quarta-feira, 20 de junho de 2012

BEBIDA: Tudo sobre conhaque, a bebida quente para aquecer seu inverno‏

Pelo calendário, oficialmente o inverno começa hoje. E já que estamos na estação mais fria do ano que tal provarmos um bom conhaque, que é "a cara" dessa estação, porque aquece e ilumina ao mesmo tempo. Não é à toa que o espanhol chama este néctar de "el sol embotellado". O conhaque, que é também um brandy, assim como outras bebidas destiladas que já conhecemos, é o produto decorrente da destilação de vinho, geralmente contendo cerca de 40–60% graus Gay-Lussac por volume. O nome em português é derivado da palavra francesa cognac, um tipo de conhaque com indicação de procedência da região homônima da França.

UM POUCO DE HISTÓRIA

Foi na França, por volta do século XII que surgiu o conhaque. Ali se produzia um vinho inferior, branco e de graduação alcoólica muito baixa, apreciado na Grã-Bretanha e nos países escandinavos. Porém, os produtores do vinho tinham dois inconvenientes na produção: ele era muito delicado, se deteriorava rapidamente e também as taxas pesadas que o governo francês aplicava sobre as bebidas exportadas. Como solução para os problemas, alguns vinicultores decidiram destilar uma parte do vinho. O álcool obtido, de alta graduação, muito concentrado, seria  exportado e  o consumidor acrescentaria  água, obtendo um novo vinho.



O concentrado também seria utilizado no aumento de graduação alcoólica do vinho  branco comum.  Porém,  uma parte desse álcool, não foi exportada, nem incorporada ao vinho. Simplesmente, ficou envelhecendo em barris de carvalho. E com o passar do tempo, essa bebida adquiriu uma cor caramelo e perdeu muito de  seu  ardor.  Nasceu, assim,  o  conhaque,  cujas  melhores marcas são produzidas, justamente, em Cognac, uma das  cidades de Charente. Grandes casas produtoras são Remy Martin, Martell, Henessy e Courvoisier.

ALÉM DA UVA...

Além do vinho, esta bebida destilada pode ser feita com suco de fruta fermentado (no caso da uva normalmente são utilizadas apenas espécies viníferas). E costuma ser degustado após as refeições. Assim como outro Brandy, a história do conhaque começa nos vinhedos. Trata-se, fundamentalmente, de videiras da variedade Ugni Blanc instaladas sobre o terreno de calcário na região de Charente que, segundo os experts no assunto, dão à fruta (a uva) muito das particulares que serão exaltadas em seu produto final.

Uma vez colhida a fruta, parte-se para o processo de vinificação, em que é extraído um vinho ácido e de baixo teor alcoólico. No entanto, os charentinos descobriram que destilando duas vezes esse produto (ou seja, levando o vinho a ebulição e recuperando a parte da bebida com maior proporção de álcool) seria possível conseguir uma aguardente deliciosa. Uma vez obtido o "eau de vin", o produto fica em repouso em barris de carvalho por anos e anos. Nesse período, vai adquirindo essa cor âmbar, tal qual nós identificamos com o conhaque expostos nas lojas. E também é nessa fase que recebe o gosto peculiar concedido pela madeira.



Depois desse período de hibernação, o chefe da casa de conhaque dispõe da matéria-prima necessária para elaborar seus cortes (mesclas), para o que irá se transformar em aguardentes de diferentes idades. Em geral, trata-se de privilegiar a consistência de cada marca (ou seja, que as características de cada rótulo sejam mantidas através do tempo).


Dado que o conhaque não continua sua evolução na garrafa, as referências com relação à idade correspondem ao tempo que passou no barril a fração mais jovem do corte. Portanto, se foi usado 5% de aguardente de quatro anos de madeira, por mais que o resto tenha um século de barril, isso não é levado em conta na hora de rotular. As casas mais reputadas utilizam aguardentes mais antigas, inclusive as gamas intermediárias. Para não mencionar os casos verdadeiramente excepcionais nos quais são utilizadas aguardentes de um século de hibernação, mas já estamos falando do segmento mais caro de conhaque.

As distinções de idades mais freqüentes são as seguintes:


** VS (Very Special), Trois Étoiles (Três Estrelas) ou Compte 2: "el eau de vie" mais jovem, tem dois ou mais anos no barril.


** VSOP (Very Special Old Pale), Reserva ou Compte 4: mínimo de quatro anos de madeira.


** X.O, Napoléon, Hors d¿Age, Compte 6: mínimo de seis anos.



Muitos países souberam desenvolver bebidas de qualidade. Sem ir muito longe, a Espanha produz Brandies que podem jogar nas ligas mais competitivas. Entretanto, ninguém como os franceses souberam codificar, tabular e traçar sua geografia em função da qualidade de sua produção.

UMA BEBIDA DE MUITO ESTILO

Não pode deixar de notar o caráter nobre, quase aristocrático, do conhaque que tem uma imagem associada ao bom viver e a sofisticação do gosto. Houve um tempo em que os comerciantes de conhaque exploraram esta imagem de sofisticação usando a imagem de que o bebedor da bebida era um homem bonito, mas mal intencionado, sentado ao lado de um cachorro enorme com um copão de conhaque na mão.


Por outro lado, alguns comerciantes compreenderam que, se essa superstição de certa forma abre as portas para aumentar o valor de seus bens, mas não ajudava na hora de levar o produto para o grande público consumidor. E isso está mudando aos poucos. Hoje, os principais consumidores de conhaques finos estão nos países do Oriente, onde passam de mão em mão por cifras astronômicas. Por outro lado, há uma tentativa de agregar o charme do conhaque ao Ocidente, onde muitas vezes o consumo de Single Malts e outros destilados de alta gama começam a repercutir no segmento de bebidas alcoólicas de alto preço.



COMO BEBER CONHAQUE

O conhaque é uma bebida para se tomar no frio por conta do teor alcoólico e concentração de odores que só são bem degustados com baixa temperatura ambiente. A forma ideal de servir o conhaque é em cálices bojudos, para facilitar o contato com a palma das mãos e permitir um leve aquecimento, propiciando o desprendimento dos aromas da bebida. Tradicionalmente, o copo de conhaque é aquecido com uma vela, fazendo com que a concentração da bebida aumente e você sinta o calor que o conhaque te proporciona. Agitando a taça, o aroma se destaca ainda mais. E quanto mais tiver sido envelhecido em madeira, mais atraente é o seu perfume.

OUTRAS BEBIDAS COM CONHAQUE - Se você acha muito forte o sabor do conhaque, pode se degustar a bebida de outras formas, como drinks, bebidas doces e até como remédio.


O choconhaque é uma boa pedida pra um encontro romântico, no friozinho, debaixo das cobertas. Fácil de fazer, derreta, em banho-maria, uma barra de chocolate e misture uma caixinha de creme de leite, coloque conhaque e sirva.

Uma receita antiga que ajuda a aliviar os sintomas e evitar uma possível gripe é misturar conhaque ao suco de laranja e beber.



Fonte: VinhoNet, Jorge Tadeu, Bebida Liberada, UOL, IsotÉ Dinheiro


Acompanhe a MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb

5 comentários:

  1. Sou Garçon e gostei muito de entender sobre "Cognac".

    ResponderExcluir
  2. Cara pra quem é acostumado a tomar, Seresteiro, Presidente, Domus, Dreher, que são verdadeiros venenos, é dificil imaginar o gosto de um conhaque do porte desses ai de cima...

    ResponderExcluir