segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A vaidade masculina e o mercado de cosméticos crescente.


Aquela época em que homem não se cuidava ou tinha vergonha de assumir suas vaidades com relação a seu visual parece que finalmente chegou ao fim. Não precisa ser um metrossexual, aliás, coisa que já ficou para o passado também. O boom que foi a vaidade ao extremo que terminou levando o nome "metrossexual", deixou lugar para homens na linha do equilíbrio entre o que deve ser feito e o que deve ser descartado. O cara não precisa viver de cremes, salão de beleza e clínicas estéticas para se manter bem. Isso eu acho que até já virou algo brega, aliás, todo exagero pode ser chamado de brega. A moda, digamos assim, é um cara com boa aparência, bem cuidado. Onde nada se sobressaia mais que apenas sua masculinidade bem tratada. Não precisa seguir à risca métodos e dicas de beleza de todas as revistas e especialistas. O homem vaidoso e antenado, deve saber escolher dentre as diversas opções que o mercado oferece, qual se adéqua mais a seu estilo de vida e seu bolso. Pode usar creme, pode ir ao salão, pode fazer uma correção estética em alguma clínica. Mas nada pode ser exagerado. E pensando dessa forma é que cada vez mais os homens estão se cuidando. Seja tendo consciência de que um bom protetor solar com hidratante é uma boa opção, tanto quanto um shampoo que hidrate e seja anti-caspa.

Diferente do público feminino que quer sempre a novidade do momento, e quanto mais produtos melhor pra comentar com as amigas durante uma hidratação de 2 horas no salão em pleno sábado à tarde, os homens querem praticidade e economia. Pra isso procuram produtos focados nos resultados que ele pretende alcançar de forma mais eficiente. A idéia é ter poucos produtos, até porque homem não tem muita paciência com tudo isso, e que realmente tragam resultados. É pensando nisso tudo que a indústria de cosméticos cada vez mais tem focado no público masculino, um mercado que cresce fazendo com que produtos voltados ao público masculino ganhe cada vez mais importância nos negócios do segmento aqui no Brasil. O país já é tradicional quando o assunto é vaidade, e ocupa a segunda posição do ranking feito pela Euromonitor de cosméticos para homens, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. O ranking Euromonitor que identificou crescimento anual de 10% da produção de cosméticos específicos para o público masculino. O faturamento desses produtos na América Latina em 2009 ficou em torno de US$4,7 bilhões.

A Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC) dá o seu aval para esses dados e, segundo o presidente da entidade, Alberto Keidi Kurebayashi, “as empresas do Brasil e do mundo têm apostado em produtos para cuidar da pele e cabelo. E quem vem ganhando destaque significativo são as linhas de cremes e loções, inclusive os antiidades. E a ação de barbear ganhou reforço de produtos com mais funcionalidades já que, quem lidera - em meio a essa gama de lançamentos - ainda são os tradicionais itens pré e pós-barba, lâminas de barbear, desodorantes e perfumes”, afirma. Mundialmente, o mercado de cosméticos para homens movimentou cerca de US$ 26,7 bilhões em 2009, com projeção para, em 2012, alcançar US$ 28,6 bilhões. Ou seja, um mercado cada vez mais lucrativo e de olho no seu público que cada vez mais deixa o machismo de lado e percebe que cuidar da sua aparência é algo natural e saudável.

As diferenças entre o público feminino e o masculino vão além das físicas e biológicas, são culturais. Principalmente em algumas regiões do Brasil. Mas mesmo sendo difícil conquistar esse público, é um mercado que se mostra mais fiel que o feminino. O presidente da ABC conta ainda que “ao contrário de outras culturas, o brasileiro tem maior tendência a utilizar produtos de higiene. E por ter esta característica de vaidade, a propensão a comprar um cosmético, um perfume ou um produto de higiene pessoal é bem maior”. E o público masculino tem se mostrado além de fiel, exigente. Por exemplo, os homens tendem a preferir produtos que tenham o mesmo aroma em toda sua linha e tendem a comprar produtos que tenham resultados parecidos. Outro fator curioso entre as diferenças de público, é que produtos direcionados para o público masculino em geral tendem a ter linhas mais retas, enquanto que os femininos mais curvos. Assim como também os homens preferem tubos à potes por serem mais práticos. e ocupar menos espaço.

Segundo Keidi Kurebayashi, o homem não tem paciência para ficar escolhendo produtos, ele busca praticidade e multifuncionalidade. De olho nesse mercado que não pára de crescer, que as indústrias de cosméticos tem investido cada vez mais. A brasileira Natura, por exemplo, já conta com mais de 15 linhas de produtos exclusivos para o público masculino. “O brasileiro é atraído pela oposição do frescor das notas cítricas com as notas quentes das especiarias. Os temperos, como a pimenta, conferem um lado divertido e sensual para o homem”, explica Verônica Kato, perfumista da Natura. Enquanto que O Boticário lançou Shower Gel Cabelo e Corpo. O produto tem fórmula desenvolvida para limpar tanto a pele quanto os cabelos. A Mahonagy também desenvolveu produtos pensados para serem multifuncionais. O Trium da linha Mahogany For Men serve como sabonete líquido, creme para barbear e shampoo. Foi pensando na praticidade, que recentemente a revista PLAYBOY fez uma seleção de cinco produtos que seguem essa linha de eficiência, economia e praticidade (ver quadro abaixo):
Hoje em dia estes cuidados pessoais podem ser um grande diferencial na vida social. Um homem bem vestido, bem tratado, com pele mais cuidada, unhas e barbas aparadas e com odor agradável tem mais pontos nos quesitos ‘aceitação’ e ‘boa interpretação de personalidade’, o que aumenta muito as chances de sucesso nos relacionamentos interpessoais e profissionais, seja na busca de um amor, de um emprego ou no contato diário com seus amigos, colegas e chefes, diz Kurebayashi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário