terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

FITNESS: O Mr. Fitness Weekend America dá dicas para um corpo definido e saudável‏

Malhar faz bem para a saúde. Ok. Isso você já sabe. Mas, mesmo assim, muitas pessoas não vão à academia. E os motivos para isso vão da falta de tempo à preguiça. Para situações como essa, a solução seria um personal trainer. Mas um personal que ofereça um trabalho diferenciado que vá muito além da boa forma física. Personalizar e especificar o treinamento com tamanho grau de complexidade exige conhecimento e investimento em novas tecnologias e técnicas. Para conhecer um pouco mais do profissional de Educação Física, e pegar algumas dicas, fomos conversar com Rodrigo Sangion, de 33 anos, que recentemente participou do Fitness Weekend America, em Las Vegas. Em seu currículo, Rodrigo tem passagem pelas melhores academias de São Paulo como: Runner, Companhia Atlética e Bio Ritmo, e fundou a BXR Sports Life, uma empresa que visa à qualidade de vida e dá consultoria para montagem de salas de fitness em condomínios, prédios, empresas, eventos esportivos, palestras, etc. A empresa de Sangion está inserida no conceito Welness e busca promover a saúde e o bem estar através de exercícios físicos personalizados e acompanhados de alimentação adequada e flexível.

Você participou, em novembro, do Fitness Weekend America, em Las Vegas (EUA), e ficou entre os vinte melhores do mundo. E agora vai voltar a disputar esse campeonato. O que mudou no seu treinamento? Agora temos um tempo maior de preparação (6 meses). Em Las Vegas, nós tínhamos apenas quatro meses. Estamos focando nesses três primeiros meses um aumento de massa muscular. Para isso, o treino esta focado em cargas altas e menos repetições e também a dieta agora tem mais calorias. Passando esses três meses nós vamos focar na definição muscular, intensificamos o treino aeróbico e a alimentação bem restrita e em pequenas quantidades, várias vezes ao dia.
Na preparação para a sua primeira participação no Fitness, você perdeu quase 15 quilos de gordura e ganhou 6 quilos de músculo. Como foi a sua dieta neste período? Nesse período, eu tinha três dietas diferentes: alto carbo (com um pouco mais de carboidrato), médio carbo (com pouco carboidrato) e baixo carbo (pouquíssimo carboidrato). Já próximo ao campeonato era baixíssimo carbo com sete litros de água ao dia e muitos suplementos para não perder massa muscular, pois os treinos eram mais intensos.

O treinamento que você faz para o campeonato é recomendável para quem não é atleta? O treino sim, mas a dieta não. Isso porque a pessoa tem que respeitar os horários, abrir mão de muitas coisas, pois é muito sacrificante e difícil, uma vez que o treinamento e a dieta mexem muito com o seu emocional. Tem que ter um autocontrole e muita determinação.

Quais serão os benefícios que o Fitness Weekend America trará para a sua carreira? Os benefícios eu já estou colhendo, que é o reconhecimento profissional. Os alunos se espelham em você e percebem que basta ter foco e disciplina. Além disso, as pessoas te respeitam mais porque é um campeonato natural, ou seja, com antidoping. O resultado vem da dieta, do treino e de muita determinação.

Em quanto tempo uma pessoa consegue ter um corpo definido? Em três meses é possível ter um corpo definido desde que siga todas as orientações e não fure a dieta e os treinos. 
Como se deu a escolha pela Educação Física como profissão? Quando terminei o colegial, eu estava matriculado em uma academia. Foi aí que começou a despertar o interesse pelo corpo e resolvi prestar o vestibular.

Para muitos o profissional de Educação Física se resume em instrutor de musculação. Por que as pessoas têm essa visão? Falta uma maior divulgação do papel e das atividades deste profissional? É uma visão muito fechada. O profissional que quer crescer e não ser somente um instrutor de academia tem que fazer para se destacar, ter diferenciais, se especializar, saber se portar e ter um perfil empreendedor. No nosso país, o profissional não é respeitado porque as pessoas levam a atividade física como brincadeira, o que não é verdade. Os profissionais estudam bastante! Existe, sim, divulgação, mas o que falta é iniciativa dos próprios profissionais.

Sua trajetória profissional mostra uma preocupação com o bem estar acima do físico. Por que se voltou para essa área da Educação Física? Me voltei para qualidade de vida, pois a expectativa de vida da população aumentou e não adianta viver mais sem qualidade. Por isso, o meu trabalho é proporcionar as pessoas uma atividade física prazerosa para cada objetivo, seja ele qual for.
 

Apresentação no Fitness Weekend America

Sua empresa, a BXR Sports Life, além de consultorias leva a atividade física até as pessoas. Ainda falta muita consciência de que a atividade física é necessária para uma vida saudável? Hoje temos várias empresas que investem na área de qualidade de vida, porém ainda é uma pequena parcela. Falta uma visão dos empresários em ver que, se investir na saúde do funcionário, ele trabalha mais disposto, com mais saúde, bom humor... O desempenho melhora e diminui o número de falta por motivos de doenças.

Qual a maior resistência das pessoas em praticar atividade física? Falta iniciativa, força de vontade... As pessoas têm preguiça de se exercitar! Nosso corpo precisa de cuidados, assim como um carro que você leva para revisão.
 
--------------------------------------------------------------------------------------
 
Acompanhe a MENSCH também pelo Twitter e nossa FanPage: @RevMensch e baixe gratuitamente pelo iPad na App Store.

Nenhum comentário:

Postar um comentário