma mensagem assinada: "Querido Henry, uma jornada de mil milhas começa em uma única etapa. Russell."

Ele nunca abriu os doces, nem comeu o Vegemite, nem retirou a imagem da caixa. Em vez disso, Cavill manteve a caixa intacta, e deu-lhe um lugar de destaque em seu quarto de infância, como inspiração e amuleto de sorte.



11 ANOS SE PASSARAM

E nos 11 anos que se passaram do encontro com o ídolo, Cavill participou do The Tudors, de Immortals, perdeu alguns papeis e reencontro Russel Crowe no ginásio Jones e por meses se exercitaram juntos, mas Cavill não deu uma palavra sobre o encontro anos antes. E o homem conhecido como o azarado de Hollywood poderia agora se considerar o grande sortudo, afinal, 11 anos antes, aos 16 anos, ele conheceu o ator que interpretaria o seu pai no filme considerado a grande oportunidade da sua carreira no cinema, e ainda por cima este ator é seu ídolo e atuou no seu filme preferido.




O HOMEM DE AÇO POR HENRY CAVILL

Em uma entrevista para a Total Film, Henry Cavill falou um pouco mais sobre seu personagem histórico no filme “Homem de Aço” de Zack Snyder. Veja a entrevista abaixo.

Sobre acordar durante a filmagem e colocar a roupa de Super Homem: “Eu amo usar a roupa! Você a coloca todas as manhãs e se sente fantástico. Quero dizer, você está vestindo a roupa do Super Homem, pelo amor de Deus!“


Sobre quanto tempo demorou para entrar no traje: “A equipe levou de cerca de 15 minutos a cada dia. Eles lutaram duro … vamos apenas dizer que nós ficamos muito próximos!“

Sua resposta à pergunta sobre o que ele tentou realizar com o papel: “Este não é um filme sobre Zack Snyder dirigindo alguma coisa, ou Henry Cavill interpretando um personagem… É um filme altruísta sobre um personagem que está passando pelo que ele está passando. Ele quer fazer a coisa certa, mas ele é falível, como o resto de nós. Ele erra, e que nos faz amá-lo mais.”

Sobre os rumores da Liga da Justiça: “A decisão será feita, eu tenho certeza, no fim de semana depois da estréia!“

Fonte: www.legiaodosherois.com.br






Acompanhe a MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis:http://goo.gl/Ta1Qb 

8 comentários:

  1. ainda prefiro o brandon routh que lembra o christofer reeve, o cavil é muito bonito, atrapalha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. O único que covence é o Cavill, que nem combina com o superman original dos quadrinhos (pois o dos gibis é muito biba). Henry Cavill é verdadeiro super homem.

      Excluir
  2. melhor filme do ano, sem dúvida. depois de reeve, acharam o novo superman, definitivamente!!!

    ResponderExcluir
  3. ^
    [2]
    E esse Cavill é um espetáculoooo...amo!!

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente maravilhoso! Eu q era fã de outros filmes de super heróis, exceto a do superman pq em todos os outros filmes ele só apanhava e se dava mal, e o achava o fracote, agora viei fây número 1 deste clássico! agora...hum...além de ser com o meu ídolo Henry Cavill q é lindo e ótimo ator...o filme é fantástico!

    ResponderExcluir
  5. Simplesmente Maravilhoso Esse Volume Dele,E ELE!<3

    ResponderExcluir