segunda-feira, 1 de novembro de 2010

MENSCH ENTREVISTA: Kiko Nogueira



Conversamos com Kiko Nogueira , jornalista e editor da revista ALFA. Kiko falou sobre suas aventuras pelo universo editorial, viagens mundo a fora e a sua busca pelo melhor, sempre da melhor forma, tanto no universo profissional quanto pessoal.

Kiko, qual sua formação? Como foi seu início profissional?
Filho, irmão e cunhado de jornalistas. Comecei como assessor de imprensa da gravadora Continental. Depois fui pesquisador do Dedoc (Departamento de Documentação da Abril), repórter e editor da Veja São Paulo, diretor de redação da Viagem e Turismo e dos Guias Quatro Rodas e hoje diretor de redação da ALFA.

E seu início de trabalho com revistas? Como foi sair do Guia Quatro Rodas pra Viagem & Turismo?
Eu era redator-chefa da Viagem e Turismo, na verdade, e depois acumulei as duas direções. Foi uma experiência inesquecível.

E como foi essa experiência inesquecível?
Foi uma experiência legal de unir dois mundos que estavam, por força das circunstâncias, separados. A VT e o Guia nasceram um para o outro. Conheci todos os continentes e os países que queria. Acho que a VT deixou de ser uma revista burra de serviço para ser uma revista de grandes histórias de viagem, com bom serviço. O Guia foi humanizado e deixou de ser um diretório que parecia feito pela mesma calculadora desde os anos 60. Aí, quando cumpri esse ciclo, vim para a ALFA. E, pra dizer a verdade, eu não agüentava mais falar de Buenos Aires e Orlando.

A revista ALFA irá pra sua terceira edição agora em novembro, já dá pra avaliar como está a aceitação do público masculino e se o formato está o ideal para esse público?
So far, so good. Estamos fazendo o melhor possível. Com toda humildade, queria citar o John Lennon. Perguntaram pra ele qual a receita de sucesso dos Beatles. Ele disse que, se soubesse, seria empresário de bandas. Acho que, se eu soubesse o que dá certo, fundaria uma editora.

A ALFA tem um editorial mais consistente, com mais textos, mais leitura. O público brasileiro está preparado para ler?
Acho que as pessoas continuam querendo boas matérias, agora e sempre.

Qual seu maior desafio agora com a ALFA?
Fazer as melhores matérias a cada mês.

O que mais mudou no perfil do homem atual? São mais conservadores que os de 30 anos atrás?
O brasileiro mudou. Está mais tolerante, não mais conservador. Demos uma pesquisa na primeira edição que atestava isso em algumas frentes. O cara pensa diferente em matéria de religião, sexo, traição, roupas, cuidados pessoais etc. Mas o que dá para notar de maneira geral: o homem está cansado de se sentir culpado de ser homem. Acho que ALFA reflete isso.

Na primeira edição da ALFA uma matéria falava o que era ser homem hoje. Na sua opinião, o que é ser homem hoje?
Gosto de um provérbio inglês que define isso, na minha opinião: a man’s gotta do what a man’s gotta do. Um homem tem de fazer o que um homem tem de fazer. Ser homem, no mundo de hoje, é ser fiel a si mesmo.

Essa necessidade de ter mais do que precisamos vem da mídia ou vivemos num mundo cada vez mais capitalista onde o ter pesa mais que o ser?
O mundo ficou assim e não é por causa da mídia.

Ainda falando sobre consumo, os desejos de consumo dos homens hoje em dia continuam os mesmos? Ou seja, carros potentes de design arrojado continuam sendo o carro-chefe do sonho de consumo dos homens ainda hoje?
Eu não saberia falar pelos homens. Me parece que, hoje, sonhos de consumo são mais individuais que coletivos. Para uns, uma Ferrari, para outros uma Fender, para outros um baseado. Com exceção do iPhone e do iPad, que todo mundo tem e quem não tem, quer.

Recentemente uma pesquisa da Euromonitor de cosméticos para homens, mostrou um crescimento nesse mercado, apontando o Brasil como segundo colocado no ranking. O homem atual está assumindo sua vaidade?
Está. Estamos publicando uma pesquisa inédita no número 3 em que 75% dos homens dizem que são vaidosos e não vêem problema nisso.

Qual dos seguintes temas te interessaria mais numa revista? 1) Vinhos, 2) Ótimos restaurantes, 3) Brasileirão, 4) Carros
Brasileirão.

Quando não está trabalhando, o que faz pra relaxar? Ler a ALFA?
Jogo bola ou Wii com meus filhos.

O que as mulheres ainda não sabem (ou fingem que não sabem) sobre os homens?
Porque o controle da TV tem de ser nosso e isso é inegociável.

O que mais te assusta em relação ao futuro: a situação política do país ou alterações climáticas na atmosfera? 
A situação política da minha casa.

Se você não fosse jornalista, qual seria sua realização profissional mais desejada?
Baixista do Clash no lugar do Paul Simonon.

2 comentários:

  1. sujeito bacana esse.

    Gostei da conversa...

    ResponderExcluir
  2. ESSE TAL KIKO NOGUEIRA É UM MERDA NÃO SABE NADA DE MUSICA.

    ResponderExcluir