quinta-feira, 27 de outubro de 2011

ENTREVISTA: Flávio Siqueira, com versatilidade e o talento conquista cada vez mais sucesso

A versatilidade e o talento é o que não podemos deixar de citar quando falamos do ator Flávio Siqueira. Atualmente fazendo sucesso na novela “Vidas em Jogo”, da Record, Flávio já tem uma longa carreira de sucesso passando pelo teatro e outras emissoras, como a Rede Globo. Seu personagem atual, o Fabinho, cativou o público e a crítica e hoje Flávio colhe os frutos desse sucesso. Tanto que recentemente ele foi premiado no Canadá pela sua atuação na minissérie “Caçadores de Nazista”, pela produtora de cinema Terra Vermelha. Além de virar garoto-propaganda da Via Cabo e ter sido convidado para participar da campanha de câncer de mama. E como o próprio Flavio cita nessa entrevista, que ainda venham muitas realizações de sonhos recheados de muito talento. Conheça um pouco mais desse grande ator.

Flávio, como foi essa trajetória de Miracema para o Rio de Janeiro e hoje está se destacando na TV? O que foi mais difícil nisso tudo? A maior dificuldade foi controlar minha ansiedade. Desde pequeno eu sabia o que queria da vida, e ela nunca me contrariou. Estou sempre realizando sonhos, graças a Deus. Parece incrível, mas a vida sempre conspirou para que eu tivesse finais felizes. Dificuldade não tive nenhuma, minha intuição sempre foi mais forte. Portanto, driblar a ansiedade sempre foi a parte mais difícil.

A que você aponta como razão do sucesso do personagem Fabinho da novela "Vidas em Jogo" da Record? Vários pontos. Primeiro, a leveza do texto, bem colocado. Quando o personagem entra é só para fazer o bem, tem como proposta brincar. Segundo, minha verdade no personagem, estou sempre buscando o melhor, sem querer fazer graça pela graça. E por último, tive a sorte de cair em um núcleo de atores talentosos com personagens divertidos.


Você já trabalhou em programas humorísticos como "Sob Nova Direção", fazer humor é mais gostoso? É esse seu caminho? As pessoas falam que eu sou engraçado por natureza. Eu não sei bem se esse é o meu caminho, mas gosto muito, e se continuar assim acabo acreditando.

Onde você se sente mais à vontade, nos palcos, ou nos estúdios de TV? Estudei teatro, além de ter sido onde comecei. Fiz várias peças infantis antes de fazer para adultos, tenho mais intimidade com o palco. A televisão ainda é uma coisa nova e estou trabalhando para, cada vez mais, me sentir à vontade com ela.

Para esse personagem Fabinho, que é um consultor de estilo, você fez algum laboratório? Inspirou-se em alguém? A moda sempre andou do meu lado, foi minha primeira opção de trabalho. É um assunto que eu domino há algum tempo.


Você pediria alguma dica a Fabinho? O que faz seu estilo? No particular não pediria porque sou autodidata em relação a moda. Uso o que eu acho que me cai bem e priorizo o que gosto. Mas adoraria ter um amigo como Fabinho, ia me divertir muito.

Diante desse sucesso, você sente que chegou lá? O que mudou em sua vida com esse destaque todo na mídia que a TV proporciona? Eu ando sempre caminhando, nunca páreo. Vim do interior e sempre fui muito conhecido por lá. Estar na TV aumenta o assedio, mas faz parte e temos que aprender a lidar com isso também.

No dia a dia você também é bem humorado? E qual motivo te tira do sério? Tive uma mãe com diabetes, perdeu a visão, perdeu a perna, mas nunca perdeu o humor. Foi ela quem me ensinou que a vida só bem humorada.

Quais seus planos daqui pra frente, depois da novela? Teatro e mais teatro, TV e mais TV. 



Coordenação de Produção e Assessoria Márcia Dornelles - MD Produções
www.mdproducoes.com
Fotos: Alan Chaves
Locações: Casa Cor Rio e Academia Max Forma
Agradecimentos: Ana Angélica Linhares e Eduardo Ives - Max Forma

Um comentário:

  1. Parabens, Flavinho! Continuo torcendo por voce como conterranea, Amiga e Prima.

    Bela entrevista e soube tirar muita coisa boa da sua saudosa Mãe. Continue em frente assim como e e sempre foi: Esta na medida certa !!!!! Chiquerrerrrrrrrimoooooooooooooooooooooooo!

    Beijos e saudades,
    Rachel Bruno Siqueira

    ResponderExcluir