segunda-feira, 22 de agosto de 2011

BEBIDA: As cervejas caseiras ganham cada vez mais mercado e cervejeiros.



Se a cerveja é uma das bebidas mais consumidas de forma democrática aqui e no mundo, a chegada das badaladas cervejas especiais ou caseiras elevam ainda mais um mercado que só tem crescido. Para os paladares mais exigentes até bem pouco tempo atrás só era possível apreciar uma boa cerveja caseira desembolsando alguns reais, ou dólares. Porém o panorama atual tem mudado e nos mostra que no Brasil já se produzem cervejas artesanais de primeira qualidade e de quase todos os tipos.
As micro-cervejarias brasileiras tem crescido nos últimos anos e para atenderem aos mais exigentes paladares cervejeiros tem investido pesado nesse ramo de bebida. Isso resultou num crescimento que já bate a casa dos 15% ao ano. Com um cenário econômico nacional favorável, empresas como a Amazon Beer (de Belém/PA) investiu 12 milhões em sua nova planta industrial com capacidade para produzir 70 mil litros por dia.

Outro exemplo em destaque nesse ramo é o caso da Bamberg (de Votorantim/SP) que investe anualmente 1 milhão e produz nove tipos de cervejas especiais. Do outro lado temos micro-cervejarias, ou cervejarias caseiras, que utilizam pequenos equipamentos, e outras de médio porte que já possuem equipamentos modernos e engarrafamento próprio. Afinal com fogão industrial ou fogareiro, três panelas (pelo menos duas com torneira) e dois queimadores já é o suficiente para se fabricar uma cerveja artesanal. Em comum a forma como são feitas, com os ingredientes básicos de uma cerveja e utilizando conservantes naturais.

CASEIRA LEVADA À SÉRIO
Mais do que cair no gosto do povo, as cervejas caseiras estabeleceram um novo hábito e estilo de se beber. E isso claro, não quer dizer que por ser artesanal a cerveja pode ser feita de qualquer maneira, ela precisa ser regularizada pelo governo, vistoriada e seguir condições básicas de higiene e conservação. Em muitas regiões do Brasil já existem associações que abrigam micro-cervejarias bem conceituadas e algumas até premiadas. No Brasil uma recente pesquisa registrou cerca de 700 sócios de carteirinha, onde 130 deles na associação estadual Acerva Paulista. “Para cada sócio deve haver outros cinco cervejeiros artesanais produzindo”, diz David Figueira, Presidente da Acerva Paulista.

Muitas dessas histórias de sucesso começaram movidas pela paixão à cerveja e se transformaram num lucrativo negócio. Atrelado a tudo isso a aceitação do público pela cerveja especial que está numa crescente visível chegando a ganhar espaço entre marcas conhecidas, como Heineken e Brahma.

FEIRA NACIONAL DA CERVEJA CASEIRA

Diante desse panorama positivo, onde se tem investimento industrial e aceitação do público, é que aconteceu a primeira feira nacional da cerveja caseira. No dia 20 desse mês, em São Paulo, o Beer Experience reuniu 120 marcas de cervejas artesanais – nacionais e importadas – e 29 expositores num festival de cervejas gourmet voltado para o público consumidor havidos por novidades nessa área.  A feira que aconteceu no Centro de Convenções Frei Caneca, reuniu cerca 5.000 pessoas durante o evento e pelo jeito foi um sucesso a ser repetido próximo ano.


A CERVEJA CASEIRA NOS EUA

A preferência pela cerveja especial ou caseira é um sucesso em todo o mundo. Nos EUA a febre é tamanha que até a família Obama serviu cerveja caseira na final de um campeonato de futebol americano. Lá nos EUA uma cervejaria artesanal americana geralmente tem características bem peculiares: é pequena, independente e tradicional. Pequena, pois sua produção anual é de 6 milhões de barris de cerveja, ou menos. Independente por que menos de 25% da cervejaria artesanal é de propriedade ou controlada (ou interesse econômico equivalente) por um membro da indústria de bebida alcoólica que não é um fabricante de cerveja artesanal. E tradicional, pois pelo menos 50% de seu volume de todas as cervejas utilizam o puro malte para melhorar a qualidade ao invés de aliviar seu sabor.

Assim como aqui no Brasil, lá nos EUA é um bom momento para ser um amante da cerveja, por ter à disposição mais estilos e marcas de cerveja para escolher do que qualquer outro mercado no mundo. Isto não foi sempre assim caso você olhe para a história da cerveja nos EUA antes de 1980.
Nos EUA mais de 1.700 cervejarias são responsáveis pelas marcas de cervejas fabricadas no país, com mais de 90% desse montante de cervejarias do pequeno porte e independentes. Essas cervejarias artesanais atravessaram períodos de muito sucesso e desafios, mas não poderiam ter desenvolvido uma reputação de melhores produtores de cerveja do mundo sem o apoio dos amantes da cerveja. Em 2008 os cervejeiros artesanais dos EUA representaram um mero crescimento de 6,3% das vendas de cerveja em geral nos EUA. Isso pode parecer uma pequena fatia de mercado, mas considerando-se que milhões de consumidores são leais as suas cervejarias tradicionais.

MERCADO COMPETITIVO

Porém é importante ressaltar que os cervejeiros artesanais enfrentam muitos desafios incluindo o acesso ao mercado. Os desafios não são poucos, custos com a matéria-prima e ingredientes, a operação em um setor altamente regulamentado e altamente tributado e muito mais. Lembre-se, quando você apóia o seu cervejeiro local, você está apoiando a comunidade e a cultura da cerveja artesanal, ajudando cervejeiros no ofício de proporcionar empregos e apoio para as comunidades locais.

Se pararmos para pensar, o mais emocionante de tudo é que cervejeiros artesanais hoje são muitas vezes vistos como personalidades locais que praticam sua arte com intenções autênticas, e suas cervejas são a expressão de sua paixão individual em fazer a melhor cerveja do mundo. Uma paixão que vai além do prazer individual. Afinal uma das melhores coisas de se degustar uma boa cerveja gelada é fazer isso ao lado dos amigos não é?! Saúde!

[ clique na imagem para aumentar]
Siga a MENSCH no Twitter: @RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb

7 comentários:

  1. André, meu caro, excelente reportagem. Eu, que sou fã de cerveja artesanal, estou no aguardo da abertura de uma casa dedicada a cerveja lá no Rosarinho (Emporium Beer Store http://www.emporiumbeerstore.com.br/). Enquanto isso, acompanho muito este site: http://www.brejas.com.br/. Abraços!

    ResponderExcluir
  2. André, reitero o comentário do Artur, ótima reportagem para nós, adoradores de cerveja. Já devo ter experimentado mais de 100 tipos diferentes, e todas são uma experiência única. O próximo passo vai ser começar a fazer a minha.

    Ótima informação também, Artur, sobre o Emporuim Beer Store. Estamos precisando de uma casa assim por aqui.

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de comunicar a todos a existência de uma associação de cervejeiros artesanais de Pernambuco.
    Estamos trabalhando em prol desta dita cultura cervejeira.

    Por enquanto ainda não temos um site, mas 4 sócios da associação, inclusive eu, temos um blog que posta informações sobre a movimentação da ACERVA-PE.
    http://recbrew.blogspot.com

    Sigam a Acerva-PE no Twitter e no Facebook!
    @acervape

    ResponderExcluir
  4. Artur, Felipe e Rodolfo, muito obrigado pela participação de vocês aqui e pelos elogios. Pelo jeito a missão foi cumprida... E valeu as dicas galera!

    Felipe, conte conosco para divulgar futuramente o site.

    Os links indicados por vocês serão acrescentados na matéria o mais breve possível.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela matéria André,
    está muito bem feita e por isso está a um bom tempo na capa do NE10!

    Isso é muito legal para a cultura cervejeira de nosso estado!

    Prost!

    ResponderExcluir
  6. André, tem um erro grave no artigo. Todas as cervejas mencionadas, ou fotografadas são artesanais, mas NÃO CASEIRAS. As caseiras, normalmente excelentes são fabricadas por homebrewers, magos de receitas e fórmulas. As cervejas foco da reportagem são produtos de Micro Cervejarias, com registro e autorização de comercialização. Já as ótimas caseiras são a fase embrionária das Micro Cervejarias. No mais parabéns pela reportagem, se quiser infomações sobre a Falke Tripel Monasterium exposta na foto da capa e não comentada na matéria, estamos à disposição no marco@falkebier.com.br.

    ResponderExcluir
  7. Olá André,

    Apenas uma outra correção grave: Nos destaques, a Burgman está com o título da legenda errado.

    Deixaram a mesma da Dama quando fizeram a imagem.

    Abraços.

    ResponderExcluir