sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

ENTREVISTA: Reynaldo Gianecchini, querido por todos e vivendo um momento bem especial de sua vida‏


Se alguém diz que o sentido da vida é estar aqui para aprender a amar, você logo percebe que se trata de alguém espiritualizado e de valores marcantes em relação a vida, ao próximo e a si mesmo. E é exatamente assim que ele é. E, além disso, um homem forte, de convicções firmes, de uma alegria contagiante e uma sensibilidade que deveria ser obrigatória em qualquer ser vivente. Esse é Reynaldo Gianecchini, um homem de 40 anos, um ator de talento, com mais de 12 anos de carreira no palco e na TV. Um homem capaz de se divertir com as coisas mais simples, de não dar importância para o que não tem importância, de ser autocrítico, de entender as diferenças entre homens e mulheres e até achar graça nelas. Da comédia ao drama, De Laços de Família, sua estréia na TV à Guerra dos Sexos, seu mais recente papel;  das passarelas para a TV, Gianechini é um vencedor, um homem de fé e de uma integridade ímpar. Um homem que vale a pena conhecer e se admirar nessas linhas que se seguem.
 

Podemos dizer que pra você a vida (re) começa aos 40? Com certeza afirmo que uma vida nova começa pra mim, agora aos 40. Isso não quer dizer que o que vivi até agora não foi importante. Toda a ansiedade, erros, cabeçadas, tropeços da juventude me fizerem entender muito de quem eu sou e me fortaleceram e ajudaram pra que fizesse escolhas mais conscientes agora. A idade é uma bênção quando a gente cuida da cabeça e do corpo, porque ai sim a gente vai se tornando pessoas melhores e inclusive mais bonitas.
 
Os valores de ter e ser são diferentes hoje aos 40? São bem diferentes. O foco é a qualidade das relações, do trabalho, do que se adquire. E passamos a estar mais no presente, curtindo o aqui e agora nas coisas mais simples, o que é muito difícil pra um jovem nos seus vinte e poucos anos.

Você se diz um cara sensível. Quando essa sensibilidade aflora mais e quando ela fica em segundo plano? Minha sensibilidade aflora quando percebo o ser humano ao meu redor, quando busco me solidarizar, busco a troca. Somos feitos de energia e amor e quando me dou conta disso vejo que viver é muito mais simples do que imaginamos. Por exemplo, sempre digo que se você está deprimido, sugiro fazer alguma ação de caridade. Vai ver como é gratificante a energia doada. Às vezes precisamos tirar o foco do nosso umbigo (como também rir de nós mesmos, não nos levar tão a sério, porque nada é tão definitivo ou importante). Essa sensibilidade tem sido constante. É um exercício diário acessá-la nos momentos de correria, racionalidade e stress.

O que te diverte e te faz ficar bobo? Me divirto com as coisas mais simples: uma conversa leve com os amigos queridos, um filme ou peça engraçada (adoro um besteirol bem feito), um drink pra relaxar de vez em quando (pra gente liberar o crítico feroz que habita dentro de nós).
 


Falando de fé... Você já era ou é mais religioso? Sempre fui muito ligado na minha espiritualidade, busquei entender, evoluir. Mais do que a religião, sempre tentei descobrir como acessar essa força misteriosa e perfeita que existe no universo. Existem muitas maneiras e as religiões são alguns caminhos (quando eles não as desviam, com seus tabus e dogmas equivocados). Depois do que vivi durante meu tratamento de câncer, cheguei à conclusão que minha religião é o amor, a única coisa que te faz vibrar na energia do universo, portanto é transformadora e mágica (e curadora).

Perdemos muito tempo preocupados com o julgamento dos outros, com o que os outros pensarão de nós. Você acha que pensar ao contrário seria uma forma de sermos mais felizes? Com certeza. Agora perto dos 40 comecei a fazer terapia e a grande questão nas sessões pra mim é não ter que ser fofo, agradar a todos, aprender a dizer não, viver a plenitude dos meus desejos e estar confortável na minha própria pele. Nietche fala: “torna-te quem tu és!”
 

Hoje em dia o homem cuida do bebê, cozinha, cuida da casa e usa creme. Isso foi uma conquista masculina ou uma reação em cadeia da evolução do homem na sociedade? Evolução natural da sociedade. A mulher foi mudando na participação social e com isso não tinha como o homem também não mudar. A mulher foi deixando aflorar seu lado masculino, que é por o pão na mesa e partir pra conquista do espaço e o homem deixou aflorar seu lado feminino, passando a ser mais sensível e afetivo. E eu não to falando aqui de sexualidade.

As mulheres hoje em dia assustam os homens? Você acha que o homem está meio perdido nessa "nova" sociedade? Acho que homens e mulheres estão tentando se ajustar diante da nova realidade, das transformações sociais, repensando jeitos de viver, de se relacionar, de lidar com seus desejos. Vejo os casamentos daqui pra frente como uma parceria onde não dá pra ter os ranços caretas do passado e cada relação tem que funcionar de acordo com suas peculiaridades, sem obediência às regras pré-estabelecidas.

O que os homens esperam das mulheres hoje em dia? E o que elas esperam deles? Penso que os homens esperam não só a feminilidade e a maternidade nas mulheres. Eu por exemplo adoro descobrir na mulher a sua força guerreira conquistadora, o forte e o frágil no mesmo ser. Isso vale também para os homens, penso. O grande barato das mulheres também é descobrir no homem, além da força de ser o provedor, sua masculinidade, sua sensibilidade e afeto.

Por que existe a guerra dos sexos? Porque cabeça de homem e de mulher é sempre, e serão, muito diferentes. Eles se excitam de forma diferente, gozam de jeito e tempos diferentes, etc. As mulheres têm TPM, meu Deus!!!!!! Não dá pra por tudo na mesma panela. (risos)
 
 
+ 10 Perguntas inéditas na edição impressa
(pedidos pelo e-mail: revistamensch@gmail.com)
 


Assista o vídeo:

 

Coordenação de Produção Márcia Dornelles - www.mdproducoes.com
Direção criativa - Marco Antonio Ferraz
Styling - Paulo Zelenka
Produção de moda - Aline Zelenka
Beauty - Everson Rocha com produtos Lancome e Kieh`ls
Tratamento de imagem - Victor Mauro
Agradecimento - Mac Produções: Julia e Katia Matos

Look 1 Casaco Redley, camisa Foxton, calça Armadillo, gravata Swans
Look 2 Tricot Emporio Armani, Sunga Blueman
Look 3 Calça e smolking Emporio Armani, camisa Wolner
Look 4 Blaser Alberto Gentleman, camisa e calça Dudalina, sapato Swans

 
Acompanhe a MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb

Um comentário:

  1. Um ser humano forte com a sensibilidade aflorada pra vida! Um grande HOMEM! Parabéns!

    ResponderExcluir