quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

BEBIDA: Espumantes nacionais, as 10 melhores marcas e preços‏

Como bem sabemos, Champanhe e outros espumantes são os convidados indispensáveis das festas de fim de ano, em especial no Réveillon. O espumante é um tipo de vinho cujas características e métodos de produção foram importados da França. Dos espumantes naturais faz parte a mais famosa de todas as bebidas, o champanhe, produzido na região francesa de Champagne, que acabou por virar uma denominação popular, porém equivocada, dos vinhos espumantes em geral. O verdadeiro champanhe ou champanha é um vinho branco espumante produzido no nordeste da França, na região de Champagne, por meio da fermentação da uva através do método champenoise, tendo início com os monges Dom Pérignon e Dom Ruinart.

O seu processo de fabricação é demorado e caro, sendo praticamente o mesmo de séculos anteriores. A principal alteração no processo de produção foi introduzida por Nicole Ponsardin, a viúva de Felippe Clicquot (Veuve Clicquot), que desenvolveu um método para retirar todo o fermento da garrafa. Aqui no Brasil, todos os vinhos que têm espuma terminaram sendo chamados de espumante, que por conta do seu baixo custo e excelente qualidade, estão competindo no mercado internacional. Entre os melhores estão o Chandon, Aurora e Casa Valduga. O espumante brasileiro possui uma excelente aceitação, então caso não possa escolher pelo Francês, opte pelos brasileiros, pois quanto à qualidade, alguns afirmam que são melhores que os espanhóis e chilenos.

Muitas pessoas ainda têm receio em experimentar o espumante brasileiro e, muitas vezes, valorizam mais aquelas marcas estrangeiras consagradas. Recente pesquisa do Ibravin, Instituto Brasileiro do Vinho, mostrou que isso é um erro e que o Brasil possui espumantes deliciosos. Tanto que hoje em dia está se consumindo muito mais espumantes que em outros anos. Antigamente, 70% das garrafas eram vendidas no último trimestre. Hoje essa proporção caiu para 40%. Ou seja, estamos bebendo espumantes de forma mais contínua, com goles bem distribuídos ao longo do ano e das refeições - as borbulhas não aparecem só na hora do brinde.
E em recentes pesquisas feitas pela Folha provou que espumante bom não está relacionado com preços caros. Os jurados fizeram uma degustação dos espumantes vendados, sem saber qual era o espumante que estava sendo ingerido. Com isso, a avaliação centrou-se realmente no sabor. A banca dos jurados foi composta por enófilos, sommeliers, jornalistas, críticos de vinhos, especialistas da gastronomia. Foi coordenado pelo presidente da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) – Gustavo Andrade de Paulo. Uma equipe de peso que sabe muito sobre o universo dos vinhos e das bebidas.

A excelente qualidade, aliada ao incomparável custo-benefício, tem colocado os espumantes brasileiros (a maioria produzida na Serra) em alta, com rótulos comparáveis aos famosos champagnes franceses. Para se ter uma idéia, nessa pesquisa da Folha o primeiro lugar ficou com o espumante Dom Candido que custa em média R$ 30,00. Já o Chandon, que ficou em segundo lugar, custa aproximadamente R$ 75,00 e o espumante Aurora, terceiro lugar na lista, custa em média R$ 27,00.

 
Por isso, na hora de escolher a bebida da Virada, vale levar em consideração a combinação de cada bebida com a ocasião, o teor alcoólico, além do custo-benefício de cada uma das opções. Basta escolher a que melhor combina com a sua festa, colocar para gelar - não esqueça que a temperatura correta para preservar todas as qualidades do espumante é de 5ºC a 20ºC, e abrir à meia-noite. Bom para degustar e para o bolso! Dê uma olhada na lista dos melhores espumantes brasileiros.
Fonte: Folha, EspumantesWeb, GrandCru, UOL

Acompanhe a MENSCH também pelo Twitter: @RevMensch e baixe gratuitamente pelo iPad na App Store.

Nenhum comentário:

Postar um comentário