sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

ENTREVISTA: Jesus Luz, de modelo à ex-namorado de Madonna e atual DJ de sucesso‏

A capa desta semana é um garoto de 24 anos que já fez e aconteceu; bem, pelo que percebemos em nossa entrevista continuará a crescer e a colher muitos frutos. O Jesus Luz é carioca da gema filho de uma cabeleireira e de um funcionário publico do Rio de Janeiro. Em 2007 começou sua carreira como modelo desfilando no Fashion Rio, em seguida foi selecionado pelo fotógrafo Steven Klein para estampar o editorial da revista W, ao lado da cantora Madonna. O que ele não esperava, era que ia sair de uma seção de fotos rindo à toa ao lado da rainha do POP e com os pés nas principais passarelas do mundo. A partir daí, enquanto os tablóides se preocupavam em descobri sobre sua vida pessoal, Jesus despontou como modelo, inclusive desfilando ao lado de nomes como Gisele Bundchen e sendo o rosto de marcas como Dolce e Gabanna e Givenchy. Ele continua trabalhando no meio da moda, mas parece que foi mordido pelo bicinho da indústria da música, talvez por ter tido uma excelente professora, concordam?

Num estilo de música eletrônica comercial, Jesus Luz vem mostrando seu som lotando vários clubs e fechando grandes parcerias musicais. Quanto àquela conversinha de que ele só está na mídia porque teve um relacionamento com a Madona, o mesmo afirmou: “Hoje tenho uma carreira consolidada e seria besteira me incomodar com rótulos”. É claro que isto lhe rendeu uma repercussão há algum tempo, mas porque não tirar proveito disto tudo? Não se tem dúvida que esta é a hora dele mostrar que realmente tem talento. Enfim, que tal saber um pouco mais da história deste artista nas próximas linhas?
Como foi pra você passar de modelo para namorado de Madonna e de namorado de Madonna para um DJ requisitado em toda a parte? Foi tudo muito rápido? Como foi tudo isso? Foi tudo acontecendo na minha vida. Quando eu vi, já estava em Nova York estudando e depois me tornei DJ profissional. Tudo fluiu muito bem e até hoje continua muito intenso. Não consigo descrever isso.

Em algum momento te incomodou ser reconhecido como namorado de Madonna e depois como "EX"? Não, sempre tive orgulho do meu vínculo com ela e sou muito grato por tudo. Hoje tenho uma carreira consolidada e seria besteira me incomodar com rótulos.
 
O que Madonna te ensinou que você guardará pro resto da vida? A acreditar em mim mesmo.

Você mixou uma música de Madonna que chegou a ser incluída no último CD de coletâneas dela. A música dela de alguma forma te influenciou a ser DJ ou no estilo de música que você toca? Na verdade, eu não mixei. Fiz uma participação como DJ no clipe de Celebration. Ela sempre foi uma grande influência, para mim, como mulher e como artista.
Qual a diferença da música eletrônica que toca no Brasil com a música que toda no exterior? Existe muita diferença hoje em dia? Sim, sempre existiu. O Brasil está cada vez mais trazendo essas raízes de fora, e essa diferença, um dia, vai acabar. Todos vão entender a música eletrônica, assim como muitos deles entendem o nosso samba.

Que estilo musical você prefere tocar? Você usa mais seu gosto ou o que o público vai curtir? O meu som é comercial e faço a galera dançar muito, mas procuro sempre trazer a cultura eletrônica para o Brasil. Um dos pontos altos das minhas apresentações é a abertura, onde coloco uma batucada e misturo com algum hit. Faz muito sucesso na Europa.

Você teve algum contato com produtores internacionais? Se sim, o que
deu para aprender com eles?
Uma das minhas maiores influências é o produtor Paul Oakenfold. Digo que ele é o meu padrinho na profissão de DJ, mas não posso me esquecer do produtor e DJ suíço Yves Larock. Fizemos uma parceria na gravação do clipe da música "Running Man", que foi filmado no Rio de Janeiro e acaba de ser lançado. Vale à pena conferir! (veja no fim da matéria)


Em qual lugar do mundo se escuta a melhor música eletrônica? Não sei dizer exatamente, mas na Europa eu vi os melhores DJs.

O que você acha de DJ´s que usam música pop nas apresentações, assim como David Gueta? Acho essencial. A música pop é animada, feliz e funciona na maioria dos lugares.

E a carreira de modelo, como vai? O que ela te traz de aprendizado?
A carreira vai bem. Próximo trabalho é com a Frittz, uma marca brasileira. Sempre aprendi muito a lidar com as câmeras através do meu trabalho como modelo.

Qual sua maior vaidade e qual seu maior pecado? Minha vaidade é sempre me manter sarado e um dos meus maiores pecados é o chocolate!

Se pudesse recomeçar tudo, faria tudo do mesmo jeito ou mudaria algo na sua vida? O que espera do futuro? Faria tudo do mesmo jeito, só que aproveitando mais ainda a vida. Espero ter sucesso nessa minha jornada e que eu possa representar sempre o Brasil lá fora!



Acompanhe a MENSCH também pelo Twitter: @RevMensch e baixe gratuitamente pelo iPad na App Store.

2 comentários: