terça-feira, 25 de setembro de 2012

ESPORTE: A elegante prática do hipismo‏

Seja na caça, na guerra, nas viagens, homem e cavalo sempre tiveram uma relação próxima. Tudo começou nas antigas civilizações quando o homem utilizava o cavalo como transporte passando a adestrá-lo, entretanto, só por volta dos anos 20 que o esporte deu um salto, principalmente com a Federação Equestre Internacional. O hipismo é um esporte conhecido pela elegância e surgiu com os nobres Europeus, principalmente os Ingleses, que praticavam caça a pequenos animais, como a raposa, onde os cavalos precisavam saltar os obstáculos que encontravam pela floresta.

No Brasil, o Hipismo tem origem na cidade de Recife, Pernambuco e foi trazido pelo príncipe holandês Maurício de Nassau no ano de 1641. Vale salientar que o hipismo também fez parte da primeira Olimpíada da Era Moderna, em Atenas, em 1986, apena como demonstração. Depois de um tempo, com a oficialização do esporte, surgiu a divisão em três modalidades; concurso completo de equitação, salto e adestramento.


PRIMEIROS SALTOS
 
O ideal é começar cedo, a partir dos dois anos a criança já pode fazer equitação e saltar a partir dos 7, mas isso não impede que você possa começar aos 20, 30, 40, 50... Não há limites de idade ou qualquer outro tipo de restrição para a prática deste esporte.

O CAVALO A raça de cavalos mais usado no esporte é o Inglês, que além de velocista, é usado como saltador de obstáculos e também para passeio; é também uma das raças mais famosas e valiosas do mundo. A sua excepcional mecânica de salto permite um excelente resultado no hipismo. O cruzamento de garanhões ingleses com éguas das antigas linhagens de sela ou trotadoras Anglo-normandas, resulta na raça Sela francesa, do famoso cavalo tricampeão brasileiro Baloubet du Rouet, montado por Rodrigo Pessoa. Vale dizer também, que há estudos avançados para clonagem do Baloubet du Rouet e outros cavalos campeões, o que custará em média US$ 200.000,00.
 
Os especialistas ensinam que ao escolher um cavalo deve-se ter em mente que para um cavaleiro novo o ideal é um cavalo velho e para um cavaleiro velho, um cavalo novo. Isso implica em segurança para quem estar começando, já que o cavalo velho é mais experiente no trato com cavaleiros, já está mais acostumado a ser montado.
 
 
Uma vez que você já escolheu o seu cavalo chega a hora de escolher a hípica ou o haras onde ele irá viver. Repare bem nas instalações e infra-estrutura do lugar, conheça o veterinário que trata dos animais, como é a prática de exercícios e os cuidados no dia-a-dia. O cavalo é um animal que não deve ficar parado por muito tempo sob o risco de sofrer atrofia, tanto é que ele até dorme “em pé”, ficando deitado por cerca de no máximo uma hora, por isso é imprescindível a escolha de um bom lugar para ele ser cuidado e treinado.
 
DRESS CODE
 
Para a prática de hipismo existe como em outros esportes uma indumentária própria que deve ser adquirira pelo praticante. Você vai precisar de um cap que é capacete apropriado para equitação, um Culote, a calça para montaria e um par de botas apropriadas para pratica. Nas competições costuma-se usar uma gravata de crochê e uma casaca (espécie de blazer) vermelha ou preta.
 
 
MONTAR PARA COMPETIR
 
Caso você opta pela competição além da prática em si do hipismo, é importante sabe que dedicação é fundamental. Segundo Carlos Avelar, cavaleiro e dono de uma hípica em Pernambuco, “Hipismo é uma opção de vida, a dedicação deve ser obrigação, pois os cavalos devem e precisam ser trabalhados 6 dias por semana tendo apenas um dia de descanso para poderem ser atletas e prontos a qualquer esforço.” 
As dificuldades vão variar de acordo com as categorias de salto que se pretende competir, quanto mais alto, mais necessidade de treino, mais investimento de tempo e dedicação. A prática do hipismo também requer um bom aporte financeiro, a começar pela compra do cavalo que fica em uma média de R$ 50.000,00 a depender da idade e condições do animal, que geralmente é da raça BH, raça brasileira desenvolvida especialmente para hipismo; dos custos com a hípica para treinos e cuidados com o cavalo.
 
Mas para quem ainda não está certo sobre levar a prática e a competição à sério, pode-se fazer aulas sem necessariamente precisar ser proprietário de um cavalo, pois as hípicas têm animais especialmente para este fim. Dessa maneira os custos caem vertiginosamente para mensalidades de R$ 180,00, por exemplo, para aulas e treinos.
 
