quinta-feira, 14 de março de 2013

CONSUMO: As dez marcas preferidas pelos homens

O poder das marcas sobre seus consumidores diz muito sobre o perfil que determinado produto tem exercido no mercado. Muitos podem trazer status ou referência de qualidade. Recentemente o site da revista Forbes publicou o resultado de uma pesquisa desenvolvida pela Buyology, empresa especializada em neuromarketing, que apontou quais as marcas de produtos mais desejadas e admiradas pelos homens. Mesmo tendo sido feita no mercado americano, muitas das marcas e produtos são conhecidas dos brasileiros e traçam o perfil do homem atual mostrando algumas tendências desse público. 

Para Gary Singer, executivo-chefe da Buyology e sócio-fundador, “As marcas que aparecem no topo do relatório tem fortes laços com seus consumidores pesquisados, e, portanto, elas têm uma eficácia maior que seus concorrentes”. O estudo analisou também as diferenças de comportamento entre homens e mulheres na escolha de suas marcas. Avaliando a força, e o tipo de relação, consciente e inconsciente, através do neuromarketing, a Buyology descobriu que homens e mulheres escolhem marcas por razões diferentes. “Quando as marcas entendem como os consumidores se sentem eles podem ajustar sua comercialização de acordo com seu comportamento, construindo relações mais fortes com os consumidores”.

Estudos anteriores já haviam utilizado o neuromarketing para sondar as relações dos consumidores com as marcas, porém a Buyology afirma que este é o primeiro analisando de forma consciente e inconsciente o cérebro humano. Segundo os pesquisadores da empresa afirmam, 85% das decisões que tomamos todos os dias ocorrem em um nível inconsciente. "Há um consenso universal de que a maioria das decisões que tomamos, como seres humanos, além de nossas decisões sobre o que comprar, é rica em nosso não-consciente, emoções, instinto, intuição, memórias e experiências pessoais", diz Singer.

A Buyology e uSamp identificaram e avaliaram as relações dos consumidores com marcas usando quatro parâmetros-chave, ou "primers", como eles preferem falar. Estes "neurotypes" de admiração, superioridade, harmonia e exploração, foram comparados para dar um total de 16 combinações possíveis. Todas as 220 marcas estudadas foram também comparadas com um "sinal" para determinar ligação numérica dos consumidores para eles. A pesquisa foi iniciada em fevereiro de 2012, e se baseou em dados de mais de 4.000 consumidores.

"A Neurovisão tornou-se uma das áreas mais quentes, por uma razão", diz Singer. "Nove em cada 10 novos produtos fracassam, o que mostra que a pesquisa do consumidor precisa mudar, e isso agora é possível porque a ciência nos deu as ferramentas para compreender mais profundamente o comportamento do consumidor."

Um bom exemplo observado entre as diferenças entre homens e mulheres, é na hora de escolher sua marca de carro. Podemos observar que para as mulheres a Lexus, por exemplo, passa uma idéia que a marca é “inteligente, talentosa, elegante, inovadora e de engenharia brilhante”. As mulheres sabem o que querem e Lexus oferece claramente isso. Enquanto os homens elegem as montadoras Cadillac e BMW na escala de 2 e 3 pontos. "Os carros se importam com os homens", explica Singer. "As marcas de automóveis de sucesso têm entendido sobre o que eles representam para os homens, a liberdade, o controle, status e poder. O que não é surpreendente é que há duas marcas de automóveis na lista dos homens e mulheres têm apenas uma." 

AS 10 MARCAS MAIS VOTADAS SEGUNDO A PESQUISA:


"Pense nisso desta maneira: Se você tem uma relação muito forte com uma marca de tecnologia, por exemplo, você vai prestar atenção quando introduzem novos produtos. Tudo que eles fazerem, você verá através de uma lente especial. Relacionamentos literalmente mudam os negócios", explica Singer.

Fonte: Forbes, ALFA



Acompanhe a MENSCH também pelo Twitter e nossa FanPage: @RevMensch e baixe gratuitamente pelo iPad na App Store.

Um comentário:

  1. Metade dessas marcas, o brasileiro nao tem acesso. E quanto tem, apesar de serem marcar multinacionais, quase sempre chegam oferecendo menos coisas, comparando com o mercado americano. Os carros comercializados nos E.U.A sao totalmente diferentes dos nacioanais (são melhores, claro).

    ResponderExcluir