 
AS COMPETIÇÕES
 
O hipismo consiste basicamente na arte de montar e comandar o cavalo, o que exige muita técnica, ao passo que o atleta e o animal formam um conjunto. Isto é tão levado à sério, que o hipismo é um dos únicos esportes onde homem e mulher competem juntos, na mesma prova. O concurso completo de equitação é uma categoria que envolve adestramento, prova de fundo (subdividida em quatro etapas) e salto, chegando a durar três dias. No adestramento, existe um julgamento que avalia as performances, movimentos obrigatórios e a coreografia. Por fim, a categoria mais popular é a de saltos onde sobe ao pódio quem somar o maior numero de pontos, derrubando o menor número de obstáculos e chegando ao fim do percurso no menor tempo possível.
 
Os campeonatos são um espetáculo à parte e movimentam e muito o mercado. Recentemente, a etapa final do campeonato mundial de hipismo ocorreu na cidade do Rio de Janeiro ano passado, no evento Athina Onassis International Horse Show. O porte deste acontecimento foi cavalar e contou com um investimento superior a quinze milhões de reais, com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e patrocínio de empresas como Bradesco Private, CN e CN Worldwide, Copacabana Palace, Daslu, Gerdau, Rolex e Pamcary.
 
OI ATHINA ONASSIS HORSE SHOW 2012

Entre os dias 04 e 06 de outubro, a Sociedade Hípica Brasileira, no Rio de Janeiro, transforma-se no centro do hipismo mundial com a realização do Oi Athina Onassis Horse Show, a plataforma de entretenimento através do esporte que une hipismo, moda, música e gastronomia. Consolidado como um dos principais eventos hípicos do mundo, graças ao seu excelente nível técnico e de organização, o Athina Onassis Horse Show vai trazer novamente ao Brasil as grandes estrelas deste esporte, que vão saltar atrás de uma das maiores premiações do ano, em uma competição de alto nível internacional e totalmente alinhada às regras da Federação Equestre Internacional (FEI), a entidade máxima do hipismo mundial.


Seu alto nível também é um grande incentivo ao esporte nacional, uma vez que permite ver de perto o que há de melhor do hipismo, competindo com destaques nacionais. O Brasil, que também brilha no cenário mundial, contará com nomes como os cavaleiros Álvaro de Miranda Neto, o Doda, idealizador do Oi Athina Onassis Horse Show, Rodrigo Pessoa, campeão olímpico, e tantos outros que representam com orgulho o esporte em competições por todo o mundo. Já consolidado como um dos mais destacados torneios do calendário internacional, o Oi Athina Onassis Horse Show 2012 tem tudo para repetir o sucesso dos últimos anos. Dentro da pista com a participação dos melhores conjuntos de salto e fora dela com um evento charmoso, sofisticado e com o suporte de grandes patrocinadores. Mais informações: www.oiaohs.com.br

CIRCUITO NORTE E NORDESTE DE HIPISMO
 
Desde o mês de março que foi dada a largada ao Circuito Norte e Nordeste de Hipismo, que engloba vários estados e é fruto de uma evolução do esporte no território nacional iniciado nos anos 90. Centenas de cavaleiros participavam das etapas que aos poucos foram se tornando tradicionais em cada estado.
Para ordenar, estimular a realização e participação de todos os estados que tivessem interesse em realizar provas, um grupo de colaboradores resolveu organizar um calendário anual com todos os estados interessados.
 
[ treino no Centro Hípico Zona Sul - PE ]
 
Como na sua maioria esses colaboradores eram profissionais ou pessoas muito influentes em suas regiões o movimento tomou forma rapidamente. Para facilitar a organização foram definidas categorias, que mesclavam categorias oficiais e categorias que se adequavam a realidade do norte e nordeste. Utilizando regulamentação oficial e de outros rankings pelo Brasil, foi criado o primeiro regulamento do Circuito Norte e Nordeste. É importante citar o grande parceiro do circuito ao longo de todos os anos o GRUPO GERDAU, sempre patrocinando e ajudando no fomento do esporte. Ao longo dos seus 15 anos o circuito ajudou a formar excelentes cavaleiros e amazonas, vencedores de Ranking Nacional da CBH, além de cavaleiros campeões brasileiros nas suas diversas categorias e destaque no cenário nacional e internacional. A etapa final será entre os dias 13 a 16 de dezembro em Pernambuco. Mais informações: www.hipismonortenordeste.com.br

GRANDES CAVALEIROS
 

Os nomes que são referências no hipismo brasileiro são: Rodrigo Pessoa, Bernardo Alves, Cesar Almeida, Vitor Alves Teixeira, Pedro Veniss, Álvaro de Miranda, o Doda. Rodrigo Pessoa é tri-campeão e nos recentes Jogos Pan-americanos em Guadalajara, no México, uma nova estrela brasileira começa a brilhar no esporte, o medalha de prata Bernardo Alves.
 
 
Acompanhe a MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb

Nenhum comentário:

Postar um comentário